29/11/2021 às 00h00min - Atualizada em 29/11/2021 às 00h01min

Áustria decreta lockdown total em todo o país, novamente

A medida teve início no dia 22 de novembro, além de estabelecer a vacinação obrigatória a partir de fevereiro

Juliana Valillo - Editado por Júlio Sousa
G1 GLOBO; CNN; BBC NEWS: ISTOÉ; EXAME
O primeiro dia de lockdown na Áustria (Rua de Viena) | Fontes: Lisi Niesner / Reuters | G1 Globo
A Áustria impôs outro lockdown no país (o 4º desde que começou a pandemia), assim se tornando o primeiro da Europa Ocidental com o bloqueio novamente. Essa medida entrou em atividade na segunda-feira (22/11) e durará 10 dias no mínimo. Além de tudo, Alexander van der Bellen (atual presidente da Áustria) informou que a vacinação será obrigatória a partir do dia 1º fevereiro de 2022, essa medida é a mais rigorosa, em busca da manutenção do controle da pandemia, já visto no continente europeu.
 
O chanceler Alexander Schallenberg discursa em uma coletiva de imprensa: 

“Não queremos uma quinta onda. Não queremos uma sexta e sétima ondas. Não queremos ter essa discussão no próximo verão”

 
As escolas devem continuar abertas durante o bloqueio. Segundo Schallenberg, os pais podem retirar os seus filhos da escola quando quiserem.
 
As autoridades aconselharam o uso de máscaras PFF2 nos espaços fechados e os funcionários poderiam solicitar a opção home office.
 
O país adotou uma ordem restritiva, na última semana. Essa ordem foi um lockdown para as pessoas com mais de 12 anos que não se vacinaram (mantêm-se após a suspensão do bloqueio nacional). Os índices de casos com pessoas que contraíram o coronavírus continuam aumentando na Áustria. A incidência de casos foi de 991 para cada 100 mil habitantes, nos últimos sete dias.
 
Cerca de 35 mil pessoas se aglomeraram em frente ao antigo Palácio Imperial, localizado no centro de Viena, com bandeiras e carregando cartazes com as seguintes frases: “não à vacinação”, “já chega” ou “abaixo a ditadura fascista”.
 
Os grupos críticos e o Partido de Liberdade que reprovam a aplicação da vacina já planejavam um ato, porém com o anúncio do lockdown levaram com o que o líder do grupo, Herbet Kickl, declarou que “a partir de hoje, a Áustria é uma ditadura”. Herbet não compareceu a esse evento, porque ele foi infectado com a COVID-19.
 
Os mais de 1400 policiais foram enviados ao redor de toda a Áustria para manter a ordem pública e também para evitar novos atos violentos.
 
O governo do país procura convencer a população a terem suas doses, enquanto uma boa parte da população continua cética em relação à vacina. A Áustria tem a menor taxa de vacinação, comparada em toda Europa Ocidental, apenas 66% da população austríaca está totalmente imunizada contra o coronavírus.
 
O chanceler relata durante uma coletiva de imprensa que os ativistas antivacina atuam de forma irresponsável:

“Temos muitas forças políticas nesse país que estão lutando contra a vacinação veemente, massiva e publicamente. Isso é irresponsável. Na verdade, é um ataque ao nosso sistema de saúde”

 
O país já tem a autorização e recomenda a vacinação para todas as pessoas que são maiores de 12 anos. A Áustria iniciou um projeto-piloto para vacinar crianças na faixa etária de 5 a 11 anos de idade na capital do país, em Viena.  
 
Além disso, a Europa se preocupa com a chegada do inverno no continente, e que neste momento, também, convive com o aumento de casos e reimposição de lockdowns em diversos países, como na Holanda.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »