02/12/2021 às 21h45min - Atualizada em 02/12/2021 às 21h17min

Bike e viagens: Uma aventura de tirar o fôlego

Taise Magalhães - Editado por Matheus Da Fonseca
Daniel Mendes

Viajar é deixar o conforto do lar e se aventurar por lugares inimagináveis e desfrutar de uma nova visão de mundo. Para alguns é sinal de liberdade, de conhecimento de culturas diferentes e de autoconhecimento também, o que nos leva a conhecer a história de Daniel Mendes, 25 anos e natural de Florianópolis. Um amante de viagens que deixou a sala de escritório para embarcar numa aventura de tirar o fôlego e de muita coragem 

Uma pessoa que sempre se preocupou com o mundo a sua volta e que sempre buscou mudar o que podia. Percebeu rapidamente que não poderia mudar tudo sozinho, mas que poderia mudar a si mesmo através dos seus atos e que a vida é muito mais que um emprego do qual o sistema capitalista impõe. A partir desse momento surgiu o cicloturismo na vida dele e foi aí que se encontrou, sentiu a brisa do vento em seu rosto, a liberdade de poder pedalar e que havia diversos caminhos a desbravar, sensações essas que o fizera encontrar uma estrada a trilhar e que hoje faz parte da sua vida. 

No momento Daniel faz a sua maior viagem com sua bicicleta pelo Brasil, de início seria dez estados em uma viagem de cinco a seis meses, mas mudanças ocorreram ao longo dos últimos meses e agora a viagem já completou 8 meses. Mesmo com toda essa aventura ele ainda concedeu uma entrevista a mim, então vamos juntos conhecer um pouco mais sobre o projeto. 

 Taise Magalhães: Quando começou as viagens de bike qual foi a maior dificuldade? 

Daniel Mendes: Eu comecei dia primeiro (1) de abril, já se passaram 8 meses e a minha maior dificuldade foi a mudança de cidade, muita dificuldade em achar um lugar para dormir. Como eu não tinha dinheiro para ficar em pousada ou hostel eu ficava em posto de gasolina, lugares vazios. O medo que é imposto pela sociedade, de que a gente não está seguro e precisa de uma estabilidade ainda era bastante presente em mim.  

Taise Magalhães: Para você qual foi a viagem mais difícil? 

Daniel Mendes: Acredito que foi saindo de Goiás para Tocantins, atravessei uma rodovia de 80 quilômetros sem nenhum apoio e estava 42° graus. 

Taise Magalhães: Em algum momento você já pensou em desistir do cicloturismo? 

Daniel Mendes: Teve uma vez, eu havia acabado de entrar na Bahia e teve uma queimada então o calor estava muito forte. Eu já havia pedalado o dia inteiro, cheguei no posto de gasolina e comecei passar mal, a vomitar bastante, tive uma desidratação que não consegui me recuperar e acabei perdendo parcialmente a minha visão fazendo com que eu desmaiasse e acordei no hospital. Estava em estado gravíssimo de desidratação e naquele momento cheguei muito próximo da morte fazendo com que eu pensasse em desistir.  

Taise Magalhães: Viajar pode se tornar cansativo principalmente pedalando o dia todo, o quanto você se preparou fisicamente para embarcar nessa jornada? 

Daniel Mendes: Foi aproximadamente um ano e meio de preparação, mas acredito que o maior preparo é psicológico porque diante das situações e da solidão na estrada, o psicológico acaba afetando mais que o cansaço físico. Apesar que o cansaço físico também é bem forte, mas dá para parar e descansar e o psicológico a saudade da família não tem esse descanso a gente vai seguindo sozinho pela estrada. Claro que se conhece muita gente pela estrada, mas nada como o amor da família e de conhecidos. 

Taise Magalhães: Qual a maior expectativa para essa experiência? 

Daniel Mendes: Eu acredito que seja de me conhecer cada vez mais, conhecer o Brasil, sair da caixa. Entender que a vida é muito mais do que a gente imagina e muito mais do que é imposto para nós. Simplesmente nos oferecem uma vida de trabalho, de pagar contas e viver nesse looping eterno. Então a minha maior expectativa é sair dessa viagem com um novo pensamento, de entender um pouco melhor a vida, e o que realmente faz a gente mais feliz. 

Taise Magalhães: Qual a sensação ou sentimento fica quando você chega em um destino? 

Daniel Magalhães: Bom, é de felicidade. É muitos contatos que eu consigo ter, muitas vivências novas e aprendizados de uma cultura totalmente diferente da minha. Eu fico extasiado porquê eu costumo falar que no Sul e não sei como é nos outros estados, mas a gente vive em uma caixinha. Eu moro numa ilha, moro em Florianópolis uma capital que as pessoas vão lá e acha que é o paraíso, que não existe nada melhor, então essa experiência acaba me renovando, me incentivado a continuar viajando e desfrutando de tudo isso que estou vivendo. 

Taise Magalhães: O que você diria as pessoas que tem o mesmo desejo de viver essa experiência? 

Daniel Mendes: Eu sempre digo que será uma experiencia completamente diferente de tudo que a pessoa já viveu. Não consigo passar exatamente o que vão viver, que cada um vai adquirir uma experiência, pois nenhuma experiência é igual. A pessoa pode ir para o mesmo lugar que eu, ficar no mesmo posto de gasolina, na mesma hospedagem e falar com as mesmas pessoas, mas será algo diferente do que eu tive. Cada um tem uma situação financeira diferente, mas falo que será algo que a pessoa vai levar para a vida dela, que vai poder passar para os filhos e os netos, algo que ela viveu e nunca vai esquecer. Com certeza vai mudar a vida, independente se ela for milionária ou não tiver um tostão no bolso.  

Taise Magalhães: Você já tem algum plano futuro para depois do encerramento dessa experiência? 

Daniel Mendes: Eu tenho alguns planos de quem sabe viajar de mochilão, e tenho um projeto de futuro na verdade um sonho que é ter um motorhome, mas ter a minha bicicleta nele. E poder fazer um documentário ou algum tipo de serie que eu documentaria o Brasil de uma forma diferente do que estou fazendo de bicicleta, e também fazer caminhos mais difíceis. Começaria com uma bicicleta sem carga, fazer imagens incríveis e vídeos com drone. 

Desde o primeiro contato, Daniel demonstrou está em busca do seu ideal, do que o faz feliz e a viagem tende a fazer isso com as pessoas. Eleva-las ao seu íntimo e fazer com que se redescubra de diversas maneiras. Quem nunca quis sair por aí conhecendo culturas, pessoas, amores e realidade diferentes, não é mesmo?!  Que essa experiência também possa transformar a nossa vida.  
Para conhecer mais sobre a história e acompanhar essa aventura de perto, é possível através do Instagram https://instagram.com/danielmluiz?utm_medium=copy_link @daniellmluiz), o ebook (Caminho alternativo- Vou de bike SC, Daniel Mendes) e através do Youtube ( https://www.youtube.com/c/VoudeBikeSC/about ) onde ele posta vídeos das viagens. Não fique de fora e embarque junto nessa aventura!  


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »