03/12/2021 às 10h01min - Atualizada em 03/12/2021 às 09h59min

Crônica: o que é a vida?

Heloisa Helena de Paula Nogueira - Editado por Andrieli Torres
Foto: Reprodução/Internet
Estava eu no meu quarto, pensando em uma pauta para a próxima reportagem. A porta se abriu vagarosamente, escutei três passos se arrastando em minha direção, me virei:

- Mamãe, o que é a vida?

A pergunta deslizou pela boca dela e me atingiu, um tiro certeiro ao alvo. E eu, eu bem, me desarmei... Como responderia para minha filha de três anos o que é a vida? Afinal, o que a vida significa?

- Responde, responde! O que é a vida?

Por um momento, pensei que eu fosse a entrevistada do “Provocações” da TV Cultura, mas em vez de me ver em frente ao Abujamra, estava frente a frente com uma garotinha que insistia em saber: o que é a vida?

- A vida, minha filha, é sorrir, brincar, dançar, respirar, sentir...
- Nossa, a vida é muito boa! Então, por que vocês adultos só ficam falando que a vida é difícil?
- Ah, filha, porque “viver é muito perigoso!”

 Confesso que ainda estava sem uma resposta, decidi soltar uma frase de Guimarães Rosa para tentar conter a inquietação daquela criança e a minha também: afinal, o que é a vida?

- É perigoso igual brincar com a faca que fica na cozinha, mamãe?
- Isso, viver é tentar usar a faca sem se cortar. Mas, muitas vezes, acabar se machucando, mesmo tendo todo o cuidado do mundo!
- Agora eu entendi, a gente tem que ter cuidado com a vida, né?!
- Sim, quando crescer vai entender melhor como cuidar da vida.

Disse isso enquanto pensava: será mesmo? E quando bate aquele vazio que eu não sei lidar com ele?

- Mamãe, já que você é adulta e jornalista, você sabe tudo sobre o que é a vida?
- Minha pequena, ninguém sabe tudo sobre a vida, porque a vida é aprender coisas novas todos os dias e nunca saber tudo!

Ela saiu do quarto, foi brincar de viver... E eu? Eu fiquei imersa em todos os pensamentos que aquela “entrevista” me despertou. Se a vida é aprender coisas novas e nunca saber tudo, por que me coloco em posição de abraçar o mundo? Por que tudo na minha vida precisa de um motivo plausível? Por que quando estou na minha própria companhia, juntam-se um emaranhado de ideias e sentimentos e todos eles se transformam em um enorme vazio? Por que só me sinto útil quando reconhecem meu trabalho? Por que a vida deve fazer sentido? Por que a incerteza sobre o futuro me sufoca? Por que a vida é um eterno e infinito por quê?

- Por que em meio à pandemia do coronavírus muitas pessoas estão ansiosas e deprimidas? - Tá aí, o tema da minha pauta que levei horas para pensar! Afinal, o jornalismo tem que ser atual, relevante e, até mesmo, um pouco clichê. Vou correr atrás de fontes: jovens, adultos, crianças, idosos e, como não podem faltar os especialistas, psicólogos e psiquiatras. E, para todos eles, além das perguntas de praxe, vou perguntar: o que é a vida?
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »