07/12/2021 às 07h36min - Atualizada em 07/12/2021 às 08h21min

Netflix adquire os direitos para a produção de um novo universo cinematográfico da franquia Power Rangers

A gigante dos streamings é o novo lar de uma das franquias de super-heróis mais rentáveis de todos os tempos. Confira detalhes sobre a aquisição e curiosidades sobre a obra

Thayzuki Santos - Editado por Fernanda Simplício
Fonte: Saban Entertainment e Toei / Reprodução: Google
Não, você não leu errado: os Power Rangers estão voltando – e com força total.

A Netflix se tornou a detentora dos direitos da franquia através de um acordo com a produtora Entertainment One (EOne). A notícia foi dada com entusiasmo por Michael Lombardo, que preside a divisão de Televisão Global da EOne. O projeto será liderado por Jonathan Entwistle, a mente por trás das séries “The End of The F***ing World” e “I Am Not Okay With This”, ambas da Netflix.

No ar desde 1993, Power Rangers se tornou um fenômeno entre o público infantojuvenil, com mais de 900 episódios transmitidos durante suas 28 temporadas. Além das adaptações para o cinema – são três filmes até o momento, incluindo o remake – também foram lançados brinquedos, videogames e quadrinhos.

Entretanto, os fãs podem se surpreender com os novos rumos da franquia. O intuito do projeto conduzido por Entwistle é apresentar uma nova roupagem, voltada para o público adulto que cresceu assistindo os heróis nos anos 90. A proposta de redesenhar o universo cinematográfico da franquia já havia sido apresentada com o lançamento do remake de 2017, porém a arrecadação do filme (US$ 142 milhões) comparada ao investimento (US$ 100 milhões) acarretou o cancelamento de produções futuras.

Ainda não se sabe quando o novo universo de Power Rangers terá a sua estreia na Netflix, mas de acordo com Lombardo, tanto a plataforma de streaming quanto a produtora estão empolgadas com o desenvolvimento do projeto, que inclui a criação de novas séries e filmes.

Enquanto isso, separamos algumas curiosidades que você talvez desconheça sobre esta icônica franquia:


Sem Homem-Aranha, não existiriam os Power Rangers

Você deve estar se perguntando: “o que uma coisa tem a ver com a outra?”. E a resposta para essa pergunta é: em 1978, a Marvel Comics e a Toei co-produziram um seriado japonês do Homem-Aranha, tão bem-sucedida que deu origem a outras séries do mesmo gênero, criando assim a franquia Super Sentai. Na produção, o Homem-Aranha pilotava um robô gigante, semelhante aos megazords, que ele convocava para lutar contra versões aumentadas de seus inimigos. Esse e outros elementos foram incorporados ao enredo do Super Sentai, e posteriormente, aos Power Rangers.

Os Power Rangers não são uma criação norte-americana

Como dito no tópico acima, apesar de serem produzidos nos Estados Unidos, os Power Rangers são baseados em uma franquia japonesa de super-heróis, conhecida como Super Sentai. Cada temporada do seriado norte-americano é, na verdade, uma adaptação de uma edição japonesa
– por exemplo, Power Rangers Turbo (1997) é a adaptação de Gekisou Sentai Carranger (1996). Inclusive, quase todas as cenas de ação são recicladas da versão oriental, e por isso, o elenco ocidental grava apenas as cenas em que estão fora do uniforme de combate.

Baixos salários e péssimas condições de trabalho

Apesar da enorme repercussão do seriado e dos altos índices de vendas com merchandising, o salário do elenco de Power Rangers não era dos melhores. Os atores da primeira temporada, que trabalhavam até 14 horas por dia durante seis dias na semana, chegaram a comparar o valor pago na época à quantia recebida por um atendente do McDonald’s. A insatisfação salarial e o trabalho insalubre resultaram na saída de vários atores do elenco.

Censuras ao redor do mundo

O sucesso no território norte-americano levou à distribuição da série para outros países, no entanto, algumas nações impuseram severas restrições ao conteúdo. Na Malásia, a primeira temporada – intitulada Mighty Morphin Power Rangers – foi banida por um longo período, pois o governo do país temia que a palavra Morphin pudesse incentivar o uso recreativo de morfina. Na Nova Zelândia, o seriado foi censurado sob a alegação de promover violência entre crianças e adolescentes. A série também foi banida na Noruega após duas crianças, que eram fãs do programa, serem responsáveis por um caso de lesão corporal seguida de morte. Tempos depois, as autoridades norueguesas concluíram que o seriado não tinha quaisquer relações com o crime cometido.

Um único dia de filmagens

Lembra do Zordon? O primeiro mentor dos Rangers, que era uma espécie de cabeça flutuante dentro de uma torre de luz, foi interpretado pelo ator David J. Fielding. Entretanto, Fielding só precisou ir ao estúdio uma única vez. Como apenas a cabeça do personagem aparecia, o ator gravou cerca de 5 horas de cenas onde mexia a boca e fazia algumas expressões faciais, para então ter suas falas dubladas a cada episódio. Talvez você não tenha notado na infância, mas não há qualquer sincronia entre as falas de Zordon e os movimentos de sua boca.

Versão proibida para menores

Em 2015, foi lançado um fan film intitulado “Power/Rangers”, com direção assinada por Joseph Khan, famoso por dirigir vídeos musicais de artistas como Taylor Swift e Eminem. O curta-metragem, estrelado por James Van der Beek (
Dawson’s Creek), se afasta completamente da atmosfera infanto-juvenil do seriado e apresenta um enredo obscuro, repleto de cenas de violência gráfica, uso explícito de drogas e armas de fogo, palavrões e muito, mas muito sangue. A Saban, empresa que detinha os direitos da franquia, conseguiu com que o filme fosse retirado das plataformas, sob a alegação de violação de direitos autorais, mas dias depois a obra foi reintegrada.

Toque brasileiro

O elenco de Power Rangers já contou com a participação de três atores brasileiros em temporadas distintas. O primeiro foi o paulista Glenn McMillan, que deu vida ao Ranger Amarelo em Ninja Storm (2003), seguido do carioca Davi Santos, o Ranger Dourado de Dino Charge (2015) e, por fim, a também carioca Chrystiane Lopes, que interpretou a Ranger Rosa em Ninja Steel (2017). Outro fato curioso é que em 1995, bem antes de termos intérpretes brasileiros no seriado, o duo Sandy & Júnior gravou a canção “O Universo Precisa de Vocês (Power Rangers)”, que acabou se tornando um dos clássicos da dupla. Quem era criança e nunca cantou ou ouviu “Power Rangers tem a força, Power Rangers são heróis” não viveu direito os anos 90.




Bônus: Se você ativar o volume das teclas do seu telefone e digitar muito rápido a sequência de números 332393, ouvirá um som semelhante ao da música-tema da franquia: Go Go Power Rangers.

REFERÊNCIAS:

NOTÍCIAS DA TV. Power Rangers: Netflix compra direitos e vai exibir novos filmes da franquia. 22 de nov. de 2021. Disponível em: Acesso em: 28 de nov. de 2021.

FIAUX, G. 10 curiosidades que você precisa saber sobre Power Rangers. Legião dos Heróis. 27 de nov. de 2020. Disponível em: Acesso em: 28 de nov. de 2021.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »