08/12/2021 às 07h08min - Atualizada em 08/12/2021 às 11h57min

As agruras de um país, cap. três

Pelo terceiro ano consecutivo, projeto de livros documenta com humor os atuais problemas nacionais

Paulo Firmo - Editado por Fernanda Simplicio
Fonte: Gilmar/Reprodução: Catarse
Brasil 2021 em Charges, o novo livro de Gilmar, o Cartunista das Cavernas, segue em campanha de financiamento coletivo desde meados de novembro, e será publicado em fevereiro do ano que vem.
 
Que as histórias em quadrinhos, tiras, charges e cartuns são instrumentos para a reflexão e o questionamento sobre os fatos da vida, é um fato. Basta uma rápida passada de olho nas páginas (físicas ou digitais) de jornais e revistas tais quais (O) Pasquim, (O) Cruzeiro, Folha de S. Paulo, O Globo, Veja, ISTOÉ e Carta Capital por exemplo, para comprovar. Uma manifestação artística, um documento histórico e jornalístico dos (nossos) tempos.
 
Aqui, as representações políticas gozam de um espaço largo, antigo e tradicional. No Brasil e em todo o mundo. Afinal, para além de partidos, obras públicas e eleições, toda a vida em sociedade materializa ações políticas. Neste contexto, o cartunista Gilmar, que goza de uma trajetória profissional consolidada, não se priva de corresponder às expectativas que são lançadas aos cartunistas, e assume uma postura bastante crítica aos erros e desmandos governamentais.


 
Nascido na Bahia como Gilmar Machado Barbosa, “O Cartunista das Cavernas” (seu pseudônimo), iniciou a carreira no jornal A Voz de Mauá – periódico originado no município da região metropolitana de São Paulo, Mauá – no ano de 1984. Integrou a equipe de jornais tais quais o Diário de S. Paulo (SP), Diário do Grande ABC (SP), Jornal do Brasil (RJ), Tribuna de Vitória (ES), Diário da Região (São José do Rio Preto, SP), Folha de S. Paulo (SP), O Pasquim 21 (nacional), Vida Económica (Porto, Portugal), revista Você S/A (nacional) e site UOL Notícias dentre outros.
 
Gilmar foi eleito o melhor cartunista na categoria Desenhista de humor gráfico, do Troféu HQ Mix de 2003, pela obra De Quatro: Quadrinhos gozadinhos e ganhou pela primeira vez o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos na categoria Artes com a ilustração para o Edital ‘Matou, Morreu’ publicado no Jornal Hoje São Bernardo (São Bernardo do Campo, SP) em 16 de dezembro de 2006.
 
É autor de Pau Pra Toda Obra (Devir, 2005) – um dos cinco de seus livros adotados em bibliotecas de escolas públicas –, Caroço no Angú (Independente, 2009), Ocre: quadrinhos não recomendáveis para pessoas românticas (Zarabatana Books, 2011), ARC 100 Vezes (Laços, 2013), Máquina Zero nº 1 (Quadro a Quadro, 2013), Fulanos & Fulanas (Independente, 2014), Entre Quatro Contos (em parceria com Luiz Carlos Fernandes – SESI-SP, 2016), O Cramulhão e O Desencarnado (Independente, 2019). Além de estar presente em inúmeros trabalhos, ao lado de grande número de artistas, em obras como MSP 50 (Panini, 2009), MAD (Panini, 2008-2013-2014) e Marcatti 40 (Ugra Press, 2017).
 
No alvorecer de 2020 Gilmar lançou, através de financiamento coletivo (sua primeira experiência neste formato) no site Catarse, o livro Brasil 2019 em Charges. Financiado com folga, a obra ganhou uma segunda edição no segundo semestre do mesmo ano. O sucesso foi ainda maior.
 
 


Iniciado o ano de 2021, Brasil 2020 em Charges também é financiado coletivamente (com maior número de apoiadores do que nos livros anteriores) e agora, no final do ano, Brasil 2021 em Charges.
 
A trilogia foca nos “vai e vens” da política brasileira e, naturalmente, se debruça com profundidade nas ações do atual presidente. Este, em função da assunção no pleito de 2018, assume, ao lado da pandemia do novo coronavírus iniciada oficialmente em março de 2020, o protagonismo das charges produzidas por Gilmar. Com um traço (literalmente e figurativamente) fino, “explosivo” e “cirúrgico”, o Cartunista das Cavernas elabora “o registro em livro dos principais acontecimentos políticos e sociais do Brasil através da charge” – descrição presente na página do financiamento coletivo da obra. Continua: “A ideia é que este livro registre de maneira crítica e através do humor, alguns dos principais acontecimentos políticos deste ano completamente tenebroso na história política do Brasil.”
 

 
Para além do “Brasil em Charges”, Gilmar publica atualmente os seus trabalhos no jornal digital Rádio Peão Brasil e em seu perfil na mídia social Instagram, onde é seguido por mais de 200 mil pessoas.
 
 
Referências
 
Brasil 2021 em Charges. Catarse. [s.d]. Disponível em: https://www.catarse.me/brasil2021emcharges?ref=ctrse_explore_pgsearch. Acesso em: 29 nov. 2021.
 
Brasil 2020 em Charges. Catarse. [s.d]. Disponível em: https://www.catarse.me/Brasil2020EmCharges?ref=user_contributed. Acesso em: 29 nov. 2021.
 
Brasil 2019 em Charges. Catarse. [s.d]. Disponível em: https://www.catarse.me/brasil_2019_em_charges_f57e?ref=user_contributed. Acesso em: 29 nov. 2021.
 
Cartunista Gilmar, do Rádio Peão Brasil, concorre ao prêmio Vladimir Herzog. Notícias. Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes. 3 out. 2018. Disponível em: https://metalurgicos.org.br/noticias/cartunista-gilmar-do-radio-peao-brasil-concorre-ao-premio-vladimir-herzog/. Acesso em: 3 dez. 2021.
 
Gilmar Machado Barbosa - ‘Gilmar’. Guia dos Quadrinhos. [s.d]. Disponível em: http://www.guiadosquadrinhos.com/artista/trabalhos-de/gilmar-machado-barbosa-gilmar/5473. Acesso em: 2 dez. 2021.
 
Lista Premiados Vladimir Herzog todas as edições. 43º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia & Direitos Humanos. [s.d]. Disponível em: https://premiovladimirherzog.org/lista-premiados-vladimir-herzog-todas-as-edicoes/. Acesso em: 2 dez. 2021.
 
NARANJO, Marcelo. Álbum do cartunista Gilmar nas bibliotecas de escolas públicas. Notícias. Universo HQ. 5 abr. 2007. Disponível em: https://universohq.com/noticias/album-do-cartunista-gilmar-nas-bibliotecas-de-escolas-publicas/. Acesso em: 3 dez. 2021.
 
RAMOS, Paulo. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Editora Contexto, 2009. 2 ed. 160 p.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »