08/10/2021 às 00h39min - Atualizada em 07/10/2021 às 23h36min

O Museu do Futebol muito além do esporte

Fora das quatro linhas, o futebol também se faz presente na construção da nossa cultura, identidade e memória.

Dayane Cibelle - Revisado por Isabelle Marinho
Museu do Futebol
O museu nos faz pensar em nossa identidade pelo futebol. (Foto / Reprodução: Museu do Futebol)
O Museu do Futebol é um espaço cultural voltado para contar a história do futebol brasileiro e mundial. Mas, além disso, é possível adentrarmos ainda mais e conhecermos na prática o quanto este esporte tem influência e impacto direto na construção da cultura brasileira, tornando-se assim, parte da nossa identidade. Conheça um pouco mais do museu abaixo.

SALA DAS ORIGENS

A sala das origens nos conta através de imagens marcantes como foi a chegada do esporte no Brasil. Para quem pensa que o futebol surgiu no nosso país de uma hora para outra, está enganado. O Charles Miller, brasileiro, mas descente de ingleses, foi o responsável por trazer o futebol ao Brasil no ano de 1894, quando retornou da Europa após um período de estudos. Em sua bagagem, ele trouxe duas bolas, uma chuteira e um livro de regras do esporte, porém, naquela época o futebol era limitado às elites brancas. Assim, os pobres, os negros e os mestiços eram proibidos de jogar bola e sequer podiam frequentar os estádios, a escravidão havia sido extinta há pouco tempo e os negros não eram aceitos pelos clubes para praticar o esporte.

O reflexo da época era escrachado nas imagens que se tinha dos estádios: homens e mulheres ricos, brancos, muito bem vestidos com ternos e vestidos longos, a formalidade era a palavra que definia. A exclusão do povo afro-descendente era um problema social que persistia e impedia o desenvolvimento da real identidade do país, isso refletia, inclusive, dentro de campo. Tudo era importado de fora, até mesmo as expressões usadas nos jogos, como utilizar a palavra “match” para se referir a “partida de futebol”. Esse ainda não era o Brasil.

Com o passar de algumas décadas e com o fim das proibições, o esporte se tornou cada vez mais popular, saindo do nicho das elites e chegando até as comunidades, onde finalmente driblou os preconceitos e virou um símbolo nacional acessível, não só para quem jogava, mas também para quem assistia. Brancos, negros, ricos e pobres, patrões e empregados, esse é o poder do futebol, de aproximar classes sociais que outrora não seria possível.
 
A sala das origens conta tudo isso e muito mais, nela passeamos pela literatura, música, artes visuais e dança. Nos mostra quem são os nossos heróis que exportaram o nome do país de forma tão singular e autêntica, sem imitações da cultura europeia branca e elistista.

SALA COPAS DO MUNDO

Esta exposição faz um tour pelas conquistas das copas do mundo e, ainda, faz um paralelo com os acontecimentos históricos nos anos das copas. É, verdadeiramente, uma viagem no tempo para momentos marcantes da história do Brasil e do mundo, é um espaço rico em curiosidades e em fotos fenomenais que falam por si só. Você entra nesta sala com uma perspectiva e sai com outra, é realmente uma imersão em cada década. Vale muito a pena gastar um tempo nessa exposição vendo foto por foto.

[EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA] TEMPO DE REAÇÃO - 100 ANOS DO GOLEIRO BARBOSA

Este ano completa 150 anos da invenção do goleiro no futebol, função que só foi inventada anos após a criação do esporte, e o homenageado desta exposição foi o goleiro Moacyr Barbosa (1921-2000), um craque de bola e homem negro de muita garra. A trajetória de Barbosa nos ensina muito sobre o racismo em nosso país, pois, por muito tempo, mesmo sendo considerado um dos maiores craques da sua geração, Barbosa carregou o fardo de ser responsabilizado pela derrota do Brasil na final da copa de 1950 no Maracanã.

O nosso futebol é mundialmente conhecido graças ao futebol arte de protagonistas negros, que trouxeram e continuam trazendo alegria para os brasileiros através deste esporte que é uma das maiores paixões do nosso povo.

A exposição frisa a causa antirracista dentro e fora das quatro linhas, pois esse jogo não se faz apenas com 11 jogadores, mas sim com toda uma nação, ou melhor, várias nações. Jogamos no mesmo time, coletivamente em prol de denunciar o racismo que estrutura o futebol e a sociedade brasileira.


O Museu do Futebol é um visita obrigatória não só para quem gosta do esporte, mas para quem está a fim de conhecer um pouco mais sobre a construção da identidade do Brasil. O museu fica situado na Praça Charles Miller em São Paulo e as visitas podem ser agendadas pela plataforma Sympla. Para mais informações sobre a visitação, basta acessar o site do próprio museu.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »