16/08/2021 às 21h30min - Atualizada em 16/08/2021 às 22h14min

5 histórias em quadrinhos nacionais que todos deveriam conhecer

Joérica Cunha - Editado por Fernanda Simplicio
As histórias em quadrinhos são uma grande porta de entrada e estimulo para a leitura - quem nunca leu uma história da Turma da Mônica na infância ou na vida adulta, e descobriu uma nova paixão?!

Quando se fala em histórias em quadrinhos logo nos vem em mente a Marvel Comics e a DC Comics com os seus inúmeros super-heróis de sucesso, mas, o universo geek dos quadrinhos não se resume apenas as grandes editoras norte-americanas, mas o mercado nacional de quadrinhos vem crescendo cada vez mais e ganhando mais espaço, principalmente por conta da aposta dos autores independentes e das editoras na utilização de financiamentos coletivos para publicar suas obras.

O público consumidor de histórias em quadrinhos estão cada vez mais procurando pelo produto nacional, influenciando diretamente nesta construção de mercado forte. Apesar do grande avanço na produção e circulação das obras nacionais, ainda existe uma forte preferência do público pelas histórias produzidas pelas grandes editoras estrangeiras, mas isso não significa que os nossos autores não produzam boas histórias também.

E por que não apoiarmos cada vez mais o nosso mercado e os nossos artistas, e conhecermos essas cinco obras incríveis que valem a pena serem lidas?
 
  1. Revolta da Vacina, de André Diniz:

        A história tem como plano de fundo a crise social e sanitária que o Rio de Janeiro, então capital federal, viveu    em 1904. Enquanto o país tentava se ajustar à recente mudança de sistema de governo, do Império para a República, proliferavam-se as moléstias causadas pelo saneamento precário, e por mosquitos e ratos, como a varíola, a febre amarela e a peste bulbônica.

E acompanha o fio narrativo do drama de Zelito, um boêmio e amargurado artista que vê seu irmão, falecer e obrigá-lo a sair de Fortaleza na busca de tornar-se o “homem da família”.





 
  1. Periferia Cyberpunk, coletânea organizada pelo quadrinista e editor Raphael Fernandes:

       A HQ nos apresenta a realidade dos avanços tecnológicos, que ao prometer uma sociedade mais evoluída e próspera, entrega cada vez mais um abismo social que divide os miseráveis e os alienados que vivem sorrindo nas redes sociais. Além de trazer a reflexão que quanto mais desenvolvidas e difundidas as nossas ferramentas, pior é a qualidade de vida da população.

Além de Raphael Fernandes, a HQ conta também com a colaboração de Airton Marinho, Guilherme Wanke, Cauê Marques, Lucas Barcellos, Antonio Tadeu, Larissa Palmieri, Bruna Oliveira, Braziliano, Cassio Ribeiro, Jean Sinclair, Thiago Lima, Azrael de Aguiar, Akemy Hayashi e Doc Goose.



 
  1. Luzes de Niterói, de Marcello Quintanilha:


    Em Luzes de Niterói, cuja trama se passa nos anos 1950, o autor retoma um tema/personagem que lhe é particularmente caro: Hélcio Quintanilha, o então promissor beque direito do Canto do Rio Foot-Ball Club – e protagonista de sua graphic novel inaugural, Fealdade de Fabiano Gorila. Seu pai.

Enquanto linguagem quadrinística, o que vem à tona em Luzes de Niterói é o uso de uma temporalidade distinta daquelas já utilizadas por Quintanilha em outras obras.






 
  1. O Elísio: uma jornada ao inferno, de Renato Dalmasso:

     O Elísio Uma Jornada ao Inferno de Renato Dalmaso é uma belíssima HQ que conta com mais de 90 páginas e traz a história completa do soldado Eliseu e seus companheiros em meio a Segunda Guerra Mundial.

A obra faz uma rápida contextualização e já nos mostra Eliseu chegando na Europa para começar a participar dos confrontos com sua unidade, e leva o leitor a uma jornada direta aos horrores da guerra e se concentra em mostrar todo sofrimento que o conflito traz aos soldados e a todos os envolvidos.





 
  1. Angola Janga, de Marcelo D’Salete:

        Em Angola Janga: Uma História de Palmares, obra de Marcelo D’Salete, temos a possibilidade de conhecer mais a fundo sobre um episódio tão importante quanto mistificado da história brasileira: os últimos anos do famoso quilombo de Palmares.

Lideranças negras, além de Zumbi, são apresentadas ao longo dos capítulos do quadrinho, mostrando a disputa por liberdade que travam com os brancos e a disputa de poder que travam entre si, dividindo-se basicamente entre aqueles que querem permanecer em Angola Janga  e os que desejam ir para terras cedidas pelo imperador, chamadas Cucaú.





Referências: 

Cirne, Pedro. Conheça 3 clássicos das HQS brasileiras. Hábito de quadrinhos, 30 de jan. 2021. Disponivel em: < http://habitodequadrinhos.com.br/2021/01/30/dia-do-quadrinhonacional-conheca-3-classicos-das-hqs-brasileiras/ > Acesso em 09 de ago. de 2021. 

Baptista, Alexandre. As melhors HQS brasileiras. Ultimato do Bacon, 21 de jun. de 2021. Disponível em: < https://ultimatodobacon.com/as-melhores-hqs-brasileiras/  > Acesso em: 09 de ago. de 2021. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »