30/04/2022 às 16h38min - Atualizada em 30/04/2022 às 15h54min

Uma década de Vingadores nos cinemas e o desenvolvimento do Universo Cinematográfico da Marvel

Após anos de discussões e construções, os heróis estavam finalmente juntos nas telonas naquele que seria o primeiro filme do grupo no MCU

Luann Motta Carvalho - Editado por Ana Terra
Quando estamos falando de cinema, talvez pareça paradoxal, à primeira vista, apontar um filme como o início de um projeto e, ao mesmo tempo, a consolidação do mesmo. No entanto, basta falar de Os Vingadores (2012) e inevitavelmente os fãs da Marvel vão entender porque essa classificação faz bastante sentido.

A trajetória já é conhecida: Homem de Ferro (2008) se apresenta como o primeiro longa que estabeleceria a construção desse universo e logo depois, viriam O Incrível Hulk (2008), Homem de Ferro 2 (2010), Thor (2010) e Capitão América: O Primeiro Vingador (2011). Com isso, a junção dos heróis foi a conclusão da primeira fase da Saga do Infinito, mas o pontapé inicial da formação dessa equipe. O clímax ainda estava por vir.

Contudo, muitas pessoas não lembram, ou até mesmo não sabem, mas o desenvolvimento desse universo não estava começando nos anos 2000, quando as adaptações de HQs estavam finalmente se solidificando.

Tecnicamente, as primeiras tentativas da Marvel de realizar um crossover dos personagens nos quadrinhos vem desde os anos 60. Além disso, os primeiros planos para colocar os heróis nas telas surgem nas décadas de 70 e 80, com séries e telefilmes como Homem-Aranha, Doutor Estranho e o memorável Capitão América – sim, aquele Capitão que usa capacete. É impossível não citar também Howard, O Super Herói (1986), o primeiro longa-metragem baseado em um personagem da editora a sair nos cinemas, contando com a produção do cineasta George Lucas. Uma escolha deveras inusitada e que acabou não tendo força suficiente para dar certo.
Pois bem, a maioria desses projetos tiveram o mesmo resultado de Howard e não obtiveram sucesso. Não obstante, as falhas se tornariam tragédia quando a Marvel declarou falência nos anos 90, época em que as HQs da editora despencaram nas vendas. Nesse contexto, seriam vendidos os direitos de diversos personagens, como Hulk, Homem-Aranha e os grupos X-Men e Quarteto Fantástico.

Com isso, depois dessa volta no tempo, voltemos aos anos 2000, período em que a Marvel iniciou o planejamento de filmes com produção independente e um acordo de distribuição com a Paramount Pictures. Esse projeto surgiu devido aos baixos lucros que a empresa teve com filmes que eram lançados em meio aos acordos de licenciamento com outros estúdios, como a Sony e a Fox.

E assim, chegamos no MCU e nos Vingadores. Com a criação da Marvel Studios, Kevin Feige seria nomeado chefe do estúdio e o produtor já imaginava o desenvolvimento de um universo compartilhado, algo que Stan Lee e Jack Kirby realizaram anteriormente nos quadrinhos. A ideia recebia avaliações negativas do diretor da divisão de filmes da Marvel, Avi Arad. Ele deixaria a empresa, após supostos desentendimentos com Feige – apesar de Arad estar envolvido na produção de Homem de Ferro (2008) e o Incrível Hulk (2008), além de outros filmes.
 

Em meio ao cenário de gradações no estúdio, Kevin Feige acertou em cheio. O produtor transportaria toda a carga nostálgica dos amantes das HQs para as telas e formaria um império. O maior objetivo era o sonho de todo fã da Marvel: juntar todos os heróis dos filmes solos e produzir um longa dos Vingadores.
Porém, a missão não era nada fácil. Afinal, tentativas de junção de personagens já existiam e a saga X-Men foi a que chegou mais perto de ser um grande sucesso, mas que ainda assim, apresentava suas falhas, como um protagonismo exacerbado do Wolverine. Nesse sentido, destaca-se um ponto favorável em Os Vingadores: o roteiro é redondo, os diálogos são bem encaixados e consequentemente, os personagens principais tem um tempo de tela proporcional aos arcos ilustrados, levando em conta tudo que havia sido estruturado nas narrativas que já tinham sido apresentadas em outros títulos.

De fato, Os Vingadores possui sua dose de pioneirismo. Nunca havia acontecido uma união de heróis dessa forma antes. Nenhum personagem “roubou espaço” e a química dos atores era visível. É até válido mencionar a introdução de Mark Ruffalo como Hulk, depois da saída de Edward Norton. A atuação de Ruffalo é um símbolo da carga dramática que o Gigante Esmeralda carrega. Um mérito ser destaque no meio do elenco profundamente estrelado do filme.
Dez anos após o lançamento desse filme-evento, podemos discutir aspectos técnicos do roteiro e analisar os efeitos visuais da produção, que não envelheceram muito bem. Entretanto, permanece na memória de quem assistiu o longa na época a oportunidade de acompanhar Capitão América, Homem de Ferro, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro, juntos, derrotando Loki e salvando o dia em Nova York, além de ter a chance de ver o quartel general da S.H.I.E.L.D. sendo comandado por Nick Fury.

E o que dizer da cena pós-créditos que indicava a futura aparição de Thanos? Somente anos depois teríamos a real noção dessa parte. Uma pequena exibição do que viria a ser um universo grandioso e que contaria com mais três obras cinematográficas dos Vingadores: Era de Ultron (2015), Guerra Infinita (2018) e Ultimato (2019) – inclusive, sem esquecer Capitão América: Guerra Civil, o famoso “Vingadores 2.5”.

A história foi feita. Os Vingadores é um marco das adaptações cinematográficas dos quadrinhos, seja pelos antecedentes ou por suas várias qualidades. Se hoje acompanhamos filmes e séries do MCU, o legado dessa “primeira consolidação” é enorme.
REFERÊNCIAS:
CUNHA, Gustavo. "O dia em que a Marvel faliu!". GUSTAVO CUNHA. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=o1ELd1GQLEE>. Acesso em: 29 de abril de 2022.
FIAUX, Gus. "10 filmes antigos da Marvel que você não conhece ou não se lembra". LEGIÃO DOS HERÓIS. Disponível em: <https://www.legiaodosherois.com.br/lista/10-filmes-antigos-marvel.html>. Acesso em: 29 de abril de 2022.
SANTOS, PH. “OS VINGADORES: Marcando história! (Marvel The Avengers, 2012) | Crítica”. PH SANTOS. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Xvcheh47_Fs>. Acesso em: 29 de abril de 2022.
SILVEIRA, Andhora. “Resenha do filme de HQ que fez história no cinema”. MANIA DE GIBI. Disponível em: <https://blogmaniadegibi.com/2012/05/resenha-the-avengers-os-vingadores-2012/>. Acesso em: 29 de abril de 2022.
SOUSA, Camila. "Quem é o produtor que recebeu agradecimentos em Homem Aranha: Sem Volta Para Casa?". JOVEM NERD. Disponível em: <https://jovemnerd.com.br/nerdbunker/homem-aranha-sem-volta-para-casa-quem-e-avi-arad/>. Acesso em: 29 de abril de 2022.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »