22/05/2022 às 21h28min - Atualizada em 22/05/2022 às 21h27min

Dia do Orgulho Geek | Quem são os Cosplayers? Entenda um pouco mais sobre essa atividade

Os cosplays tiveram origem nos Estados Unidos em 1970, após uma convenção permitir que pessoas fantasiadas de super-heróis ganhassem entrada gratuita

Pedro Henrique dos Santos - Editado por Ana Terra
Heyoon do Now United, Sakura do Naruto e Princesa Leia da Saga Star Wars por Gisele Emiko (Fotos: Gisele Emiko)

Se você já frequentou algum evento Geek ou de cultura pop provavelmente já se deparou com pessoas fantasiadas de algum personagem. Essas fantasias podem ser de filmes, séries, histórias em quadrinhos, mangás, vídeo games ou qualquer outra mídia, e essas pessoas são chamadas “cosplayers”.

 

Ser um cosplayers ou cosplay não é apenas se fantasiar, o termo cosplay vem do inglês, formado pela ligação das palavras costume — fantasia — e roleplay — encenação/interpretação, ao fazer um cosplay a pessoa se transforma naquele personagem, realizando os comportamentos dele.

 

Muitas pessoas acreditam que a atividade tem origem no Japão, até pela maioria dos cosplayers serem inspirados em animes e mangás, porém essa atividade tem origem nos Estados Unidos (EUA), e iniciou-se em 1970 após uma convenção permitir que pessoas fantasiadas de super-heróis ganhassem entrada gratuita.

 

A maioria das pessoas usa o cosplay como um hobby, para interpretar seu personagem preferido, mas também existem pessoas que trabalham com essa atividade, como atriz e dançarina Gisele Emiko, que trabalha como cosplay em festas de aniversários.

 

Gisele entrou no mundo dos “cosplayers” recentemente, um pouco antes da pandemia, ela fazia festas de aniversários vestida não de cosplays, mas sim de fantasias de bonecos:

 

“Um pouco antes da pandemia eu comecei a fazer eventos de aniversários, comecei fazendo bonecos, quando colocamos a cabeça do personagem com os figurinos”.

 

Com o retorno das atividades presenciais, Gisele retornou aos trabalhos em festas de aniversários, e nesse momento muitas pessoas comentavam que ela poderia fazer cosplays de alguns personagens, influenciados por essas pessoas ela começou a fazer alguns personagens.

“Algumas pessoas viram no meu perfil no instagram [@giemiko] e começaram a comentar ‘ah você poderia fazer a Hinata’, personagem do anime Naruto, então eu fiz a Hinata e fiz também algumas princesas e aí comecei assim”. — nos conta Gisele

 

A primeira vez que Gisele se produziu como cosplay foi em 2018 na Comic Com Experience — CCXP, customizada de Emília do Sítio do Pica-pau Amarelo de 1983, mas foi algo que ela só fez para o evento mesmo, não pensava em seguir carreira de cosplay até então.

 

Fiz a Emília na CCXP de 2018, mas não era algo que fazia sempre, na verdade, foi só daquela vez e depois não fiz mais. Porém, agora que voltei a fazer os eventos de aniversário voltei a fazer mais cosplay” — nos conta Gisele

 

Ser cosplay não é uma tarefa fácil, a pessoa precisa ficar o mais parecido com o personagem que quer interpretar, normalmente é necessário fazer a própria roupa ou comprar a roupa em lojas de fantasias.

 

Mas fazer o cosplay também é uma experiência incrível, é uma oportunidade que muitos têm para viver em um mundo que não existe e ter experiências incríveis dividindo isso com outras pessoas, como nos conta Gisele:

 

“Eu gosto bastante, porque eu tenho a oportunidade de atuar, e as pessoas recebem sempre muito bem, querem sempre tirar fotos, conversam, eu acho muito legal [...] já fiz evento que tinha que ir embora e demorei 40 minutos pra conseguir sair porque queriam tirar foto, já fui em estreia de filme fantasiada e quase perdi a sessão, mas é bem legal”.

 

“Cospobre”

 

O “cospobre” não deixa de ser um cosplay, na verdade, podemos dizer que seja um primo pobre, ou sem recursos do cosplay, nele a pessoa recorre a alternativas baratas para se fantasiar do seu personagem favorito.  

 

Para realizar um “cospobre” basta ter criatividade, bom humor e qualquer material que você tenha em casa que sirva para imitar a roupa do personagem.

 

Na CCXP de 2016, o produtor de audiovisual Silvio Massao decidiu se customizar de um personagem da saga Star Wars, Finn, um Stormtrooper  — os Stormtroopers são a tropa de base do Império Galáctico do universo Star Wars, Finn é um Stormtrooper que sai da tropa e fica ao lado da resistência — porém da versão “cospobre”.

 

“Quando eu comecei a ir na CCXP, eu vi ali que era um universo que você podia ser realmente quem quisesse [...], mas como as condições financeiras para fazer um cosplay decente não era uma prioridade pra mim, por que custa milhares de reais, eu tentei fazer algo mais engraçada e divertida e que homenageasse a saga que eu tanto gosto”. — nos conta Silvio

 

Para produzir a sua fantasia Silvio contou com ajuda da sua mãe, e os únicos materiais que ele precisou comprar foram: uma tampa de vaso sanitário e cartolinas preta e branca. Os outros materiais utilizados foram pegos da sua própria casa: um balde azul para o capacete, que de início era azul, mas com fita crepe ficou branco, duas garrafas de bebidas energéticas, uma roupa preta, uma cueca branca, uma arminha de brinquedo e muita fita crepe.

 

Apesar de ser uma versão mais em conta, e menos produzida de um cosplay, o “cospobre” também sempre faz muito sucesso nos eventos como nos conta Silvio:

 

Eu não consegui ver tudo que eu queria ver naquele dia, de minuto a minuto as pessoas me paravam, fui chamado para várias transmissões ao vivo, sai em várias páginas do facebook [...] e me senti muito bem com tudo isso, vi que dá pra brincar de ser o seu personagem favorito sem gastar tanto [...] eu fiz com as coisas que tinha em casa e deu super certo”.

 

REFERÊNCIAS:

Agência EFE. “Cospobre”: as fantasias baratas que fazem sucesso entre nerds brasileiros. 2014. Disponível em: <https://epocanegocios.globo.com/Informacao/Acao/noticia/2014/11/cospobre-fantasias-baratas-que-fazem-sucesso-entre-nerds-brasileiros.html>. Acesso em 20 de maio de 2022 às 18h03.

DANTAS, Gabriela Cabral da Silva. Cosplay. 2022. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/artes/cosplay.htm>. Acesso em: 17 de maio de 2022 às 12h07.

Significados. Cosplay. O que é cosplay. 2022. Disponível em: <https://www.significados.com.br/cosplay/#:~:text=Cosplay%20%C3%A9%20um%20termo%20em,fict%C3%ADcios%20da%20cultura%20pop%20japonesa>. Acesso em 17 de maio de 2022 às 12h25.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »