01/06/2022 às 15h00min - Atualizada em 01/06/2022 às 12h14min

A violência sexual contra crianças e adolescentes refletida em produções audiovisuais

Inacreditável, O Conto e Graças a Deus são algumas das obras que abordam o tema.

Lívia Nogueira - Revisado por Flavia Sousa
Os produtos audiovisuais buscam atentar para a sensibilidade do tema de abuso sexual contra menores de idade. (Foto: The Tale/ Divulgação/ Gamechanger Films).
O mês de maio é dedicado nacionalmente à reflexão e ao fortalecimento do combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Diversas campanhas e ações indicam aspectos como os sinais de casos, os meios de denúncia e as diversas problemáticas que envolvem esse fenômeno. Determinados produtos audiovisuais retratam algumas dessas realidades e propagam informações importantes sobre o assunto.
As narrativas criadas para produtos como séries, filmes e documentários, sejam eles ficcionais ou não, são um efetivo artifício para ampliar o debate sobre questões sociais consideradas tabus à ótica do senso comum. O audiovisual possui liberdade artística para representar essas problemáticas de forma sutil ou fiel à realidade, indo dos estereótipos até as particularidades, ou seja, construindo a produção de acordo com a profundidade que se objetiva atingir com ela.
No caso de produtos que abordam a questão da violência e do abuso sexual contra crianças e adolescentes, existe a consideração acerca da sensibilidade do tema, que tem como figuras centrais indivíduos abaixo da maioridade que são vítimas disso. Perfis de agressores, traços físicos e psicológicos das violências e meios de denúncia são alguns dos fatores exibidos nesse tipo de obra.
 As seguintes produções são referências nessa temática:
Inacreditável (Título original: Unbelievable)

A série
possui oito episódios e viaja pelas histórias de diferentes adolescentes, sendo a principal delas Marie Adler, que foram vítimas de abuso sexual por Marc O’Leary, um estuprador em série, que, na obra, é nomeado de Chris McCarthy. Os casos são fatos reais e, durante toda a produção, o enfoque é dado à desconfiança e à insensibilidade no âmbito investigativo. Isso denota a intitulação da série e evidencia uma problemática relevante, que afasta as vítimas das denúncias e dificulta o processo de punição dos agressores. A série está disponível na Netflix.
Assista aqui o trailer de Inacreditável
O Conto (Título original: The Tale)
Jennifer Fox, representada pela atriz Laura Dern, é a protagonista do filme. A documentarista é obrigada a revisitar um trauma de sua infância, após um antigo trabalho de escola ter sido encontrado por sua mãe. Nesse registro, a menina de 13 anos havia descrito a sua relação com dois treinadores de acampamento da época. Aspectos da revisitação da memória e do fato, após um longo tempo, são os destaques. O produto pode ser acessado na HBO Max.
Assista aqui o trailer de O Conto
Graças a Deus (Título original: Grâce à Dieu)

O filme retrata um dos espaços mais citados quando se trata do assunto do abuso sexual contra crianças e adolescentes: o ambiente religioso. Muitos casos são retratados nesses locais e, inclusive, o que é narrado nesse filme é baseado em fatos reais. Alexandre publica, depois de adulto, uma carta que denuncia as experiências de abuso vividas com um padre da Igreja Católica, na França. A impunidade e a manipulação da fragilidade e da fé são pautas de enfoque na obra. Plataformas como a AppleTV e o GloboPlay comportam o produto de forma paga.
Assista aqui o trailer de Graças a Deus
No mesmo sentido da produção anteriormente citada, o filme Spotlight trata de uma série de casos de pedofilia no espaço religioso. Um grupo de jornalistas é retratado na investigação dessas histórias, revelando segredos e promovendo relatos reais. O filme ganhou dois prêmios no Oscar 2016 e está disponível na plataforma Star+ e na AppleTV para compra ou aluguel.

Assista aqui o trailer de Spotlight
Mundo sem Porteira



Esse produto trata-se de um documentário brasileiro, que possui um recorte bastante específico: conscientização sobre violência e abuso sexual contra crianças e adolescentes nas estradas. Esse ambiente é outro cenário recorrente desses casos e o curta-metragem, de 27 minutos de duração, por isso, contempla depoimentos de especialistas, caminhoneiros e líderes de órgãos de defesa desses indivíduos. O documentário pode ser assistido no Youtube.
Assista aqui o trailer de Mundo sem Porteira
As denúncias de casos de abuso e violência sexual contra crianças e adolescentes podem ser feitas pelos seguintes canais: o aplicativo Direitos Humanos Brasil, WhatsApp (61) 99656-5008 e Telegram "Direitoshumanosbrasilbot" - digitado na busca, além do Disque 100.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »