05/06/2022 às 16h05min - Atualizada em 05/06/2022 às 16h56min

Tico e Teco: Defensores da Lei é surpresa do ano no Disney+ mesmo com sua loucura toda

Além de ser a surpresa do ano, Tico e Teco: Defensores da Lei mostra que fazer um filme divertido é mais fácil do que parece

Bruno Cunha - Editado por Fernanda Simplicio

Um dos dogmas do Disney+ tem sido trazer os produtos de diferentes décadas para novos públicos. Novas gerações têm acesso a programas e filmes que marcaram de alguma uma geração de fãs. Assim como Tico e Teco: Defensores da Lei foi algo diferente da década de 90. O grupo era uma parada obrigatória para quem gosta de desenhos. E o tempo passou, para quem assistia e para os personagens (Oi?).

 

Sim, o novo filme live action da plataforma é uma continuação direta da animação e imagina como os personagens estão após o término de exibição da série. Sim, eles envelheceram e nós também. E a premissa que parece para toda família e ser divertida se mostra maior do que os trailer mostraram. 

 

Imagina um filme sobre encontrar o seu lugar, sobre superação e principalmente entender sua posição no mundo. Agora, imagina dois esquilos animados ligados a isso. O protagonismo dos dois pode até ser simplista, mas é maior que diversos produtos que a plataforma lançou recentemente. 

 

E a continuação incorpora bem os elementos de cada época de exibição, seja pelos anos 90 e os dias atuais. O roteiro entende o melhor caminho para contar a história do grupo pelo olhar dos esquilos, como foi na série animada. E em alguns momentos parece que o tempo não passou, como aquele amigo que vive em uma época diferente da corrente, como se não fosse nada.

 

O longa é uma mistura louca de traços, desenhos e seres humanos, como se o universo das animações Disney fossem reais, e os personagens existissem no nosso mundo como atores normais. O espectador precisa de um tempo para entender as escolhas do roteiro de Akiva Schaffer (Saturday Night Live), mas nada que demore muito tempo.

 

E mesmo sendo um desenho com classificação livre, ele aborda a vida adulta com perfeição, mesmo com alguns clichês pelo caminho, como o sucesso da dupla e depois cada um vai para um lado, com o término do trabalho. E isso é incorporado para todo o grupo, que retorna como coadjuvante, mas é fácil de se identificar com alguns deles.

 

A trama de aventura é segura, seguindo as resoluções esperadas (Onde podemos ver o peso do selo Disney), onde por mais que tenhamos temas adultos, verificamos uma sequência esperada. Além claro, da dupla salvar o dia no final das contas. 

 

A fluidez é interessante, mesmo com os elementos comuns, você se diverte e ri com as aparições, e se sente com um espectador de luxo dos dois esquilos. Pode não ter surpresas, mas o caminho é delicioso e com easter-eggs que muitos não esperam, de nenhuma forma. 

 

Estas aparições entretém a sua forma, algumas não são espetaculares, mas outras vão colocar uma expressão de surpresa no seu rosto. Afinal, algumas nem parecem possíveis, mesmo em um filme doido como esse. 


Tico e Teco: Defensores da Lei é o exemplo de uma boa ideia e sua execução, acaba sendo o primordial E se der para se divertir no caminho, melhor ainda. 

REFERÊNCIA

 
Sadovski, R Surpresa do ano: novo 'Tico e Teco' não tinha nem o direito de ser tão bom UOL Disponível em: <https://www.uol.com.br/splash/colunas/roberto-sadovski/2022/05/24/surpresa-do-ano-novo-tico-e-teco-nao-tinha-nem-o-direito-de-ser-tao-bom.htm >. Acesso em 31 de maio.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »