02/07/2022 às 20h11min - Atualizada em 02/07/2022 às 20h00min

Minions 2: A Origem de Gru diverte mesmo com uma aventura simples

O longa diverte, mostra novamente o encantamento com os personagens, e ainda traz uma história sobre família e companheirismo

Bruno Cunha - Editado por Fernanda Simplicio


Meu Malvado Favorito é uma franquia de sucesso, que perdeu sua força conforme as sequências foram saindo do cinemas, mas um acerto dos três filmes são os Minions, os personagens secundários conquistaram o público. A Illumination Entertainment entendeu isso, lançando Minions (2015) e a agora Minions 2: A Origem de Gru, uma continuação que mostra o começo da amizade entre eles.

O longa é situado na juventude de Gru (Leandro Hassum), então temos referências aos anos 70 e 80, mas referências estão em mostrar os vilões (ou super heróis) que o protagonista é fã, e quer se juntar para se tornar poderoso. O roteiro de Matthew Fogel usa algo fora do comum, para mostrar à criança a busca pelo seu sonho.

E como esperado, o filme é divertido, com muitas formas de fazer rir. O problema é quando há a superação do personagem, Gru e Minions se separaram em alguns momentos, isso traz algo que atrapalha o balanceamento da história, já que ambos os arcos tendem a trazer informações diferentes.



O traço é algo esperado, dentro do estúdio, o que surpreende é justamente as novidades dos minions que o longa tenta apresentar, como as novas habilidades, e sua adaptação ao meio. Não sofreu nenhuma grande alteração ao longo das tramas. Não há nada de novo aqui.

A trama pode ser divertida para crianças e adultos, mas tem uma narrativa para ambos, afinal busca divertir um e entreter o outro. A criança se divertirá e adulta terá uma mensagem para ele, mesmo que subliminar, o filme se preocupa com as diversas faixas etárias. 

As partes engraçadas são todas em cima das criaturas, seja pelos diálogos deles ou pelas ações. É impossível ficar a parte do que ocorre em tela. O roteiro explora o que esperamos e ainda traz algumas loucuras inéditas, mostrando que os personagens não têm sinais de desgaste. 

O arco de Gru é mais adulto, mesmo ele sendo uma criança aqui. Ele busca encontrar e perseguir seu sonho como vilão, trazendo aquela máxima da criança se espelhar em um adulto. E ter seus super heróis (No caso aqui, vilões) para se espelhar, mesmo com toda loucura que é esse filme, há alguma realidade em algumas cenas.



Mesmo com dois arcos separados, minions e Gru, o roteiro não traz nenhuma surpresa nas trocas de atos. Novamente a Illumination faz um filme seguro, sem grandes trocas ou alguma sensação de perigo. A leveza do começo é a mesma em todo o filme. Ele diverte e só.

Aqui temos um melhor uso do universo dos personagens ao menos, temos bastante referências ao universo de Meu Malvado Favorito, seja por indicar os vilões do futuro ou pequenos easter eggs mostrando detalhes da franquia. Temos um melhor aproveitamento do que ocorre em cena.


Minions 2: A Origem de Gru não é algo de destaque nas animações deste ano, mas tem uma aventura divertida, que irá entreter as crianças com as criaturas amarelas. Um bom passatempo para eles, apenas.

REFERÊNCIA

 
Strazza, P Minions 2 se embanana com filme de origem que preza pela desatenção Omelete Disponível em: <https://www.omelete.com.br/filmes/criticas/minions-2-se-embanana-com-filme-de-origem-que-preza-pela-desatencao>. Acesso em 30 de junho.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »