27/08/2022 às 12h24min - Atualizada em 27/08/2022 às 12h07min

UcconX: os erros do "maior festival de cultura pop da América Latina”

Lívia Batista, João Vitor e Gabriela Serrano - Editado por Fernanda Simplicio

Muitos conhecem a história de Ícaro, o jovem filho do inventor Dédalo que voou muito perto do sol usando asas unidas por cera. Apesar do conhecimento de não tentar ir além do que se pode alcançar ser difundido, a UcconX não ouviu esses conselhos e será lembrada por cair num mar de críticas e erros. 

 

Desde seu início o evento se propunha ser o “maior festival de cultura pop da América Latina” e concorrente direto da Comic Con Experience (CCXP). De acordo com informações que um ex-funcionário colocou em uma thread no Twitter, o projeto apresentado para eles era de 140 mil m2 de área, realizado na Vila Olímpia, em São Paulo, e executado pela mesma empresa responsável pela abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

 

A falta de organização e os problemas do evento se manifestaram primeiro entre os próprios funcionários responsáveis por organizar o evento. Segundo os relatos, entre os próprios sócios existia uma diferença de tratamento de dois deles para com um terceiro.

 

Os trabalhadores contratados também passaram por experiências ruins. Uma das reclamações apontadas é o atraso de salários. A data de resolução do problema era sempre postergada e a desculpa era de que o novo sócio do evento tinha dinheiro preso no Banco Safra. 

 

Para além do não pagamento, também houveram relatos momentos em que os responsáveis por decisões não ouviram as indicações de sua equipe, como quando disseram que o site não estava pronto para que fosse aberta a venda de ingressos, e de agressão física a uma servidora terceirizada por parte de um dos sócios da empresa.

 

As atitudes erradas que foram tomadas dentro de um projeto que tinha potencial para ser marco dos eventos geeks no Brasil acabaram frustrando os objetivos, machucando e descumprindo o básico para com os principais responsáveis de fazer a magia acontecer: os próprios trabalhadores. 
 

 

O exagero nas redes

Mesmo diante de tantas polêmicas e críticas, muita coisa sobre o festival foi compartilhada de uma forma exagerada na tentativa de o boicotar e tornar a imagem ainda mais negativa, mas isso só fez com que o evento ficasse mais famoso e que não saísse das trend topics do Twitter.  

 

É o que me faz pensar sobre como o exagero em torno dos comentários fez uma base para que o evento se tornasse ainda mais conhecido, criando uma possibilidade de que algumas coisas podem ter sido calculadas e planejadas de uma forma não muito inteligente, mas funcional.  

 

Basicamente, o marketing e social media do evento, com trabalhos de divulgação precários, mal organizados e com atualizações fracas nas redes sociais, foram fortalecidos através do hate. As interações no Twitter ou insights no Instagram nos dias pré-evento foram conquistadas na base da polêmica.   

 

Um dos exemplos de exagero usado para boicotar o evento, presente em alguns vídeos e comentários, foi o de que a Millie Bobby Brown sequer sabia que estava cotada para participar de um dos dias da UcconX. Isso foi compartilhado intensivamente, assim que a nota sobre o cancelamento da presença da atriz foi divulgada.   

 

Tudo cai por terra em uma simples pesquisa no Youtube da empresa responsável pelo evento, a BBL. A atriz foi divulgada durante uma live há alguns meses atrás, com direito a vídeo falando sobre como estava ansiosa para retornar ao Brasil.  

 

O assunto quando se é muito falado na internet, garante likes e likes garantem mais público, esse é um movimento natural de discussões online. Foi seguindo essa ideia que algumas pessoas usaram relatos do evento somados a exageros e sensacionalismo para garantir mais visibilidade. Muitas delas, como a citada anteriormente sobre a Millie, poderiam ter tido a veracidade comprovada de forma rápida e fácil em canais oficiais. 
 

 

A péssima divulgação

 

Outro grande problema foi a péssima divulgação da UcconX. O ex-funcionário Hugo Melo revelou, através de seu Twitter, que em 2021 os organizadores da UcconX decidiram anunciar a pré-venda antes da confirmação das atrações, da finalização do sistema e sem um site oficial apto.

 

Uma questão importante a se observar é que a pré-venda antecedeu uma boa divulgação. Ainda em 2021, o evento começou a ter suas primeiras divulgações, mas não foi nada significativo. A UcconX entrou recentemente no calendário de eventos geeks e em 2021 o seu nome ainda não era conhecido pelo público. Além disso, o festival tem grandes concorrentes. Por isso, uma divulgação bem feita era necessária naquele momento.

 

O problema é que as coisas não funcionaram exatamente assim. Há dois meses, a divulgação começou a ficar mais forte já que o canal oficial da BBL realizou lives para mostrar um pouco da estrutura, das atrações e da história do evento. No entanto, ainda era necessário mais do que isso. A divulgação nas redes sociais foi precária, considerando que o anúncio no Instagram de algumas atrações aconteceu apenas no dia 22 de julho, sendo que o evento teve início em 27 de julho.

 

A falta de divulgação levou a UcconX a receber diversas críticas do público. As atrações principais do evento chamaram a atenção assim que foram divulgadas, mas muitas pessoas se decepcionaram porque o anúncio tardio e os ingressos de valor alto deixaram muitas pessoas de fora do festival.

 

O Twitter foi o divisor de águas, mas um grande picadeiro da discórdia quando o assunto foi o evento. Com base em trends, relatos e muitos replys, a história ganhou outra proporção, e a falta de divulgação deu espaço para os trends topics mundial. A discussão sobre como foi o evento, como seria, como deveria ser e principalmente, o que os internautas consideram aceitáveis para a elaboração do festival mostram que nem tudo foi tão ruim assim.

 

Apesar da discussão dos internautas ter mostrado que as coisas não foram tão ruins, os pontos citados anteriormente deixam claro que a elaboração do festival merece atenção. Para alcançar um público mais significativo no próximo ano, é necessário planejar e investir em uma divulgação bem estruturada do evento. Além disso, vale a pena analisar com cuidado as críticas construtivas feitas e a opinião do público sobre os acontecimentos que marcaram a primeira edição.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »