24/08/2019 às 23h14min - Atualizada em 24/08/2019 às 23h14min

Exposição “Leonardo da Vinci – 500 anos” inaugura o MIS Imersão

Mostra será a primeira da América Latina a usar tecnologia de experiência multissensorial

Amanda Canton - Editado por Letícia Agata
(imagem divulgação exposição Da Vinci no Canadá)
Celebrando o legado de um dos maiores inventores e artistas do mundo, o Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP), trará, pela primeira vez na América Latina, a exposição “Leonardo da Vinci – 500 anos”, que celebra todo o legado dos mais variados trabalhos do artista. A exposição, que fará sua estreia no Brasil em outubro, inaugura o mais novo espaço: o MIS Imersão, que tem por objetivo criar uma experiência multissensorial ao expectador através da tecnologia "SENSORY4", desenvolvida pela produtora Grande Exhibitions.

A exposição, que atualmente está passando pelo Canadá e Estados Unidos, submete o expectador a uma experiência imersiva ao caminhar pelos espaços inspirados no Atelier des Lumières, em Paris, levando o público a conhecer suas principais obras, como esboços anatômicos, manuscritos de sua vida, suas invenções e seus quadros mais famosos. A exposição terá cerca de 2000 m², com um sistema de produção de 150 aparelhos, com duração de 45 minutos.

A tecnologia permitirá que as réplicas de arte renascentistas do artista italiano ultrapassam o simples quadro e moldura, fazendo com que a pintura seja espalhada por todo o salão, transformando tudo em uma verdadeira obra de arte, sendo possível ver no teto, parede e chão. Uma das principais atrações é o quadro "A Última Ceia", que é projetado com 4,6 metros de altura por 8,8 metros de largura.

Para a professora universitária, Drika Lucena, a exposição vai ser uma ótima forma de aproximar as pessoas do universo artístico, podendo experimentar a arte dentro daquilo que ela pode te oferecer de mais profundo. Este tipo de experiência multissensorial é algo que se adapta e evolui conforme o tempo. A junção de arte e tecnologia permite um mundo novo de experiências. “A pessoa tem condição de passear por dentro da obra como se fosse um grande cinema 3D, mas com uma fidelidade, com uma veracidade que é espantosa e deliciosa e você sai tendo a impressão que você nunca viveu nada parecido com aquilo”, disse Drika.

“É importante que as pessoas tenham acesso à arte e a vivenciem, porque a arte é a forma mais incrível que existe de fazer o homem pensar”, contou Drika. A exposição celebra um dos homens mais inteligentes e visionários, com mais de 200 invenções que mudaram toda a história do homem, se tornando um dos grandes percussores da evolução humana.

MIS IMERSÃO

Exposição vai 
submeter o expectador à uma experiência imersiva. (Foto: Divulação / Exposição Da Vinci no Canadá).

O mais novo espaço MIS Imersão será o primeiro museu totalmente imersivo da América Latina, localizado onde atualmente é a marcenaria da TV Cultura, no bairro da Água Branca - SP. O local foi transformado com o objetivo de trazer mais cultura. “É um desafio que eu encaro com muito otimismo e alegria. Nós estamos vivendo o mundo da imagem, o mundo do som, e o museu é exatamente isso: o Museu da Imagem e do Som. Em consonância com o que acontece no mundo, ele pode estar desenvolvendo uma série de ações. Ele já vem desenvolvendo ações muito positivas, mas ele pode desenvolver ações mais fortes, que podem ganhar uma outra dimensão. O MIS tem que se espalhar no Estado de São Paulo”, declarou Marcos Mendonça, novo diretor-geral do MIS, durante uma coletiva de imprensa.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »