02/12/2019 às 18h22min - Atualizada em 02/12/2019 às 18h22min

Google Stadia: a polêmica tentativa de inovação no mundo dos games

Às pressas, Google fracassa em aspectos simples, como estabilidade e qualidade de jogos

Gustavo Martins - Editado por Bárbara Miranda
Google Stadia / Divulgação
FONTE : Divulgação do Google Stadia/Reprodução : Justin Sullivan/Getty Images.
 
A Google lançou o seu serviço de streaming para jogos, o Stadia, no dia 19 do último mês, nos Estados Unidos.  Apesar da ideia inovadora, usuários e veículos de imprensa têm relatado problemas e feito diversas reclamações, principalmente por conta de promessas não cumpridas por parte da Google.
 
A plataforma possui como proposta a transmissão de jogos na nuvem, sem precisar de um console ou computador gamer. O necessário é apenas uma conexão estável com a internet e algum aparelho compatível com a rede, como celular ou smart TV.
 
O Stadia apresentou controversas no seu lançamento que afetaram a sua imagem. O jornal The Washington Post publicou um vídeo no Twitter que demonstra o atraso nas respostas dos jogos. Na filmagem, o jornalista aperta um botão de ação, mas a resposta demora a ser executada pelo personagem.
 
Além dos problemas de lentidão, o serviço sofreu críticas por ter uma biblioteca considerada pequena pelos usuários, contando inicialmente com 22 jogos, tendo como destaques ‘’Red Dead Redemption 2’’, ‘’Mortal Kombat 11’’ e ‘’Assassin’s Creed Odyssey’’.
 
O vice-presidente do projeto, Phil Harrison, declarou no anúncio da plataforma que todos os jogos rodariam a 4K e 60 fps, apenas dependendo da qualidade de conexão do usuário. No entanto, quando questionada sobre a qualidade de seu jogo no Stadia, a Bungie; desenvolvedora do Destiny 2; confirmou que o game roda nativamente em 1080p, tendo um upscaling (série de técnicas para melhoras o resultado da imagem) para 4K. A Digital Foundry analisou o Red Dead Redemption 2 e constatou que o jogo funciona em 1440p, também tendo upscaling para 4K, além de não bater os 60 fps.
 
Em resposta às acusações, a Google afirma:
 
‘’Nós damos aos desenvolvedores a liberdade de obter a melhor qualidade de imagem e taxa de quadros no Stadia (...). Esperamos que muitos desenvolvedores possam continuar melhorando seus jogos no Stadia, e na maioria dos casos isso irá acontecer; como o Stadia vive em nossos data centers, eles podem inovar rapidamente.
 
O Stadia faz streaming em 4K a 60 quadros por segundo, e isso inclui todos os aspectos do nosso pipeline gráfico do jogo para a tela: GPU, codificador e Chromecast Ultra têm saída em 4K para TVs 4K se a conexão à internet for adequada.’’
 
O público também tem feito questionamentos sobre os acessórios do Stadia. Em seu anúncio, os periféricos foram uns dos destaques para o lançamento, mas a plataforma acabou indo a publico sem eles, pois não ficaram prontos a tempo. Uma alternativa para o Stadia Controller, joystick oficial do serviço, é o uso de controles com sistema Bluetooth, mas eles acabam apresentando atraso nas respostas.
 
Além dos Estados Unidos, o Google Stadia está disponível no Canadá, Reino Unido, Bélgica, França, Finlândia, Itália, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Alemanha, Irlanda e Dinamarca. O serviço deve chegar ao Brasil no próximo ano.
 
 
REFERÊNCIAS 
 
TASSI, P. Google Responds To ‘Destiny,’ ‘Red Dead’ Not Running In Native 4K On Stadia. Forbes, 25 de nov. de 2019. Disponível em: <https://www.forbes.com/sites/paultassi/2019/11/25/google-responds-to-destiny-red-dead-not-running-in-native-4k-on-stadia/#40a41e7819f5> Acesso em: 02/12/2019.
 
YIN-POOLE, W. Google responds after Stadia owners accuse it of breaking promises over game performance. Eurogamer, 25 de nov. de 2019. Disponível em: <https://www.eurogamer.net/articles/2019-11-25-google-issues-statement-after-stadia-owners-say-it-broke-promises-over-game-performance>. Acesso em: 02/12/2019.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »