18/01/2020 às 02h29min - Atualizada em 18/01/2020 às 02h29min

Doação de órgãos: 5 filmes para te fazer refletir

Doar é uma atitude nobre que pode salvar muitas vidas, mas para isso é preciso do apoio de todos

Yasmine Mônica Martins - Editado por Letícia Agata
Imagem: Getty Images
A doação de órgãos é um tema que precisa ser explorado pela sociedade. O transplante consiste em doar uma ou mais partes do corpo para alguém que precise, podendo ser rim, fígado, coração, pâncreas, pulmão, córnea, pele, ossos, válvulas cardíacas, cartilagem, medula óssea e até sangue de cordão umbilical. Portanto, doar é uma atitude nobre que pode salvar muitas vidas, mas para isso acontecer é preciso do apoio de todos. Dessa forma, o slogan da campanha nacional de incentivo a doação de órgãos de 2019 foi “A vida continua. Doe órgãos. Converse com sua família”. Pensando nisso, para te fazer refletir, listamos cinco filmes sobre este tema.

A ilha
 
Estrelado em 2005, o filme conta a história de um futuro distante em que a terra foi dizimada por um desastre ecológico que eliminou uma grande parte da população. Lincoln Six Echo (Ewan McGregor) é um dos sobreviventes e, junto com outros, sonha em chegar a um lugar chamado “a ilha”, o único lugar não contaminado do planeta. No entanto, com o tempo, Lincoln passa a questionar sua existência e o lugar onde vive. Junto com sua amiga JordanTwo Delta (Scarlett Johansson), descobre que eles são apenas clones dos habitantes da terra e seu único objetivo é doar parte de seu corpo para seu pagador. 

Por que ver? O filme retrata a questão do corpo como um produto de venda e não como um ser humano.
 
Não me abandone jamais
 
O filme conta a história de três personagens, Ruth (Keira Knightley), Tommy (Andrew Garfield) e Kathy (Carey Mulligan), que vivem em um internato cheio de regras rígidas com relação a saúde e alimentação. Isolados do mundo exterior, eles não sabem o motivo pelo qual estão naquele lugar, até que uma professora conta, sem permissão, que foram criados para ser doadores de órgãos e que sua vida já foi toda planejada. Mesmo descobrindo o motivo da sua existência, a amizade entre os personagens fica estremecida quando acontece o romance entre Ruth e Tommy, que passa a chatear Kathy.

Por que ver? O filme mostra até que ponto a raça humana é capaz de ir para prolongar mais a vida.
 
Uma prova de amor
 
O filme aborda a história da família Fitzgerald, cuja filha do meio, Kate (Sofia Vassilieva), tem leucemia desde bebê. Para tentar ajudá-la, o casal tem outra filha, Anna (Abigail Breslin), que nasceu através de uma proveta e é doadora compatível com Kate. A principal tarefa de Ana é servir de doadora para sua irmã. No entanto, tudo muda quando Ana começa a questionar sua existência e decide que não vai mais ajudar a irmã, que precisa de um transplante de rim. A atitude de Ana faz com que ela contrate um advogado e leve seus pais, Sara (Cameron Diaz) e Brian Fitzgerald (Jason Patric), para um tribunal e obter, então, uma emancipação médica e ter o direito de decidir  o que quer fazer com o seu corpo.

Por que ver? O filme aborda as relações e conflitos dentro de uma família, quando suas decisões podem afetar outras pessoas.
 
Sete vidas
 
No filme, Ben Thomas (Will Smit), é um agente do imposto de renda, que após sofrer um grave acidente automobilístico, que culminou na morte de sete pessoas, incluindo sua noiva, o deixa traumatizado. Por conta disso, toma uma atitude extrema e decide que ele vai salvar sete vidas. Nessa jornada, ele conhece Emily Posa (Rosário Dawnson), que o faz repensar nessa sua missão, porém ao descobrir que Emily sofre de um problema de coração. Ben decide que Emily será uma das sete vidas que vai salvar. Após uma noite apaixonante com Emily, Ben decide colocar seu plano em prática.

Por que ver? O filme retrata a atitude da doação de órgãos e como essa ação afeta a vida das pessoas.
 
Um ato de coragem
 
O filme conta a história de John Q. Archibald (Denzel Washington), que é operário de uma fábrica e é um homem simples e que vive com a esposa, Denise (Kimberly Elise), e o filho, Michael (Daniel E. Smith). Certo dia, seu filho adoece, ficando muito debilitado e precisando de um transplante de coração. Sem dinheiro para pagar pela operação e sem um plano de saúde, decide tomar uma atitude desesperada, sequestra todo o setor da emergência do hospital. Todo o caso é exposto na mídia e John negocia com os policiais até achar uma solução para salvar a vida do seu filho.

Por que ver? O filme mostra que um pai pode tomar qualquer atitude para salvar a vida de um filho. Uma história para refletir sobre o valor da vida.
 
Acontecimento real
 
Um caso que repercutiu bastante sobre o assunto foi da família do Gugu Liberato. O apresentador morreu no dia 22 de novembro de 2019, em Orlando (USA), após uma queda do forro de sua casa. Depois que foi constatado o falecimento de Gugu por morte cerebral, em reunião, a família decidiu realizar o desejo dele e doar seus órgãos. Essa atitude chegou a beneficiar 50 pacientes nos Estados Unidos (local do óbito).  
 
Doador
 
O Dentista, João Paulo Ribeiro Vilela, é doador de órgãos desde 2013, e relata que o principal motivo que o levou a tomar essa decisão foi de ajudar o próximo. “Sempre tive essa sensação dentro de mim. No dia que eu chegar a morrer, quero poder ajudar quem precisa. Devemos pensar mais no próximo e menos em si mesmo, fazer o bem sem esperar nada em troca”, alega.
 
Atualização
 
No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) é responsável pelo programa público de transplante de órgãos, tecidos e células, oferecido para a população brasileira. Em junho de 2016, o então presidente, Michel Temer, assinou o decreto 8.783, que garante que a Aeronáutica deve manter um avião disponível para qualquer chamada de transporte de órgãos ou pacientes que esperam pelo transplante pelo SUS. O Brasil é destaque em transplante de órgãos, ficando apenas atrás do Estados Unidos.  
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »