03/09/2020 às 13h06min - Atualizada em 03/09/2020 às 12h58min

Conheça o livro que inspirou Black Myth: Wukong

João Martinez - Editado por Bárbara Miranda

No dia 20 de agosto um pequeno estúdio chinês chamado Game Science divulgou o vídeo de um jogo, ainda em desenvolvimento, que impressionou a internet. O game chamado Black Myth: Wukong será um RPG de ação, no melhor estilo souls-like, e com elementos de stealth. O vídeo de 13 minutos apresenta o protagonista Wukong lutando contra hordas de monstros, se transformando em cigarra para passar furtivamente por inimigos e uma boss fight contra uma criatura que parece um lobo humanoide gigante.
 

A repercussão veio graças ao visual apresentado, com gráficos dignos de “triple A” e a estética impressionante das criaturas. No início do vídeo, uma mensagem dizendo que a gravação foi feita direto do game, que ainda está em pré-alfa, faz qualquer um ficar de queixo caído. Não demorou para o jogo conquistar fãs ao redor do mundo, que estão ansiosos para o lançamento, apesar de não termos nenhuma previsão de quando isso poderá acontecer, já que a equipe é pequena, mas foi anunciado que sairá para PC e consoles. Porém, enquanto não podemos jogar com Wukong, podemos conhecer sua história.

Black Myth é baseado em um dos livros mais importantes da cultura chinesa chamado Jornada ao Oeste. Escrito por Wu Cheng'en durante a dinastia Ming (1368 - 1644) e publicado em 1592. Jornada ao Oeste conta a história de Xuanzang, um monge que viaja para a Índia, procurando por escrituras budistas. Além do monge, três discípulos acompanham sua peregrinação, Zhu Bajie (um humanoide com formato de porco), Sha Wujing e Sun Wukong, o Rei Macaco.
 

Nascido de uma pedra mística, Wukong é um ser muito poderoso, com uma força sobre humana ele consegue levantar mais de oito toneladas, sua agilidade também é muito superior ao normal, com um salto consegue alcançar uma distância de 54.000 quilômetros, além das diversas habilidades. Pode se transformar em 72 coisas diferentes, como animais e objetos, a cigarra que é mostrada no jogo é um exemplo. Além disso, cada um de seus pelos pode-se transformar em uma cópia de si mesmo ou em uma arma. Por último, tem o poder de dominar o vento e a água.
 

Wukong carrega consigo um bastão mágico, Ruyi Jingu Bang, que possui a propriedade de aumentar e diminuir de tamanho, além de uma nuvem voadora. Uma de suas 72 transformações é na forma humana, onde apesar de ter sua aparência alterada, ele não consegue transformar e nem esconder o seu rabo.
 

Talvez você esteja achando essas características familiares. Um humano com rabo de macaco, um bastão que muda de tamanho e uma nuvem voadora. Se ainda não reconheceu, aqui vai mais uma dica. Sun Wukong, em japonês é traduzido como... Son Goku.
 

Exatamente, Jornada ao Oeste foi a principal inspiração para o grande Akira Toriyama criar Dragon Ball. As inspirações estão desde o começo do desenho. Goku conhece Bulma, que o convida para encontrar as sete esferas do dragão, junto deles vai, Oolong, um simpático porquinho que tem a habilidade de se transformar. Em entrevista publicada na Dragon Ball Daizenshuu 2, Toriyama afirma “Bulma seria Xuanzang, Oolong seria Zhu Bajie e Yamcha seria Sha Wujing”, no princípio Goku teria a forma de macaco, mas isso foi deixado de lado e ele apenas se transforma em Oozaru quando avista a lua cheia.
 

Não foi apenas Dragon Ball que Wu Chengen inspirou. Diversos produtos da cultura pop foram criados como forma de homenagem. Jogos como League of Legends, Dota 2 e Smite possuem um Rei Macaco praticamente copiado do romance. Nos animes nós temos Monkey D. Luffy, de One Piece, e em Naruto, Enma - a invocação do terceiro Hokage - carrega o título de Rei Macaco e a Bijuu de quatro caudas, que tem o nome de Son Goku.

No Brasil tivemos algumas publicações do livro. Em 2002 a editora Horus publicou. Depois, em 2008, começou a ser publicado pela editora Conrad, ele foi dividido em três volumes, mas apenas dois foram lançados. A Odysseus publicou em 2003 uma releitura do livro, escrita por David Kherdian.

 
 

REFERÊNCIAS

 

LARA, Rodrigo. “Jornada para o Oeste: conheça o romance chinês que inspirou "Dragon Ball"; Start Uol, 2017. Disponível em: <https://www.uol.com.br/start/ultimas-noticias/2017/04/28/jornada-para-o-oeste-conheca-o-romance-chines-que-inspirou-dragon-ball.htm>. Acesso em 31 de agosto de 2020.


SKREBELS, Joe. “Black Myth: Wukong, RPG de ação chinês, é revelado”; IGN, 2020. Disponível em: <https://br.ign.com/playstation-4-ps4/83768/news/black-myth-wukong-rpg-de-acao-chines-e-revelado>.  Acesso em 31 de agosto de 2020.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »