03/06/2019 às 21h39min - Atualizada em 03/06/2019 às 21h39min

Explosão criativa e liberdade marcam a obra de Gustavo Piqueira

Autor coleciona livros e prêmios em sua trajetória

Carina Gonçalves
Foto:Cecília Bastos/USP Imagens
Por meio da oficina "Espalhafatos" houve uma entrevista com o ilustre design Gustavo Piqueira, que no ano passado lançou sete livros de própria autoria. Ele contém no histórico quase 500 prêmios, incluindo o Jabuti, dono da agência Casa Rex e mais de 20 livros e um minidoc “Valfrido?”. Como ele consegue fazer tantos trabalhos?
 
Resposta: Explosão criativa e liberdade total. Assim ele escreveu tantos livros, como “Ar Condicionado” e “Brasil Zero-Zero”. Além de fazer trabalhos em diversos formatos com editoração, parcerias com marcas comerciais e outros, perder a sua personalidade não lhe preocupa, pois o segredo é misturar um trabalho no outro e fazer os projetos não visando o lucro. Segundo ele, o objetivo para realizar muitos projetos seria não visar o dinheiro, mas desvincular desse pensamento e caso faltar orçamento para publicar o livro, Piqueira não tem problema de cobrir o resto do valor. Porém claro que ganhar algo no final é bom se não for o principal foco.
 
Contou também que recentemente ministrou uma espécie de oficina laboratório, no Sesc Pinheiros para explicar a sua ideia da sua concepção de método (um jeito rígido) e processo (sua prótica).“Eu consigo disparar coisas que eu não sei para onde elas vão me levar, mas eu fico atento para onde elas começam a apontar para onde estão me levando e eu começo a construir”, diz Piqueira. Basicamente ele tem um conceito inicial e depois com o tempo surgem novas ideias. Assim as pessoas da oficina ficaram desanimadas por achar estranho começar algo e não saber como termina.
 
Assim às vezes começar algo sem saber qual o caminho que ele vai percorrer pode servir de contexto para explicar como surgiu a ideia do último livro “Brasil Zero-Zero”. Esse livro foi a partir da compra de uma coleção de cartões de rádio amador e ele começou a se perguntar quem colecionava aquilo. De repente lembrou que ele colecionou algo parecido, uma pasta cheia de adesivos e folhetos dos anos de 82 a 95, com a eleição de Fernando Henrique Cardoso, Maluf, Jânio e outros. Enquanto outras crianças colecionavam monstrinhos, o designer gostava de políticos. Quem diria que aquela pasta nunca antes aberta serviu num ano de eleições tão tumultuadas como de 2018, com a vitória de Bolsonaro por influência do uso das redes sociais.
 
Quando começou a coletar material para o livro, comprava todo dia exemplares dos jornais Estadão, Folha de São Paulo e O Globo. Há muitos anos atrás os acontecimentos estavam nas bancas, mas a surpresa dele foi perceber que todo o desenrolar estava nas redes sociais e abandonou os jornais. Contudo a internet, com o seu grande alcance e velocidade de vincular informações foi uma grande fonte de intrigas e de pessoas com a nostalgia de um tempo a 50 anos, que não foi positivo. Havendo a necessidade de uma politização, a qual Piqueira concorda que deveria ter existido.

 
Livro “Brasil 00”:
Através da impressão de adesivos e pôsteres das eleições da década de 80, que foram espalhados por São Paulo nos dias atuais, o autor tirou fotos da exibição. Além de fotos de Brasília no primeiro turno e fotos das redes sociais sobre as eleições de 2018.

 

Concluindo, esse grande empreendedor ainda tem muitos projetos a serem feitos e merece que as pessoas fiquem de olho nele. Contudo, no que deixou escapar durante a entrevista,, adiantou que deseja conseguir 500 prêmios, fazer 100 livros e fazer um disco. Se continuar com tantos projetos com certeza vai conseguir esse alcance.

Editado por Alinne Morais

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »