19/06/2021 às 17h32min - Atualizada em 19/06/2021 às 16h51min

​A história negra contada em quadrinhos por Marcelo D’Salete

O quadrinista traz luz a raízes negras históricas que foram apresentadas à sociedade anteriormente de forma resumida e reprimida

Amanda Santos - Editado por Ana Terra
Em suas histórias em quadrinhos, Marcelo D’Salete vai além da narrativa de heróis e trás à suas páginas a arte de narrar sobre vidas comuns. O quadrinista coloca em foco a história da cultura afro-brasileira (no passado e no presente), se valendo de uma grande pesquisa da realidade histórica e também da ficção. Suas obras conquistaram prêmios aclamados no meio, como o prêmio Eisner Award e o prestígio brasileiro Troféu HQMIX, na jornada de trazer à sociedade uma nova visão sobre o negro e seus descendentes.

Entre as cinco obras publicadas, a disseminação ocorreu até mesmo nos planos de leitura de escolas públicas e privadas do Brasil e de Portugal, deixando escancarado como a arte pode ser aliada na formação dos jovens, ainda mais a HQ sendo uma leitura tão dinâmica. Apesar de utilizar balões de fala, Marcelo sempre busca trazer a reflexão na leitura dos consumidores com páginas espaçadas e com apenas imagens, mantendo predominância do preto e branco advinda do uso da técnica do nanquim. 

O quadrinista

Marcelo D’Salete além de quadrinista, é professor e pesquisador. Nascido em 1979, o ilustrador é graduado e mestre em artes plásticas. Suas atividades como quadrinistas iniciaram em 2000, quando fazia participações em revistas brasileiras de quadrinhos como, a Quadreca e a Front. Hoje, além de ter tido suas obras reproduzidas em exposições pelo mundo, recebeu o prêmio Eisner Awards de 2018 e o Prêmio HQMIX de 2019 por Cumbe, e com a HQ Angola Janga foi premiado também com o HQMIX de 2018 e o Prêmio Jabuti do mesmo ano, entre outros. 

Em ordem cronológica, suas publicações se iniciam com Noite Luz de 2008, em seguida a revista Risco de 2014 e em terceiro Encruzilhada de 2016, ambas aprofundam de formas diferentes histórias das ruas da grande São Paulo e dão palco a histórias de pessoas comuns, que por vezes se entrelaçam, com personagens que vão desde um guardador de carros à crianças abandonadas nas ruas e usuários de drogas. Por último, lançou Angola Janga de 2017 e Cumbe de 2018, essas por sua vez abordam a história negra no período da escravidão no Brasil, elevando ainda mais o nome de Marcelo na indústria de quadrinhos e seu potencial em dar uma nova vertente da história sob o olhar de ex-escravisados, versões antes contatadas apenas a partir do olhar dos governantes e militares. 

Angola Janga e sua representação 

Angola Janga definitivamente representa uma colossal mudança no cenário de quadrinhos no Brasil e para a representação da história afro-brasileira. A HQ garantiu sem dúvida o selo de primeira Graphic Novel original brasileira com mais de 400 páginas. Na narrativa é possível acompanhar uma parte da história da vida e das guerras que cercaram Palmares em Pernambuco, conhecida entre os quilombolas como Angola Janga (pequena Angola, na língua quimbundo). Nesse meio, o destaque vai além de Zumbi, mas apresenta também outros líderes: Ganga Zona, Ganga Zumba, Aqualtune, entre outros nomes. 

A história transita na apresentação dos líderes dos mocambos e do próprio conglomerado, e nas guerras travadas entre os escravos fugitivos e a resistência colonial. Apesar de Marcelo tentar fugir do padrão de contar histórias de heróis, a narrativa afro-brasileira contada dessa forma dá a sensação de estarmos lendo uma aventura de heróis próximos a quem somos. Cria proximidade e afeição a algo que foi tirado de nosso conhecimento ou explicado de forma superficial. 

REFERÊNCIAS:
ASSIS, É. 10 HQs brasileiras que marcaram a década. OMELETE, 2020. Disponível em: <https://www.omelete.com.br/melhores-quadrinhos-livros/10-hqs-brasileiras-marcaram-decada-2010#15>. Acesso em: 19 de jun. de 2021
GORTÁZAR, N. Marcelo D’Salete: “Não precisamos de heróis, precisamos de boas histórias”. EL PAÍS, 2019. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2019/04/02/cultura/1554208356_198750.html>. Acesso em: 19 de jun. de 2021
HAMA, L. Histórias necessárias. ECOA UOL. 21 de fev. de 2021. Dispnível em: Acesso em: 19 de jun. de 2021
MARCELO D'Salete. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <https://enciclopedia.itaucultural.org.br/busca?categoria=artes-visuais&utm_source=google-search&utm_medium=cpc&utm_campaign=F2_GO_SE_Conte%C3%BAdo_Enciclop%C3%A9diaArtesVisuais&gclid=CjwKCAjwzruGBhBAEiwAUqMR8Nf7gXATKD9__gN7m7z5bogerhd5485a3K7X1L4fjM3IoAKIdX-RGRoCESoQAvD_BwE>. Acesso em: 19 de jun. 2021. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7
SALETE, M. DSALETE. Disponível em: <https://www.dsalete.art.br/bio.html>. Acesso em: 19 de jun. de 2021
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »