26/06/2021 às 14h41min - Atualizada em 26/06/2021 às 14h16min

Contos de Terramar: um outro olhar para as doenças mentais

A obra tem como plano de fundo magia e feiticeiros, mas aborda também temas como ansiedade e depressão

Samantha Garcez - Editado por Ana Terra
O filme Contos de Terramar (2006) é o primeiro longa-metragem dirigido por Goro Miyazaki, e o décimo quinto do Studio Ghibli, baseado nos quatro primeiros livros da franquia Terramar de Ursula K. Le Guin. A aventura tem início quando eventos estranhos e assustadores acontecem no Reino de Terramar, e acompanha a jornada de Arren, um jovem príncipe que, tomado por forças inexplicáveis, assassina seu próprio pai na sequência de abertura do filme. Com a espada mágica do pai, ele foge e é resgatado pelo arquifeiticeiro Sparrowhawk, que se torna seu mentor na busca por uma maneira de restaurar o equilíbrio no reino em que vivem.
O feiticeiro de Terramar (Ciclo Terramar Livro  1), Guin, Ursula K. Le

O feiticeiro de Terramar (Ciclo Terramar Livro 1), Guin, Ursula K. Le


A história do príncipe e do feiticeiro envolve batalhas contra as pessoas que estão atrapalhando o equilíbrio do mundo, mas também lutas contra os próprios fantasmas. De certa forma, o caos externo no reino de Terramar simboliza a tempestade interna do príncipe Arren, que é assombrado por uma escuridão. O filme se concentra na jornada de crescimento pessoal e na superação dos medos e ansiedades. Embora Arren passe a maior parte de sua jornada tentando fugir do assustador passado e das responsabilidades, ele se arrepende profundamente pelo seu crime e decide se entregar.
 
Assim, ele aprende a viver com uma forma mais complexa de si mesmo, seguindo os rumos da auto aceitação. A temática principal da animação é a noção de vida e morte. O vilão feiticeiro Cob busca a imortalidade, enquanto o protagonista não enxerga sentido na vida, pois sente muita dor e arrependimento. O roteiro alude a escravidão, uso de drogas e as consequências dos nossos atos. Dessa forma, a história de aventura e ação em um mundo de fantasia traz consigo temas maduros e interpretações da sociedade.
 
Com a vinda de dragões de terras distantes, plantações morrendo sem motivo aparente e a morte do Rei, o filme começa com um ritmo intenso que se perde no decorrer da narrativa. A trilha sonora envolve o filme numa atmosfera épica e medieval, com orquestras, violinos e gaita de fole, dando um aspecto fantástico, mas também sério. Os cenários são bem trabalhados, desenvolvidos em uma paleta de cores aquareladas capaz de transportar o espectador para dentro do filme.

Contos de Terramar / Reprodução: Studio Ghibli

Contos de Terramar / Reprodução: Studio Ghibli


O filme é uma animação de excelente qualidade, bem executada e agradável, a narrativa supera a visão maniqueísta do bem contra o mal, e trabalha o balanço entre os elementos da natureza e a importância da morte no ciclo da vida, além da superação do lado sombrio de cada um e das limitações humanas. A mensagem, entretanto, é transmitida de maneira irregular e até confusa em alguns momentos, de maneira muito interpretativa. O roteiro poderia ter dado mais clareza para algumas cenas. Apesar de algumas pontas soltas o filme cumpre seu propósito satisfatoriamente.

REFERÊNCIAS:
LANCASTER, Alexandre. “Contos de Terramar de Goro Miyazaki”. MEDIUM.COM, 2018. Disponível em: <https://medium.com/especulativa/contos-de-terramar-de-goro-miyazaki-ffab84549aba>. Acesso em: 26 de junho de 2021.
Redação Categoria Nerd. Gorō Miyazaki deu a “Contos de Terramar” uma poderosa mensagem sobre ansiedade. Categoria Nerd, 2020. Disponível em: <https://categorianerd.com/goro-miyazaki-deu-a-contos-de-terramar-uma-poderosa-mensagem-sobre-ansiedade>. Acesso em: 26 de junho de 2021.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »