11/06/2019 às 12h01min - Atualizada em 11/06/2019 às 12h01min

Sonic The Hedgehog | Por que as pessoas odiaram tanto a aparência do ouriço nas telonas?

Fernanda Simplicio - Editado por Caroline Gonçalves
Paramount Pictures
Em 30 de abril, o live-action do Sonic The Hedgehog ganhou seu primeiro trailer. A espera pelo ouriço azul já assombrava os fãs que aguardavam desde 2016 a aparição do personagem nas telonas. O anuncio da produção do live-action foi realizado pela Sony, que em 2017 passou o projeto para a Paramount Pictures.

Com a direção de Jeff Fowler, Sonic – O filme também entrava na onda das grandes adaptações de desenhos para live-actions, como Scooby-Doo (2002), Mogli (2016), Pica Pau (2017), Dragon Ball Super: Broly (2018) e o próximo lançamento da Disney, Rei Leão (2019). E mesmo com o lançamento do filme agendado para 8 de novembro de 2019, os fãs ficaram descontentes com o que foi apresentado pela Paramount Pictures. A aparência do porco-espinho não é “tão fiel” à imagem já construída pelo personagem dos games da Sega, que fizeram sucesso nos anos 90.
Após diversas críticas e chacotas de fãs e simpatizantes do Sonic, o diretor Jeff Fowler anunciou no dia 24 de maio que a estreia do filme será adiada para fevereiro de 2020, para dar tempo de “refazer” o ouriço azul com a aparência que agrade ao público.


Fonte: Twitter
 
‘Sonic – The Hedgehog’ conta com um elenco de peso e com experiências em live-actions, como o ator James Marsden, que interpreta o xerife Tom Wachowski, responsável pela cidade de Green Hills. James é conhecido por ter atuado em outros filmes que misturam personagens computadorizados com pessoas, como X-Men (2000-2006) - sim, ele é o Scott/Ciclope -, Encantada (2007), como o Prince Edward, e em Hop – Rebelde Sem Páscoa (2011), como Fred, o protetor do coelho baterista.  Além de James, o filme tem a presença de Jim Carey interpretando o vilão Dr. Robotnik, mais conhecido como Dr. Eggman, trazendo uma naturalidade e genialidade para conduzir o vilão mais conhecido da franquia Sonic para os cinemas.
 

James Marsden interpretando o xerife 
Tom Wachowski - Fonte: Paramount Pictures

As referências para a construção da narrativa não param por aí. O pouco que foi apresentado pela sinopse distribuída pela Paramount Pictures e o que foi exibido no primeiro trailer mostra que o filme respeita uma linha narrativa sobre a trajetória do Sonic, trazendo ligações dos jogos para o longa-metragem. Entre essas ligações, estão os anéis – presentes em todos os jogos do Sonic - em que o jogador precisa “colegar os rings” para aumentar a sua pontuação e manter a sobrevida na partida. Outra referência bem interessante é vista logo no início do trailer, em que aparece a placa de “Green Hills”. Para quem se lembra, Green Hill Zone é a primeira fase do jogo no Mega-Drive, e possivelmente, também é a mais conhecida por se produzir em outras versões. Outra coisa a ser lembrada, durante o trailer, Sonic diz a Tom que está em uma missão para salvar o seu planeta, o que indica que o filme apresenta a origem de Sonic como nos jogos, vindo de Mobius.
 

À Direita, imagem da primeira parte do jogo Sonic - Mega Drive, à esquerda, abertura do Trailer do filme. Fonte: Internet
 
Mesmo trabalhando com essas referências, o ponto chave entre os fãs do ouriço foi o aspecto físico do personagem. É válido lembrar que Sonic é um personagem construído na era “Mega Drive”, em que a Nintendo cativou crianças e jovens da Geração Millennium, com gráficos 2D e uso excessivo de cores para chamar a atenção de um público que estava começando a engatinhar com o assunto Internet e que tinha como entretenimento ligar o vídeo game nos fins de tarde após cumprir obrigações de rotina. Ligar a imagem do protagonista do live-action à imagem impressa há mais de 20 anos é um puritanismo e saudosismo exagerado do público, que aceitou com tranquilidade um leão estilo “Discovery Channel” para representar o próprio rei da selva e aplaudiu como “lindíssimo, mandou na Disney toda!”.

É óbvio que o live-action não será tão plastificado como os produtos entregues até hoje pela franquia. Sonic tem tudo para ser um bom filme, com boas presenças de elenco, boa direção, efeitos especiais, fidelização à narrativa (que é muito mais importante do que a aparência cartoon do ouriço) e bons gatilhos para despertar novos fãs. O que não pode é, a cada boato, ou a cada exibição, criar um “terrorismo” em relação à imagem do personagem para atender um desejo de um público que não foi criado assistindo live-actions. Não é aceitável que as pessoas mantenham o Sonic como um desenho 2D multicolorido das telas de TV. É necessário entender que até o Sonic evoluiu. Cabe ao público agora evoluir e compreender a lógica de live-actions. É uma adaptação do jogo da Sega, não uma releitura. Não existe motivo para odiar tanto a aparência do ouriço nas telonas.


Confira o trailer oficial (até o momento) do filme:


 
 
REFERÊNCIAS:
CORAL, G. Sonic: O Filme é adiado. Observatório do Cinema, 24 de mai. 2019. Disponível em: <https://observatoriodocinema.bol.uol.com.br/filmes/2019/05/sonic-o-filme-e-adiado>. Acesso em: 04 de jun. 2019.
‘Sonic – o Filme – é adiado para 2020 para mudanças visuais do personagem após críticas. G1 – POP & Arte, 24 de mai. 2019. Disponível em:  <https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2019/05/24/sonic-o-filme-e-adiado-para-2020-para-mudancas-visuais-do-personagem-apos-criticas.ghtml>. Acesso em: 04 de jun. 2019.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »