24/08/2021 às 21h00min - Atualizada em 24/08/2021 às 19h37min

Resenha | Mundo dos Centauros era tudo que a gente precisava

Magia, música, cores e mini clones atirados dos cascos, Mundo dos Centauros tem de tudo!

Lucas Campos - Editado por Ana Terra
Mundo dos Centauros é uma comédia musical que estreou recentemente na Netflix e já é a melhor coisa do ano. A animação foi criada por Megan Nicole Dong, que já havia trabalhado em outras animações conhecidas, como o filme As Aventuras do Capitão Cueca: O Filme e Como Treinar Seu Dragão 2, mas essa é sua primeira vez como escritora direta da obra.

A animação conta a história de Égua, uma... égua mal-humorada, que vive com sua Cavaleira em 
um mundo em guerra. Quando ambas estão transportando um artefato mágico para o General, são emboscadas e o artefato acaba se ativando, transportando Égua para o Mundo dos Centauros, onde todas as coisas (todas mesmo!) são centauros, misturas de humanos com algum animal, vegetal ou mesmo mineral. Acostumada com a guerra, a alegria constante do Mundo dos Centauros é demais e só piora quando ela conhece Lindaura, uma alpacatauro, Gazelda, uma gazelatauro, Pescoço, um girafatauro, Zé Luiz, um zebratauro e Tico, um tentilhãotauro, antes de decidirem partir juntos numa aventura para que Égua possa voltar ao seu mundo, com muita música, brililim, magia, rostos lindos por 8 segundos, brilhos dos oulhos e mais música.

O design dos personagens é, com certeza, uma das coisas mais interessantes na série e a primeira a ser notada. A confusão entre homem-animal é claramente intencional, sem seguir a regra do centauro convencional. Alguns são animais na parte de cima e quase nada humanos, outros são mais normais, e são essas características que os tornam tão únicos uns dos outros e de personagens de outras séries semelhantes.

A lista de coisas que fazem a série ser incrivelmente boba e estúpida, o que nesse caso é uma coisa boa, é imensa. Desde a animação fluida e as cores vivas até as músicas bem produzidas e cativantes e o humor nonsense e caótico dos personagens. Mesmo possuindo um enredo sério, nenhum dos personagens, além de Égua, parecem estar se importando muito com isso. O que eles querem, e fazem, é cantar na sua viagem pela estrada multicor enquanto causam confusões com os outros centauros e se divertem tomando risadaquecas para o café da manhã.


Égua possui uma forte característica, que também é o que a motiva em sua jornada: o amor pela sua Cavaleira. Tudo que ela fez é pela Cavaleira e em muitos momentos tocantes questiona essa paixão por estarem tanto tempo afastadas. Mas logo Lindaura e seu rebanho lhe devolvem a esperança.

Todos os personagens possuem características e poderes únicos que os diferenciam e criam a dose perfeita de carisma e loucura que o mundo do entretenimento precisa atualmente. A crina de Zé Luiz pode assumir qualquer forma, Pescoço libera brilhinhos dos olhos, a Lindaura, sendo a líder, tem poderes mágicos de verdade, enquanto Tico pode ficar bonitão por 8 segundos.

Mas o troféu de melhor personagem vai para a gazela cleptomaníaca com um portal na barriga, Gazelda. Todas as piadas envolvendo o quanto ela rouba as coisas e são efetivas e deposita em sua “pançola” é pura surpresa e diversão, inclusive tendo papel importante na trama.

Esses artifícios são usados com muito mais moderação que as músicas, cada episódio tem pelo menos uma, alguns duas ou três. A série totaliza 50 minutos de música em 10 episódios de 20 minutos, mas ei, é uma comédia musical, o objetivo é rir e ouvir músicas, que são muito bem produzidas e cativantes, além da versão brasileira dar um show em vocais e adaptação.

O elenco da dublagem brasileira também foi uma ótima escolha, a localização das músicas e dos nomes ficou impecável, atendendo a toda maluquice e emoção que possuem. Existe uma magia em nomes “simples” como Tico e Zé Luiz que não se encontra em suas contrapartes norte americanas, Ched e Zulius, respectivamente.

Mundo dos Centauros é a pedida para qualquer humor, entre o "não tenho nada pra ver" e o "quero ver algo empolgante". E se você não tem sensibilidade a efeitos estroboscópicos, abra também os portais bidimensionais. A animação tem tudo pra se equiparar a desenhos famosos no futuro caso seja renovada.

A primeira temporada está completa e disponível na Netflix com dublagem ou legenda e o desenho promete muito com sua próxima temporada, ainda não confirmada pelo serviço de streaming. Mas do lado de cá da estrada multicor, estamos todos torcendo para que não demoretauro.

REFERÊNCIAS:
CENTAURWORLD. In: Wikipedia. The Free Encyclopedia. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Centaurworld>. Acesso em: 24 de agosto de 2021.
Megan Dong. IMDB. Disponível em: <https://www.imdb.com/name/nm3727820/>. Acesso em: 24 de agosto de 2021.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »