21/10/2021 às 10h23min - Atualizada em 08/10/2021 às 15h56min

Lançamento de Poltergeist completa 39 anos

O filme é conhecido pelas histórias bizarras de bastidores

Júlia Victória - Editado por Ana Terra

Quando se trata de filmes de terror, é comum que haja um saudosismo com relação aos clássicos, seja pela maneira que a história foi desenvolvida ou pelo estilo da época. Poltergeist é um desses. O longa dirigido por Tobe Hooper fez sucesso em 1982 e perdura na memória de quem viu até hoje. Diferente de produções anteriores, como O Exorcista e O Massacre da Serra Elétrica, Poltergeist não traz cenas extremamente fortes (que levam pessoas a passarem mal nos cinemas) e violentas. Pelo contrário, mistura o suspense e o terror com cenas bem humoradas. Esse equilíbrio entre horror e humor é uma das marcas de Steven Spielberg, que foi o produtor e roteirista do projeto e é mais lembrado e reconhecido pelo trabalho que o próprio diretor Tobe Hooper.

 

O filme narra o cotidiano da família Freeling, formada pelo casal Steve, Diane e os filhos Dana, Robbie e Carol Anne. Eles são os recém-chegados de um condomínio construído pela empresa em que Steve trabalha. Durante a adaptação ao novo lar, eventos estranhos começam a acontecer. Móveis se movendo sozinhos, talheres tortos, portas que abrem e fecham de repente e a pequena Carol Anne conversando com as “vozes” da TV.

Fonte: Warner Bros/Reprodução

Fonte: Warner Bros/Reprodução

A primeira metade do longa traz esses acontecimentos de uma maneira leve e intrigante, o mistério com relação à filha mais nova do casal mantém o suspense. Já na segunda parte, sofre uma “virada”. A tempestade que causa estragos na propriedade e no cotidiano da família Freeling parece trazer essa mudança no tom da narrativa. A partir desse momento, eles lidam com o fenômeno que dá nome à obra. “Poltergeistsão ocorrências paranormais que vão além da aparição de vultos, mas envolvem manifestações com luzes, pirogenia, água, objetos que somem e outros. Nesse caso, os Freeling tiveram de lidar com o desaparecimento repentino de Carol Anne. O filme apresenta boas cenas com jumpscares e pontos que seriam explorados em outras produções do gênero no futuro (como grupos de investigadores paranormais sendo parte dos protagonistas e casas assombradas por estarem em um terreno de um antigo cemitério).

Fonte: Warner Bros/Reprodução

Fonte: Warner Bros/Reprodução

O bom elenco ajuda a fortalecer a história, com destaque para a atriz mirim Heather O’Rourke (Carol Anne) e Zelda Rubinstein, que interpreta a médium Tangina. Mas além de um bom roteiro, Poltergeist também ficou famoso por outro motivo. Por conta de alguns episódios envolvendo os atores e a produção, ganhou fama de amaldiçoado. 

 

Dominique Dunne, atriz que interpretava a filha mais velha do casal, foi assassinada pelo namorado meses depois do lançamento. Heather tinha seis anos quando fez o papel de Carol Anne. Participou de duas sequências de Poltergeist e veio a falecer aos 12 anos, vítima de uma obstrução intestinal. O ator Will Sampson era um xamã em Poltergeist II e também na vida real. Sabendo da fama que a obra carregava, ele realizou uma limpeza espiritual no set. Contudo, um ano depois morreu devido a complicações de uma cirurgia.

 

Essas tragédias seriam resultado de uma maldição que o filme recebeu após usar ossadas de pessoas reais ao invés de reproduções de plástico, mas são apenas boatos que nunca foram comprovados. O que se sabe é que Poltergeist se tornou um clássico e vai comemorar 39 anos de sua estreia no fim de outubro. Após o sucesso, teve mais duas continuações e um reboot mais recente de 2015. Mas nenhum deles conseguiu atingir a naturalidade do primeiro.

 

REFERÊNCIAS

LEONARDI, Ana Carolina. 8 maldições que assolaram sets de filmes de terror na vida real. SuperInteressante, 2017. Disponível em: <https://super.abril.com.br/cultura/8-maldicoes-que-assolaram-sets-de-filmes-de-terror-na-vida-real/>. Acesso em: 08 de outubro de 2021.

MONTEIRO, Filipe. Crítica | Poltergeist – O Fenômeno (1982). Plano Crítico, 2020. Disponível em: <https://www.planocritico.com/critica-poltergeist-o-fenomeno-1982/>. Acesso em: 08 de outubro de 2021.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »