19/06/2019 às 10h14min - Atualizada em 19/06/2019 às 10h14min

Música, minha grande paixão

Manoel Paulo
Antes de iniciar a coluna e sobre o que será tratado aqui, vou me apresentar.

Me chamo Manoel Paulo, jornalista desde 2005, apaixonado por música, principalmente o heavy metal.

Neste espaço escreverei sobre rock, blues e claro, o citado heavy metal. Contar histórias de bandas, músicos, criar listas de melhores em algo (sempre traz polêmica essas listas), e muito mais.

Eu comecei ouvindo rock em casa. Influência da minha mãe. Ouvia Chuck Berry, Beatles e afins, o início do estilo nos anos 50. Com 12 anos tive contato mais forte com o rock nacional (Legião Urbana, Paralamas, Engenheiros, Raimundos, Titãs, entre outras), nessa mesma época os primeiros contatos com o heavy metal e, três bandas foram essenciais: Iron Maiden, Metallica e Pantera. Tudo por influência de amigos mais velhos que passavam o dia ouvindo esses discos, na época, vinil, e eu estava lá para curtir. Foi uma grande escola.

E desde então tenho ouvido muito mais heavy metal e hardcore/punk do que naquela época. Sempre estou em busca de novas bandas para ouvir, mas nem sempre é assim. Ouvir um Tim Maia, Jorge Ben, James Brown e blues acabam entrando no meu repertório musical, são ótimas músicas para ouvir.

Durante o trabalho, passo boa parte do dia ouvindo música, no momento que escrevo este texto, está tocando Megadeth, no mesmo dia que saiu a notícia que o vocalista e fundador da banda Dave Mustaine anunciou que está com câncer na garganta.

Obviamente que todo mundo tem uma banda/músico favorito, e essa eu respondo de forma rápida e sem gaguejar: “Sepultura”. Minha banda favorita. Começa pelo fato de ser a maior banda de heavy metal brasileira. Fez os gringos admirarem os caras e por algumas vezes serem comparados com Metallica e Slayer.

A primeira vez que eu ouvi Sepultura, o disco Chaos A.D., eu não gostei. Na época eu achava que era muito barulho, e o vocal não me agradava, mas em 1996 com o disco Roots tudo mudaria. As influências brasileiras foi marcante e era um disco bem diferente de tudo que eles já tinham feito até então. Um divisor de águas para o heavy metal, pois mostrou que era possível misturar outros ritmos. Ainda falarei mais sobre o Sepultura.

Uma coisa é certa, desde a infância ouvindo música as influências são muitas e diferentes e a paixão por isso só aumentou durante esses anos. Sem dúvida, uma grande paixão que carregarei para sempre.
Link
Relacionadas »
Comentários »