23/03/2022 às 13h58min - Atualizada em 20/03/2022 às 19h53min

Paulo Gustavo é homenageado com lei em apoio a cultura brasileira

A lei tem o objetivo de ajudar na recuperação do setor cultural após as perdas acumuladas durante a pandemia de Covid-19

Gean Rocha - editado por Larissa Nunes
Paulo Gustavo deixou um legado incomensurável para a arte brasileira, com ideias, recordes, ensinamentos e muito riso. (Foto: Reprodução / Folha UOL)
Ícone e referência na nova geração do humor, Paulo Gustavo levou milhões de brasileiros aos cinemas com o sucesso da trilogia de “Minha mãe é uma peça”, filme que surgiu depois da peça de teatro do mesmo nome se tornar sucesso nos teatros no país. Além de filmes, Paulo Gustavo com toda a sua irreverência, carisma e seu bom humor deixou em seu currículo sucessos na TV, como o sitcom "222 Volts", os seriados "Vai que Cola" e "A Vila", ambos do Multishow, canal pago da Globo Sat.

Vitima de complicações causadas pela COVID-19, o ator morreu em abril de 2021, aos 42 anos no Rio de Janeiro deixando dois filhos, Gael e Romeu e o marido, o dermatologista Thales Bretas.

Em reconhecimento a sua carreira e por tudo que fez em nome da cultura, o Senado aprovou o projeto de lei que libera R$ 3,86 bilhões do Fundo Nacional de Cultura (FNC) para fomento de projetos culturais (PLP 73/2021). A União terá de enviar o dinheiro aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios para que ser aplicado em iniciativas que visam combater e reduzir os efeitos da pandemia de covid-19 no setor cultural.  O texto de autoria do deputado José Guimarães (PT-CE) batizado de “Lei Paulo Gustavo”, segue agora para sanção presidencial.

O projeto determina que os beneficiários dos recursos cumpram contrapartidas, que podem ser a realização de exibições gratuitas; atividades destinadas a estabelecimentos das redes pública e privada de ensino, que tenham estudantes do ProUni, além de integrantes de grupos e coletivos culturais e de associações comunitárias.


 
A homenagem à Paulo Gustavo é certeira para alguém que contribuiu em muito com a cultura, o ator foi importantíssimo ao trazer para o grande público pautas sociais relevantes como homofobia e normalizar a existência de personagens gays e relacionamentos homoafetivos em seus filmes. Além de ajudar, através de sua personagem Dona Hermínia, várias famílias a se relacionarem melhor com seus entes queridos LGBTs. Seu talento e carisma estarão eternamente marcados na história do entretenimento e no coração de todos os brasileiros.

Conhecido pelos amigos como uma pessoa forte, corajosa, destemida e risonha, Paulo foi um dos atores mais querido e amado pelos brasileiros. Com seu jeito divertido, espontâneo fizeram o ator ser sucesso nacional, com Marcus Majella, seu amigo e parceiro em diversas produções, fizeram o público gargalhar com suas cenas memoráveis no seriado “Vai que Cola”, nas esquetes do programa “220 Volts” e em vídeos publicados nas redes sociais.

Paulo Gustavo deixou um legado incomensurável para a arte brasileira, com ideias, recordes, ensinamentos e muito riso. Sua partida precoce foi sentida por milhões de brasileiros que admirava e gostava do seu trabalho, deixando um vazio e uma ferida que aos poucos vai se cicatrizando, mas com uma certeza, a saudade.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »