09/04/2022 às 23h30min - Atualizada em 09/04/2022 às 23h19min

O amor que o país não precisa

A HQ Amor de Gringo – Histórias de turismo sexual no Brasil é anunciada pela Skript Editora no Instagram, no último dia 4.

Paulo Firmo - Editado por Marcela Câmara

 
Recentemente (2020), o Ministério do Turismo e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) registraram que no ano de 2018, cerca de 6,62 milhões de turistas estrangeiros vieram ao Brasil. Apesar de não haver como precisar a porcentagem dos que tiveram o sexo como motivação principal para entrar no país, levantamentos efetuados por órgão oficiais e organizações independentes apontam para uma realidade que não pode ser ignorada.
 
A sensualidade espontânea do povo brasileiro, presente na cultura e na vida cotidiana, é vista por muitos estrangeiros como um convite à prática sexual. O julgamento precipitado, dentre outros fatores, é responsável por colocar o país na rota mundial do turismo sexual. Uma lástima reforçada pelo período de obscurantismo e moralismo que vivemos – de modo mais explícito a partir das eleições de 2018 – no qual temos o Presidente da República do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, apologizando misoginia (ódio ou aversão às mulheres) e homofobia (preconceito e ou discriminação para com pessoas que sentem atração pelo mesmo sexo ou gênero) com a frase: “Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade. Agora, não pode ficar conhecido como paraíso do mundo gay aqui dentro.” – a afirmativa foi feita durante um café da manhã com jornalistas de diversos veículos de imprensa do país, em 25 de abril de 2019.
 
Em matéria para o portal Brasil de Fato, que aborda o lançamento do documentário Lobos e um Príncipe Encantado, do diretor Joel Zito Araújo, a jornalista da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), Tatiana Borges, informa que o país ganhou esse status a partir da saturação do mercado sexual asiático. Um fenômeno que ocorreu há quase 40 anos.
 
A reportagem levanta alguns dados bastante significativos. Dentre eles, que 70% das mulheres procuradas pelos estrangeiros são negras, 95% se encontram em classes sociais menos favorecidas e o mais preocupante: uma parcela dessas mulheres, são na verdade crianças e adolescentes.
 
Maria Fernanda Garcia, jornalista do Observatório do Terceiro Setor, em uma matéria sobre a temática acrescenta que, de acordo com o Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, entre 2011 e 2019, o Disque 100 – O Disque Direitos Humanos, Disque 100, é um serviço de informações sobre direitos de grupos vulneráveis e de denúncias de violações de direitos humanos. – registrou 351 denúncias de exploração sexual desse público (crianças e adolescentes) na atividade do turismo.
 
A jornalista informa ainda que, a Axur (empresa especializada em monitoramento de riscos digitais) realizou um levantamento no qual identificou-se aproximadamente 3 mil sites, criados entre os anos de 2013 e 2015, voltados para o comércio de pornografia ou turismo sexual no Brasil.
 
Esse quadro degradante e complexo, e em muitas ocasiões ignorado ou normatizado, é o que se propõe mostrar o livro de histórias em quadrinhos Amor de Gringo – Histórias de turismo sexual no Brasil. A obra é escrita pela pesquisadora canadense Marie-Eve Carrier Moisan*, adaptada por William Flynn e ilustrada pela quadrinista cearense Débora Santos** – autora de Luzia (Editora Draco, 2021).
 
*Marie-Eve Carrier-Moisan é professora e antropóloga. Doutora (Ph.D.) pela British Columbia University (Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá), tem a sua carreira voltada para as áreas da antropologia feminista, economia política do cuidado, sexualidade e intimidade, gênero e política sexual mobilidade transnacional, trabalho sexual, turismo sexual, infraestrutura de cuidados e deficiência e antropologia visual-multimodal.
 
**Não é a primeira vez que Débora Santos compõe parceria na produção de quadrinhos voltados para a educação. Em Brigadas de Combate #1, a conscientização sobre a necessidade do combate ao mosquito Aedes Aegypt (transmissor da dengue e da febre amarela) foi o foco.
 
Amor de Gringo é uma obra produzida originalmente no idioma inglês e cujo título é Gringo Love: Stories of Sex Tourism in Brazil, publicado em 2020 pela University of Toronto Press. A HQ, é fruto de um trabalho em equipe, baseado em uma pesquisa etnográfica – etnografia é o método utilizado pela Antropologia para coletar dados, posteriormente analisados, sobre algum grupo social – e apresentada sob o formato de quadrinhos.
 
A síntese da obra (em formato impresso e digital) que encontram-se disponíveis nas lojas (Amazon, Google, Kobo etc.), informa que a obra aborda as esperanças, os sonhos e as realidades das mulheres em um cenário de forte desigualdade social e aumento da vigilância estatal entre a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016; ambos realizados no Brasil. Salienta também que a HQ toca em questões atuais tais como economia sexual, mobilidade transnacional (o fluxo de pessoas entre países), imaginários românticos, representação de gênero, raça e desigualdade e métodos visuais. Outras informações sugerem que textos extras, os quais discutem o assunto abordado, também se encontram presentes no livro.
 
A Skript é quem trará a HQ para o Brasil. A julgar pela modos operandi da editora, podemos esperar um financiamento coletivo para breve. A edição impressa em inglês foi publicada em capa dura, possui 200 páginas e 15.75 cm x 23.5 – para uma melhor referência, o formato padrão dos quadrinhos americanos de super-heróis é 17 cm x 26 cm. Ainda não foram divulgados os detalhes da edição brasileira. A conferir em breve.
 
Referências
 
Nossos próximos dois lançamentos… aguardem!. Instagram. 4 abr. 2022. Disponível em: https://www.instagram.com/p/Cb71FOKLYkJ/. Acesso em: 5 abr. 2022.
 
OTTO, Isabella. Como fala de Bolsonaro negligencia mulheres e estimula o turismo sexual. 8 jul. 2020. Comportamento. Capricho. Disponível em: https://capricho.abril.com.br/comportamento/como-fala-de-bolsonaro-negligencia-mulheres-e-estimula-o-turismo-sexual/. Acesso em: 9 abr. 2022.
Redação Pragmatismo (Editor/a). "Quem quiser vir ao Brasil fazer sexo com mulher, fique à vontade", diz Bolsonaro. 26 abr. 2019. Mulheres Violadas. Pragmatismo Político. Disponível em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/04/jair-bolsonaro-brasil-paraiso-gay.html. Acesso em: 9 abr. 2022.
 
SANTOS, Débora. Comics. Aedes em foco. Débora Santos. [s.d]. Disponível em: https://www.deborasantosart.com/aedes-em-foco. Acesso em: 9 abr. 2022.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »