07/09/2022 às 20h34min - Atualizada em 07/09/2022 às 20h34min

Wanda até aqui

- Editado por Fernanda Simplicio


Três meses de estreia e Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022) ainda segue fazendo sucesso. Com arrecadação ultrapassando a casa dos US$ 900 milhões, e sua estreia na plataforma Disney+, o longa gerou, e ainda vem gerando comentários, críticas e teorias, dividindo opiniões ao redor do mundo.

Porém, uma coisa que não se pode criticar é a impecável atuação de Elizabeth Olsen no papel de Wanda Maximoff, ou melhor dizendo, Feiticeira Escarlate. A atriz conseguiu transpassar bem toda a dor, sofrimento, culpa e raiva que a personagem sentia, levando-nos, muitas vezes, a pensar em concordar com o que ela dizia ou passar aquele famoso “pano” para seus atos.

Como sabemos, suas atitudes não foram pensadas sozinha e sim motivadas pelo Darkhold, um livro de feitiços extremamente poderoso que pode mexer com a cabeça de quem o possui, influenciando-o a fazer coisas extremas para a realização de algum desejo, porém, sem medir danos e custos. Resumindo, é um artefato perigoso e que, nas mãos erradas, pode causar um desastre – que foi o que aconteceu (ou quase).

Para entendermos um pouco mais sobre por que Wanda se tornou quem é, o Lab Dicas Jornalismo separou uma lista com alguns dos momentos mais dolorosos pelos quais a bruxinha precisou passar e que a deixaram vulnerável.
Deixando já avisado que esta matéria contém spoilers de vários dos filmes e séries, incluindo WandaVision (2021) e o novo filme do Doutor Estranho (2022).

1) A morte dos pais Maximoff

Fonte: Marvel // Reprodução

Fonte: Marvel // Reprodução


Pensando na linha cronológica da vida de Wanda, partiremos do fato que desencadeou todos os traumas e demais situações enfrentadas pela heroína. Tudo se inicia em Sokovia, quando a personagem era apenas uma criança e assistia televisão – suas amadas sitcoms – na sala, com seus pais e seu irmão gêmeo Pietro Maximoff. Até que um míssil das Indústrias Stark atingiu a propriedade com tudo, e, com o impacto, acabou matando os pais, deixando Pietro e ela escondidos embaixo dos escombros.

Os dois irmãos esperaram por dias, sozinhos, que a bomba explodisse, porém ela não o fez. Em WandaVision (2021) nos foi explicado, por Agatha Harkness, enquanto Wanda relembrava o passado, que esse foi o momento em que os poderes da bruxinha despertaram e impediram a detonação.

Após isso, Wanda e o irmão se enchem de raiva, mágoa e um sentimento de vingança contra Tony Stark, culpando-o por ter arruinado a vida dos dois e tirado aquilo que tinham de mais importante. Ambos passam a viver sozinhos, órfãos em Sokovia – cidade essa que vivia em constante conflito – até que se voluntariam em um projeto da Hydra que visava fazer testes em seus corpos, em busca do desenvolvimento de poderes – tudo isso motivados por vingança. Para eles, nada mais importava. Eles arriscariam a própria vida se isso os desse o mínimo de chance de causar dor naquele que os fez sofrer.

 

2) Morte de Pietro Maximoff


Ainda sedentos por vingança, no filme Vingadores: Era de Ultron (2015), Wanda e Pietro aliam-se a Ultron, uma inteligência artificial criada por Tony Stark, que desenvolve consciência e quer acabar com o mal do mundo – os seres humanos. Porém, quando os irmãos percebem a verdadeira dimensão dos planos do robô, decidem ajudar os Vingadores a deter o vilão antes que seja tarde.

É nesse filme que começamos a ter amostras dos poderes de Wanda, como o controle da mente e manipulação da realidade, tal quando ela confunde cada um dos Vingadores, bagunçando seus pensamentos com vislumbres de suas piores vivências através de uma ilusão. Ultron via potencial na garota, pois, como ele mesmo disse, Pietro e ele poderiam ferir os heróis, mas a bruxinha os despedaçaria, de dentro para fora.

Porém, em um ato de altruísmo e sacrifício, Pietro entra na frente de uma “chuva de balas” para salvar o Gavião Arqueiro e a criança que ele protegia, morrendo no processo. Aliás, essa foi uma morte muito criticada pelos fãs da Marvel, visto que como tinha o poder de velocidade, ele teria sido capaz de mudar o curso das balas e não ser atingido por elas – um furo de roteiro e mal desenvolvimento do personagem.

Quando Wanda sente a morte do irmão, seu mundo despenca mais uma vez. Ela cai de joelhos em desespero, liberando muito de sua energia e destruindo vários dos robôs controlados por Ultron, que tentavam pegar o Núcleo, o qual ela protegia. Mais uma vez, vemos um pouco da extensão de seus poderes e um indício do que ela é capaz, principalmente em momentos de sofrimento.

 

3) Explosão do prédio em Lagos



Outro momento, que não foi decisivo em sua vida, mas que a abalou bastante, foi a explosão de um prédio em Lagos, capital da Nigéria. Wanda está em uma missão com os Vingadores para derrotar o vilão Ossos Cruzados, porém, ele aciona uma bomba no meio de vários civis, e, em uma tentativa desesperada de salvar a todos, a bruxa usa de seus poderes para evitar o desastre e acaba detonando um prédio cheio do pessoas inocentes e humanitários de Wakanda.

A Organização das Nações Unidas (ONU), então, aprova uma lei que obriga os super-heróis a registrarem-se, revelando, assim, suas identidades. Isso causa a divisão dos Vingadores, o que, atrelado à tragédia, deixa Wanda extremamente chateada e sentindo-se culpada. É nesse momento de conflito e confusão, que Wanda se aproxima um pouco mais de Visão, e começa a nutrir certo afeto por ele, mesmo estando em lados opostos em Capitão América: Guerra Civil (2016).

 

4) Morte do Visão


Após os eventos de Guerra Civil, Wanda e Visão decidem viver afastados, longe de tudo e todos. Por dois anos eles começam um relacionamento e apaixonam-se cada vez mais um pelo outro. Com ele, Wanda consegue aplacar um pouco da dor que sentiu depois de tudo o que lhe aconteceu – ele a entendia e a completava. Assim também era ela para ele. Visão conseguia viver uma vida quase normal, sem medo de machucar alguém sem querer, aprendendo a “ser humano”.

Porém, como já sabemos, a vida da bruxinha não é fácil. Logo, eles são atacados pelos capangas de Thanos, que vieram atrás da joia da mente, que fica na testa do Visão. Com a ajuda de velhos amigos, eles conseguem ir para Wakanda e lá se preparam para a luta iminente.

Thanos chega e a guerra se intensifica no reino. Wanda mostra que realmente é poderosa e atinge vários inimigos de uma vez, enquanto tenta proteger Visão. Porém, ele sabe que não há muito o que fazer e que seria pior se o vilão conseguisse a joia, então, pede que Wanda a destrua. Ela nega, pois o mataria no processo, mas depois acaba tendo que fazer, mesmo que isso a fosse destruir mais um pouquinho por dentro.

Acredito que essa tenha sido uma das cenas mais emocionantes e tensas que a Marvel já produziu. Com uma de suas mãos, Maximoff concentra seu poder em quebrar a joia, enquanto Visão agoniza de dor, e com a outra mão ela tenta segurar Thanos o máximo que podia. Mas, como ela mesmo disse, em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022), Wanda foi obrigada a – literalmente – abrir um buraco na cabeça do homem que amava, por nada, em vão. Thanos voltou no tempo, “reviveu” Visão e o matou novamente, arrancando a joia da cabeça dele com as próprias mãos.
E, mais uma vez, Wanda ficava sem chão. Perdia a única coisa que lhe importava na vida, a última coisa que lhe restava.

 

5) Morte de seus filhos

Fonte: Marvel // Reprodução

Fonte: Marvel // Reprodução



Wanda Maximoff foi forçada a passar pelo luto novamente. Sem forças, sem perspectivas de futuro e sem vontade de muita coisa, a heroína se isolou de tudo e todos. Perder o Visão representou para ela o fim da esperança de uma vida minimamente feliz e “normal”. Eles tinham planos de construir uma casa, família, mas tudo lhe foi tirado. Todos os outros heróis, de alguma forma, tiveram seu final “feliz”. Capitão América voltou no tempo para ficar ao lado de sua amada; Thor fez novos amigos – veremos o resultado disso em Thor: Amor e Trovão (2022); Gavião Arqueiro reencontrou sua família, assim como o Homem Formiga; até aqueles que morreram, fizeram isso por “escolha”, com um propósito; Wanda não.


É nesse cenário que começa WandaVision (2021). Em um surto de dor, Wanda cria uma realidade tecnicamente perfeita, onde ela vive uma típica vida americana de sitcoms com Visão e seus filhos. Entretanto, ela não faz ideia de que, para isso, está mantendo reféns cidadãos em Westview.


Quando é revelada a vilã da minissérie e seus planos, Wanda a derrota e percebe que o que está fazendo é errado. Ela, então, libera todos e acaba com aquela ilusão de mundo perfeito, perdendo novamente o Visão e agora também as crianças. A série acaba com ela, já como Feiticeira Escarlate, em um lugar isolado, consultando o Darkhold e ouvindo a voz de seus filhos pedindo ajuda.

 

6) A cena final – até agora


Fazendo essa análise cronológica da vida de Wanda Maximoff até aqui, é possível perceber os traumas pelos quais ela passou e as feridas que nunca foram cicatrizadas. Para aquele espectador sensível, cria-se certa empatia pela personagem, percebendo o lado dela sem críticas extremas, com olhar piedoso sob tudo que ela passou.


No último filme do Doutor Estranho temos que a feiticeira, após causar toda a confusão no Multiverso perseguindo America Chavez, consegue ver seus filhos, mas esses se assustam e entram em desespero, associando-a com uma bruxa, um monstro. Wanda então, novamente, percebe o erro que cometeu todo esse tempo e sacrifica-se para acabar com o livro e com tudo que o faz referência.


A cena onde ela vê os filhos apavorados é de partir o coração. É naquele momento que ela entende que não pode simplesmente roubar a vida de outra pessoa para alcançar sua felicidade, mesmo que essa pessoa seja ela mesmo em outro universo. A percepção de que ela precisava aceitar a própria realidade, por mais dolorosa que fosse, é o “estalo” para ela retomar a consciência e o controle de sua mente.


Acompanhando o Universo Cinematográfico da Marvel, temos que a imagem da Wanda Maximoff nunca está associada apenas a ela, sempre tem alguém mais: seus pais, Tony Stark, Pietro Maximoff, Ultron, Visão e, por fim, seus filhos. Sempre que ela começa a se entender, viver a própria vida, algo ruim acontece e ela perde tudo. É como se uma onda de mortes a rondasse, mas nunca a atingisse. Wanda vive como se ainda estivesse em Sokovia, criança, esperando aquela bomba explodir, porém, isso nunca ocorre. A “bomba” acaba com tudo em sua volta e ela continua ali, ferida, machucada, abalada, derrotada, mas, ainda assim, viva – se isso pode ser chamado de vida.

A história de Wanda Maximoff mostra tudo o que não se deve fazer quando se perde alguém. É o modelo perfeito de como não lidar com o luto, mas também de como ele mexe com a cabeça das pessoas e as deixa sem chão, fazendo com que sua vida perca um pouco do sentido. O absurdo, o inconcebível, passa a ser sua única esperança. Atos de desespero tornam-se mais comuns, em busca de saciar a necessidade extrema de se completar em algo, mesmo que tudo seja ilusório e/ou que machuque alguém. “Custe o que custar!”.

 

REFERÊNCIAS

LAND, Nerd. "RESUMÃO DA HISTÓRIA COMPLETA FEITICEIRA ESCARLATE NO UNIVERSO MARVEL ANTES DO MULTIVERSO DA LOUCURA". Youtube, 02/05/2022. Disponível em: . Acesso em 01/07/2022.

VAZ, Vitor. "A História Mais Trágica da Marvel." Youtube, 05/02/2021. Disponível em: . Acesso em 01/07/2022.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »