01/08/2019 às 22h51min - Atualizada em 01/08/2019 às 22h51min

Museu mais doce do mundo desperta curiosidade em São Paulo

Exposição busca mexer com o imaginário dos visitantes

Mariana Jardim - Editado por Mário Cypriano
Sabrina e Giovanna - Foto: arquivo pessoal
O Museu Mais Doce do Mundo (The Sweet Art Museum) fez sucesso em Lisboa e agora está em exposição no Brasil desde 20 de junho, na Rua Colômbia nº 157, Jardim Paulista até 18 de agosto. Do dia 12 de setembro a 13 de outubro irá para o Rio de Janeiro. Segundo o site do museu, “é um lugar onde os desejos se realizam, o imaginário se transforma em experiências doces, coloridas e inigualáveis e onde a fantasia anda de mãos dadas com o mundo real”.

A bióloga e fotógrafa, Giovanna Ribeiro, afirma que soube do museu pela tv, despertando sua curiosidade para conhecê-lo. “Eu amei o museu, é bem divertido, vários cenários que dão fotos incríveis que pra quem é fotógrafo ama”, diz Giovanna. Segundo a bióloga sua parte favorita da exposição é a piscina de marshmallows, mas lamenta o pouco tempo permitido. "Na exposição, há uma área da Bauducco com cenários mais legais", ressalta. Giovanna descreve como explorou o ambiente: "São três salas, na primeira pode sentar no sofá com a frase 'Se juntos já causam, imaginem juntos' e ainda ser fotografado pela câmera em cima da sala. Saindo do espaço, ganha-se um biscoito da marca. A segunda sala tem vários biscoitos que significam 'Biscoiteiro' e a última tem um grande ventilador no qual pode-se sentar numa moto e fotografar com os cabelos ao vento". 

O objetivo é despertar a imaginação, cultivar a felicidade e promover boas memórias para juntos tornarmos o mundo um lugar mais doce, segundo o museu. A piscina de marshmallows também ganhou o coração da designer Sabrina Carvalho. “Foi incrível, o lugar é maravilhoso de lindo e fiquei encantada”, diz Sabrina. 

Para conhecer o museu é necessário adquirir o ingresso no site. Par cada ingresso comprado, o museu afirma doar 50 centavos para a instituição Renovatio, afim de promover exames de vista e doações de óculos de grau para crianças e adolescentes com problemas de visão atendidos pela instituição. Tanto Giovanna quanto Sabrina recomendam a visita ao museu, por seu valor acessível e por ser uma experiência única.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »