12/08/2019 às 18h22min - Atualizada em 12/08/2019 às 18h22min

Crítica - Descendentes 3

Troca de papéis, a mocinha que virou vilã

Vitória Xavier - Editado por Bárbara Miranda
Descendentes 3. Imagem: Divulgação/Disney.
No primeiro filme, os descendentes dos maiores vilões da Disney viviam isolados em uma ilha, entretanto o filho da Bela e Fera muda isso, quando declara que quer dar uma chance para eles estudarem na escola de Auradon. Cabe a eles então, filhos de Malévola (Kristen Chenoweth), Rainha Má (Kathy Najimy), Jafar (Maz  e Cruela De Vil (Wendy Raquel Robinson); decidirem se seguirão o destino dos seus pais ou não.

CRÍTICA - Descendentes 3

Mal (Dove Cameron), Evie (Sofia Carson), Jay (Booboo Stewart) e Carlos (Cameron Boyce), tiveram a oportunidade de saírem da Ilha dos Perdidos para viverem em Auradon. Agora, o mesmo destino ocorre com mais 4 crianças escolhidas por eles. Entretanto, será que a saída de mais gente é uma boa ideia?

Essa é uma das questões do filme, como proteger Auradon? Com tantos vilões aparecendo. A possibilidade de abertura da passagem que liga a ilha ao reino, cada vez mais apresenta riscos, especialmente quando Hades (Cheyenne Jackson), tenta se aproveitar da saída das crianças para tentar passar. Com isso, Mal, que agora será a futura rainha, precisa tomar decisões sérias a respeito, mesmo que isso signifique que ninguém nunca mais possa sair da Ilha dos Perdidos. 

Mas será que o vilões estão apenas do outro lado? é exatamente isso que o filme tenta passar, a discussão sobre quem é do bem e do mal sempre foi o alvo de Descendentes, o qual sempre passou a mensagem de que cada um escolhe o seu destino, independente de ser filho de um vilão ou não. Dessa vez, ocorre uma grande mudança de papéis, uma mocinha ameaça o reino de Auradon, enquanto vilões se juntam para proteger o reino. 

Com um enredo clichê, mas que todo mundo ama, Descendentes 3, dirigido por  Kenny Ortega, escrito por Josann McGibbon e Sara Parriott  chega para terminar a trilogia, com novas músicas, coreografias, figurinos, e MUITO COURO. A mensagem desejada é passada sem grandes dificuldades, a trama só peca na falta de exploração dos novos personagens, há um grande foco na Mal, e o restante do quarteto é deixado um pouco de lado, além de algumas situações serem resolvidas rápidas demais.

Descendentes 3 não é apenas o fim de uma trilogia, e sim, um dos últimos trabalhos de Cameron Boyce, que construiu sua carreira na Disney, mostrando todo o seu talento. Uma linda homenagem é feita para ele, antes do filme ter sido passado no canal Disney Channel, e o no fim dele também, com um frase em memória do ator. 


REFERÊNCIAS

CANHISARES, Mariana. Descendentes 3. Omelete, Ago 2019. Disponível em: <https://www.omelete.com.br/filmes/criticas/descendentes-3>. Acesso: Ago 2019. 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »