19/08/2019 às 10h41min - Atualizada em 19/08/2019 às 10h41min

Conheça a história do Café do Coroné

Localizada no interior de Pernambuco, a cafeteria traz em sua origem traços da história da região

Maria Clara Monteiro - Cultura
Coronel José de Abílio, o homenageado, é bisavô de Camila Marques, dona do negócio (Foto: Reprodução/Internet)
O Café do Coroné, localizado no interior pernambucano, no município de Bom Conselho, carrega na sua origem traços da história regional. Coronel José de Abílio, o homenageado, é bisavô de Camila Marques, dona do negócio. O coronel sempre teve uma relevância social, por ter sido prefeito 4 vezes na cidade e 2 vezes deputado estadual. Com a sua influência, sua casa ficou conhecida pelos cafés a tarde na varanda e a política era o assunto principal a ser debadito. Dessa forma, grandes nomes já passaram por lá, incluindo Lampião e Maria Bonita.

Coronel José Abílio (Foto: Reprodução/Internet)

 
A ideia da criação da cafeteria veio de Camila. Um sonho da juventude que ela nunca imaginou que se tornaria realidade. Seu esposo, Flávio Marques, é o cozinheiro do local e, também, administrador. Por estar desempregado na época, viu a oportunidade no desejo esquecido de sua esposa. Ele já possuía experiência no ramo e com esforço, em 2013, o Café do Coroné foi aberto. "Eu gosto de ter esse laço de amizade. Todos que vem aqui, se tornam amigos", é assim que Flávio descreve o lugar.

O estudante Breno Bryan é um cliente assíduo do Café. Por indicação de amigos, foi pela primeira vez para uma conversa e para jogar xadrez e, a partir daí, vai sempre que possível. "Fiquei encantado pelo ambiente. É diferente. Fui construindo um vínculo de amizade. Me senti extremamente bem".

O ambiente é diferenciado também na decoração. Com quadros e livros expostos é perceptível o clima familiar que o Café tem. "Surgiu a ideia de colocar umas prateleiras na janela e ficou bacana. Os livros são rodativos. Se você trouxer um livro, pode levar outro", explicam os administradores. "Quando eu vejo um cliente que pega um livro e fica folheando, aí deixa lá e depois volta e vai ler de novo, eu acho interessante. Acho fascinante", relata Flávio.

Prateleira com os livros rodativos. (Foto: Arquivo pessoal)

O desejo para o local é que o cliente sinta-se à vontade. "Eu quero que tenha a minha cara. Eu quero ter um ambiente que você chegue e diga: 'Parece a minha casa
'".

Exatamente dessa maneira sentiu-se a estudante Nathália Melo, que visitou a cafeteria há pouco tempo. "Tive a oportunidade de ir com dois amigos e achei o lugar aconchegante e diferente. [...] Local íntimo e bom para bater papo com os amigos. Me chamou a atenção a forma rústica e a carinha de casa de vó".

SERVIÇO
Horário de funcionamento a partir das 17h, durante todos os dias, com exceção da terça-feira.
Mia informações no instagram da cafeteria
 

Editado por Alinne Morais

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »