17/08/2019 às 10h59min - Atualizada em 17/08/2019 às 10h59min

Revivendo as memórias de Alagoas

Museu Palácio Floriano é um dos mais visitados do estado

Jéssica Viturino - Editado por Letícia Agata
Palácio Floriano Peixoto (Foto: Jeydson Silva)
O estado de Alagoas possui uma vasta cultura e vários pontos turísticos, como praias, igrejas, comidas típicas e museus. Um lugar que é cheio de belezas naturais, como também de riquezas culturais.

Relacionado ao campo cultural, o Museu Floriano Peixoto é um dos mais visitados do estado. Sua construção começou em 1893, durante o mandato do governador Gabino Besouro, e a sua sofisticação mostra um pouco da história de ex-governadores do estado de Alagoas. Localizado no centro de Maceió, o museu ainda mantém o esplendor de seus tempos áureos, não deixando que a passagem do tempo leve embora suas memórias.


Palácio Floriano Peixoto (Foto: Jeydson Silva)


Entrada do Palácio (Foto: Jéssica Viturino)


Quadros de Rosalvo Ribeiro (Foto: Jéssica Viturino)


Busto de D. Pedro 1° (Foto: Jéssica Viturino)

Embora a construção tenha sido iniciada em 1983, apenas dez anos depois, em 1902, no governo de Euclides Malta, o museu foi inaugurado. O atraso se deu devido à falta de recursos e à instabilidade política da época. No ano de 1947, segundo um decreto do governador Silvestre Perícles de Góes, o monumento passou a se chamar Palácio Marechal Floriano Peixoto, em homenagem ao segundo presidente do Brasil.

O museu possui um acervo e uma mobília admiriváveis dos séculos XIX e XX, épocas nas quais a influência europeia era grande. A prataria, cristais e objetos decorativos encantam quem os vê. Existem vários quadros de pintores alagoanos, como José Zumba, Luis Silva, Miguel Torres, Lourenço Peixoto e as telas do pintor Rosalvo Ribeiro. Ainda no acervo, há o Espaço Aurélio Buarque de Holanda, com objetos pessoais, manuscritos, textos datilografados, fotografias, medalhas e anotações do famoso dicionarista. Não podemos esquecer também do Memorial Lêdo Ivo, com um acervo composto por fotografias, imagens, objetos pessoais e uma coleção de livros e textos pertencentes ao poeta.


Datilógrafo de Aurélio Buarque (Foto: Jéssica Viturino)


Datilógrafo de Aurélio Buarque (Foto: Jéssica Viturino)

O Palácio é bem visto fora do estado de Alagoas: “muitos turistas vem visitar para sair um pouco da rotina praiana e conhecer um pouco da cultura alagoana”, enfatiza o guia, Gilson. Apesar do museu ser bem visto lá fora, muitos alagoanos não conhecem a sua história. No livro de visitas, é predominante a quantidade de assinaturas de pessoas de outros estados, como Roraima e Rio Grande do Sul.

A temporada com maior fluxo de visitantes é no período de dezembro a janeiro, quando as pessoas estão de férias. No decorrer do ano, o museu recebe visita de alunos de vários colégios. Existem projetos entre as secretarias municipais de aproximar as crianças da história da cultura local. “Me encantei com a arquitetura do museu. Ele possui vários quadros originais, móveis e coleção colonial da história de Alagoas, fotografias de todos governadores dos 200 anos de história do estado”, ressaltou o aluno de jornalismo, Lucas Amorim.

Além da organização, a limpeza é feita a cada quinze dias em todas as salas, para impedir o acúmulo de detritos que ameaçam a conservação do acervo e do prédio. O Museu Palácio Floriano Peixoto é um dos santuários mais importantes da tradição alagoana. Encanta a todos que tem o prazer de fazer uma visita. O local está aberto para visitação de segunda a sexta, das 9hs às 16hs.

Confira algumas imagens:


Salão de Despacho do Palácio Floriano Peixoto (Foto: Jeydson Silva)


Salão nobre, composto pelos mobiliários do século XX e telas do pintor alagoano Rosalvo Ribeiro (Foto: Jéssica Viturino)


 Exposição "arretada labuta"  do Pablo de Luca e participação da poeta Erica Matias (Foto: Jéssica Viturino)


Vista da parte externa do Palácio (Foto: Jéssica Viturino)

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »