10/09/2020 às 15h29min - Atualizada em 10/09/2020 às 15h41min

Liga da Justiça | Ray Fisher contra Warner por abusos em set, entenda o caso!

Ator reforça repúdio ao comportamento da Warner Bros. mediante as acusações contra Joss Whedon, Geoff Johns e Jon Berg.

William Santos de Souza - Editado por Fernanda Simplicio
Reprodução / Warner Bros. Pictures / Twitter @RayFisher
Nos últimos dias, o ator Ray Fisher, o Ciborgue de Liga da Justiça, vem acusando o diretor e roteirista Joss Whedon e os produtores Jon Berg e Geoff Johns de comportamentos abusivos no set de filmagens da produção. A Warner abriu recentemente uma investigação para apurar o caso, mas diz, que o ator não tem cooperado com a apuração.
 
Durante as gravações de Liga da Justiça, Whedon assumiu o posto de diretor do filme após a saída de Zack Snyder por problemas familiares. Segundo Fisher, "o tratamento de Whedon com o elenco e equipe do longa foi grosseiro e abusivo, não profissional, sendo completamente inaceitável. Ele foi permitido, de várias maneiras, por Johns e Berg", disse.
 
Em agosto, a Warner Bros. anunciou que iria abrir uma investigação interna para apurar o caso. Na última sexta-feira (4), o astro disse em seu Twitter, que recebeu uma ligação do presidente da DC Films, Walter Hamada, que tentou fazer com que as críticas centrassem em Whedon e Berg, e livrassem Johns.
 
Mais tarde, a Warner emitiu um comunicado em que disse ser mentira o pedido e acusou Fisher de não colaborar com a apuração: "Sr. Fisher insistiu que a Warner contratasse um investigador independente. Este investigador tentou várias vezes se encontrar com Fisher para discutir suas preocupações, mas, até o momento, ele se recusou a falar", declarou a empresa.
 
Neste sábado (5), o ator disse ter conversado com investigador em 26 de agosto, e mostrou um e-mail trocado com a sua equipe, no qual dizia que o investigador não era independente, mas contratado pele própria Warner. Segundo Fisher, a empresa tenta "desacreditá-lo". Em meio a essa troca de acusações.
 
Agora, o ator voltou a criticar o comportamento do estúdio diante o caso, em vídeo postado em seu Instagram, neste domingo (6), no qual diz que tem provas da falta de oportunidade dele e de outras pessoas (não identificadas) para se defender na investigação. Inclusive, disse que Hamada não acreditou nas suaa palavras em relação a Geoff Johns: "Walter tentou proteger Geoff Johns por conta de sua parceria com a Warner como Mulher-Maravilha 1984 e sei lá quais outros projetos eles estão preparando". E revelou que Johns teria mandado mensagens se vangloriando pela escalação de outro ator para fazer o Ciborgue em Patrulha do Destino, que ele estava produzindo.
 
Uma nova versão de Liga da Justiça deve ser lançada pelo HBO Max, em 2021, editada pelo o diretor Zack Snyder, que comandou a maior parte das gravações do filme, mas teve de se afastar da produção antes da conclusão por causa da morte de sua filha. Com isso, quem assumiu foi Joss Whedon, diretor dos dois primeiros filmes dos Vingadores.
 
REFERÊNCIAS:
 
CANHISARES, Mariana. Ray Fisher acusa Joss Whedon de ter postura abusiva no set de Liga da Justiça. Omelete, 1 jul. 2020. Disponível em: https://www.omelete.com.br/dc-comics/liga-da-justica-ray-fisheracusa-joss-whedon-postura-abusiva. Acesso em 7 set. 2020.
 
GARÓFALO, Nicolaos. Warner diz que Ray Fisher não tem cooperado com investigações internas. Omelete, 5 set. 2020. Disponível em: https://www.omelete.com.br/dc-comics/liga-da-justica-ray-fishernao-coopera-com-investigacoes. Acesso em: 7 set. 2020.
 
Ray Fisher reforça críticas a Warner Bros. sobre Liga da Justiça - desta vez, em vídeo. Rolling Stone, 7 set. 2020. Disponível em: https://rollingstone.uol.com.br/noticia/ray-fisher-reforca-criticaswarner-bros-sobre-liga-da-justica-desta-vez-em-video
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »