23/02/2021 às 20h09min - Atualizada em 23/02/2021 às 23h05min

Curto, bruto e suave

Paulo Pereira - Editado por Fernanda Simplicio
Fonte/Reprodução: Amazon Brasil
Solzinho, HQ de Camilo Solano lançada em formato digital pela editora Conrad no último dia 18, é elogiada nas mídias sociais.
 
Bem quisto no meio das histórias em quadrinhos, o paulista de São Manuel, Camilo Solano, é um quadrinista com vasta experiência e reúne em seu repertório diversas obras de sucesso.
 
Como grande parte dos artistas da 9ª Arte da sua geração, Solano começou de forma independente. Inspiração - Deixa entrar Sol nesse porão, de 2013, uma espécie de autobiografia ilustrando a entrada no mundo dos quadrinhos, foi a sua primeira HQ de fôlego – como se costuma dizer a respeito de obras mais com uma narrativa mais longa e um significativo número de páginas.
 
No mesmo ano, com Onde Eu Tavo? foi indicado ao Troféu HQMIX (o “Oscar dos quadrinhos brasileiros”). Em 2014 repetiu a dose da indicação, agora ao lado de Thobias Daneluz, com o gibi Captar.
 
Desengano, talvez a sua obra de maior referência, veio em 2015. Também de forma independente, apresenta um protagonista que literalmente vive em total desilusão com os seus relacionamentos interpessoais, amorosos e com a própria vida. O prefácio é do artista gráfico e ilustrador Robert Crumb – ícone da Robert Crumb, reconhecido como um dos fundadores do movimento underground dos quadrinhos americanos.
 
Como o próprio Solano já declarou, Crumb é sua maior influência. E embora a “peso” maior desta ação esteja na arte, semelhanças com a narrativa do Mestre, que Solano também admira, pode ser identificada em suas obras.
 
Camilo Solano é um quadrinista que costuma se debruçar com muita propriedade sobre questões controvertidas e intimistas. Posturas e sentimentos os quais as pessoas, na maior parte das culturas, têm o costume de ignorar, disfarçar, mesmo omitir.
 
Outro destaque se sua carreira, foi o vivido em março de 2020. Ele foi o artista convidado para roteirizar e desenhar a 26º Graphic MSP – selo de graphic novels – “novela gráfica”, um gibi de mais corpo e normalmente em formato de livro, destinada ao público juvenil e adulto – na qual os personagens clássicos do prestigiado Maurício de Souza são reimaginados por autores nacionais. Esta edição, traz o Cascão como o protagonista.
 
Em Solzinho, agora lançado digitalmente pela editora Conrad – a HQ já havia sido publicada de forma independente tanto em formato impresso quanto digital em 2016 –, a relação com a terceira idade é abordada de forma sutil e pontual. Como manifestou a escritora e Assistente Editorial da Conrad Julia Braga em um comentário no informativo semanal Papo Conrad, no canal do Youtube da editora. Após ler a obra, ela manifestou: "Solzinho é curto e bruto". Solano, por sua vez, em um Retweet do Editor-chefe da Conrad, Cassius Medauar, complementou: “Curto, bruto. Porém suave ao mesmo tempo.”
 
O rapper, cantor e compositor Emicida, um conhecido apreciador das histórias em quadrinhos, também não se furtou de expor os seus sentimentos sobre a obra. Também no Twitter, ele disse: “É uma das coisas mais lindas que já li na minha vida.”
 
Ao final da leitura, talvez, você pense que esperava mais "tempo de tela" ou no caso, mais páginas, mais história. Como eu, confesso. No entanto, considere imaginar que as atitudes/momentos mais importantes (ou a falta deles) podem durar apenas segundos. Porém, são capazes de marcar e reverberar por toda uma vida.
 
A expectativa a qual talvez devamos mais atentar seja a do outro. A expectativa de ser ouvido, considerado, integrado; na nossa vida. A HQ parece ter sido elaborada por Solano para nos fazer refletir sobre as relações que mantemos com as pessoas. Principalmente com os que não atendem as nossas (bobas) expectativas e têm as suas próprias dores e ausências para se ocupar. Triste, certeiro, importante e lindo. Coisa fina. Vale muito conferir.
 
Solzinho, de Camilo Solano, pela editora Conrad, segue na posição nº 1 do ranking de HQs e mangás, nº 2 em Não-Ficção em Graphic Novels e nº 551 na Loja Kindle como um todo. Pode ser adquirido na Amazon Kindle, Google Play, iBooks ou Kobo Rakuten.
   
REFERÊNCIAS:
 
DE PAULA, A. Saiba mais sobre o ícone dos quadrinhos Robert Crumb. Correio Brasilense. Diversão e Arte. 7 abr. 2016. Disponível em https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2016/05/07/interna_diversao_arte,530743/quem-e-robert-crumb.shtml. Acesso em: 22 fev. 2021.
 
LUCENNA, C. Desengano. Universo HQ. Reviews. 24 jun. 2016. Disponível em http://universohq.com/reviews/desengano/. Acesso em: 22 fev. 2021.
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »