17/04/2021 às 22h57min - Atualizada em 17/04/2021 às 21h47min

O Movimento Hippie

Muito mais do que o movimento paz e amor, os hippies abriram caminho para as lutas sociais

Karinne Homci - editado por Larissa Nunes
O movimento hippie surgiu nos Estados Unidos, nos anos de 1960, como um movimento da contracultura, momento da história em que diversas pessoas insatisfeitas com a cultura dominante na época, se juntaram para romper com os padrões tradicionais e conservadores, ao contestar seus valores. Tendo como principais lemas “paz e amor” e “faça amor, não faça guerra”, o movimento ocorreu de forma pacífica e teve grande participação da população jovem da época.


O movimento possuiu um cunho extremamente político. Os hippies lutaram pela ampliação dos direitos civis e pelo fim das guerras que ocorriam no país. Juntamente com o movimento negro e o movimento feminista, abriram caminho para discussões políticas, sobre igualdade de raça, gênero, entre outros. Também participavam de protestos e ações para criticar o cenário político, assim como o capitalismo e o alto consumo de bens materiais pela grande massa.
 
Outro fator muito importante na luta do movimento foi o modo de se vestir. Usando calças largas, túnicas, batas indianas, flores, cabelos longos e muita cor, o movimento uniu o mundo ocidental e o oriental, e, ao mesmo tempo, se opôs a maneira de vestir dos adultos da época. Presando sempre por libertação da vida cotidiana e monótona, os adeptos ao movimento viviam uma vida nômade e comunitária baseada na paz e na igualdade.


Um grande marco do movimento hippie foi o Festival de Rock Woodstock, um dos maiores festivais de música da história, usado como uma ferramenta de luta dos jovens, que criticavam o poder de Estado por meio da música. O festival durou três dias e se focou nas práticas consideradas transcendentais para os hippies, como o sexo e o uso de drogas alucinógenas como fonte de autoconhecimento. 


No Brasil, esse movimento cresceu em meio ao golpe miliar de 1964 e a censura imposta no país, por meio do Tropicalismo. Artistas como Caetano Veloso, Giberto Gil, Maria Bethânia, entre muitos outros, buscaram se libertar da cultura tradicional vigente fazendo críticas ao governo em músicas, pinturas e poemas. Porém, o movimento logo chegou ao fim com a prisão de Gilberto Gil e Caetano Veloso em 1968.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »