22/06/2021 às 19h49min - Atualizada em 27/05/2021 às 07h32min

A importância do Catarse e Social Comics para o mercado de quadrinhos digital no Brasil

Danilo Santos - Editado por Fernanda Simplicio

Em agosto de 2015, o ‘Social Comics’, primeiro serviço brasileiro de streaming de histórias em quadrinhos foi criado. Tendo o grupo Omelete como um dos principais investidores. Atualmente o estúdio ‘Eleven Dragons’ assumiu a plataforma, que pode-se dizer, é o maior acervo de títulos em quadrinhos para leitura online. Contando com ilustradores famosos como Mike Deodato Jr. e editoras como Valiant, Mythos, Devir, JBC, Dark Horse, Draco entre outras, juntamente de diversos artistas independentes.

 

A plataforma conta atualmente com milhares de títulos nacionais e internacionais para leitura online. Dentre eles o clássico de George Orwell, “1984” em quadrinhos, “The Boys” de Garth Ennis, “25 anos do Menino Maluquinho” de Ziraldo, “Hellboy: Sementes da Destruição” de Mike Mignola, “A história mais triste do mundo” de Eduardo Medeiros, “Sombras: Edição Especial” de Julio Y. Shimamoto, entre tantos outros.




 

Embora o país nos últimos anos tenha entrado em uma nova crise de desigualdade social, onde hoje existem diversos produtos atingindo preços exorbitantes. Desde o primeiro semestre de 2020, devido a pandemia do novo coronavírus, e a má gestão política federal, isso se tornou um problema maior que o esperado. Levando os preços dos quadrinhos também à uma alta, de lá para cá.

 

Então, por questões de preço, melhor armazenamento e facilidade de adquirir histórias antigas, que não se encontram mais no impresso. O mercado editorial digital acabou se tornando uma opção viável para quem pode utilizar de tecnologias como tablets, notebooks, smartphones e Kindle. Afinal, só devemos sair de casa para fazer o necessário. Também havendo a possibilidade de pedir para que as lojas de quadrinhos locais façam a entrega dos títulos físicos diretamente até a sua casa, pelo serviço delivery. O que ajuda a loja a se manter também, durante esse período da pandemia, sem desvalorizar a importância dos dois modelos de leitura, o digital e físico.

 

 

E foi pensando nisso que o estúdio ‘Eleven Dragons’ tem feito um trabalho gigantesco para trazer novidades aos leitores nos últimos meses, desde que tomou as rédeas do serviço de streamingSocial Comics'. Reunindo o público em diversas mídias como o Instagram, Facebook, Twitter e Youtube. Organizando diversas lives e bate-papos semanais, além de projetos audiovisuais como o mini documentário mensal “A importância do quadrinhos nacional”, que já conta com três episódios. Confira o trailer abaixo:


 

O último lançamento chama-se “Preto Nanquim”, que fala sobre a vivência do negro nos quadrinhos nacionais. Que reúne várias personalidades

do cenário brasileiro de quadrinhos, assim como os outros dois episódios anteriores. O primeiro deles falando sobre o panorama geral, e o segundo sobre "a voz das mulheres nos quadrinhos nacionais".

Perguntei
como funciona a distribuição da equipe do estúdio para Sâmela Hidalgo. Ela que é produtora editorial de quadrinhos, faz parte da equipe criativa do estúdio Eleven Dragons, e, é idealizadora do projeto Norte em Quadrinhos.

S: “É um estúdio de entretenimento que tem vários setores: quadrinhos, animação, games, marketing e audiovisual. Eu sou a gestora da equipe de HQ’s, e às vezes esses setores se misturam”


O estúdio também está produzindo o exclusivo “Wardogs” com  o autor Alexandre Aleixo e o ilustrador Leonardo Ribeiro a hq foi lançada em parceria com a marca RedNose. Totalmente feita em formato nativo digital, para uma melhor leitura em smartphones e tablets. A hq já conta com quatro edições, a última lançada hoje (25). E ao mesmo tempo, uma animação está sendo produzida para seguir a história dos quadrinhos.
A sinopse oficial da HQ diz

 

“Começa aqui o projeto Wardogs! Nesta minissérie dividida em duas  partes, a história conta sobre um período importante da 3ª guerra mundial e o apocalipse nuclear que não tarda a acontecer. Um helicóptero militar pousa na costa da cidade de Dubai à noite, e o grupo de dez soldados comandados pelo coronel William Blake são designados para resgatar um cientista gênio que
tem a chave para uma arma que irá destruir o mundo”.

Capa da HQ Wardogs Chronicles #1:


A animação teve seu primeiro teaser revelado durante a CCXP 2020, e está marcada para fazer sua estréia em 2022.
Confira o abaixo:



A plataforma Social Comics traz diversos títulos nacionais e internacionais para os leitores de quadrinhos que baixam o app, sendo assinante ou não. Há um acervo para leitura de graça, e outras Hq's famosas como "The Umbrella Academy", "The Boys", "Hellboy", "Transformers", "Bloodshot", "Seninha", "Turma da Mônica", "Imaginários", "Lazarus", entre outras famosas. No Social Comics você tem a opção de assinatura, compra ou aluguel destes títulos por um preço super acessível, além de alguns deles estarem disponíveis de graça para leitura, como o exclusivo Wardogs.
 

O site oficial é www.socialcomics.com.br e o serviço também tem aplicativos na App Store da Apple e Google Play

Além disso, existe também o site de financiamento coletivo Catarse, uma espécie de vakinha virtual que auxilia milhares de pessoas desde 2011 a desenvolverem seus projetos, graças à colaboração de diversos usuários que procuram coisas como: Quadrinhos independentes, filmes, lojas, games, música, doação, etc. Esses "filantropos" ajudam aquela pessoa ou grupo a alavancar um projeto, que antes não tinha como sair do papel por questões de investimento.



Pergunto à Sâmela Hidalgo também sobre os benefícios que o site traz para a comunidade de quadrinistas, além de sua grande importância nos últimos anos para que estes artistas divulguem e vendam melhor suas histórias, selecionando um nicho de forma mais ágil. Sem toda a burocracia e incerteza do projeto não "bombar" entre os leitores, como quando era feito somente direto com as editoras. Principalmente porque o advento da internet ajudar bastante na propaganda destes artistas, através das suas redes sociais.
 

"Eu costumo dizer que o catarse foi um dos responsáveis pela quantidade de publicação independente ter crescido exponencialmente nesses últimos anos (os outros fatores são: A MSP e a CCXP)", "É uma forma a mais para os artistas independentes lucrarem sem depender de editoras. E também é uma vitrine muito boa para as editoras usarem a plataforma para fazer pré-vendas, mesmo antes de ter o título em mãos. E isso já ajuda no custo total do livro", diz ela.


A respeito da seleção destes artistas para integrar a equipe da Social Comics, ela explica que:
 

"A gente fica muito de olho nas redes sociais dos artistas. Se estamos precisando de um desenhista com determinado tipo de traço,  a gente vai procurando nas redes um que se encaixe no que a gente quer. O mesmo vale para arte finalista, flatter e colorista. Então, artistas devem sempre estar atualizando suas redes, porque estamos de olho!"

E continua dizendo sobre se algum deles já foi procurado após divulgar seus trabalhos no Catarse, dizendo:

"Estamos de olho em alguns, sim. Inclusive o catarse é ótimo pra gente trazer títulos independentes pro catálogo da Social Comics. Fazemos muito isso, contratando muita gente. Por exemplo, temos uma parceria com o coletivo @prateleiradequadrinhos e contratamos o ilustrador Leonardo Ribeiro (que desenhou o Wardogs #03) através dessa parceria".

 


Dois exemplos de títulos independentes que estiveram em campanha pelo site Catarse e obtiveram um renda extremamente satisfatória para os quadrinistas são, "Samurai Doggy" e "Os Se7e". O financiamento através dos apoiadores é recompensado com as HQs e de acordo com o valor que você deposita, recebe brindes exclusivos dos autores. Como por exemplo: Pôsteres, artbooks, marcadores de páginas, chaveiros, camisetas, e até mesmo action figures (no caso da HQ Samurai Doggy). Os valores variam em pacotes, para se atingir a meta estipulada para que o projeto seja feito.

Capa da HQ Samurai Doggy:



Na descrição do site é dito que: 

"O universo de Samurai Doggy é fantástico e único, onde mistura elementos orientais, medievaism retrô-futurista, super-poderes e paisagens exóticas. Tem como referência clássicos como Zelda, Samurai Champloo, Final Fantasy e principalmente Moebius e Akira Toryama".


Samurai Doggy conta com o cineasta Chris Tex (Roteiro) e Santtos (Ilustração), a campanha arrecadou 1600% para trazer a história a vida, e ainda ganhou uma animação para apresentar a história do personagem. Confira abaixo:



Na HQ você acompanha a jornada de Doggy, um cachorro samurai em busca de vingança contra aquele que assassinou sua mãe e sequestrou seus irmãos, ainda quando eram filhotes. Contando com 120 páginas coloridas e lançada em dezembro de 2020, você pode adquiri-la no site www.samuraidoggy.com.br

Capa da HQ Os Se7e:



Os Se7e tem Eberton Ferreira (Autor) criador do super-herói 'Xamã', e Marcos Gratão (Ilustrador) criador do super-herói Enemus. A história traz uma equipe de super-heróis brasileiros em um crossover emocionante que mostra a luta desses super seres para proteger a floresta amazônica, lutar contra o governo federal e outros inimigos. Já contando com dois volumes, onde o segundo conta com parte zero, um, dois e três. Neste segundo mostrando até 150 super-heróis nacionais juntos, com a intenção de homenagear diversos autores que criam esses heróis brasileiros desde 1908, e mostrar que temos heróis nacionais de longa data. Porém, ainda são desconhecidos do público que consome mensalmente quadrinhos no país.

Com 192% de arrecadação, a campanha bateu sua meta estipulada para o lançamento gráfico e distribuição. Sendo um sucesso enorme para qualquer artista que vem buscando vender seu trabalho durante este período de pandemia, uma das razões pela qual Eberton iniciou a campanha junto do ilustrador Marcos. Confira a apresentação da campanha e da HQ, abaixo:



A história traz uma equipe de super-heróis brasileiros em um crossover emocionante que mostra a luta desses super seres para proteger a floresta amazônica contra o governo federal e outros inimigos. Já contando com dois volumes, onde o segundo conta com parte zero, um, dois e três. Neste segundo mostrando até 150 super-heróis nacionais juntos.

Essas edições e muitas outras nacionais estão disponíveis para compra no site
www.estudioton.com.br

O mercado de quadrinhos digitais no Brasil ainda é um pouco novo. Mas, se você procurar, há uma enorme variedade de gêneros e autores que podem até passar batidos diante dos olhos nas redes sociais. Recentemente o jornalista e ilustrador Alexandre de Maio, que trabalha diretamente com jornalismo em quadrinhos (JHQ) no Brasil, apresentou sua primeira simulação policial em formato digital de quadrinhos, durante o horário nobre no canal de televisão Record, durante o noticiário da noite. Algo inédito até então na TV brasileira.

E embora popularmente se ache que as grandes produções estejam concentradas apenas no eixo sul-sudeste... Diversos artistas estão mais próximos da nossa localidade do que pensamos, seja no norte, nordeste, centro-oeste, sul e sudeste. Apoiando e consumindo cada vez mais esses títulos nacionais, se valoriza não só o artista, como a nossa história na indústria da nona arte, onde personalidades como Ziraldo, Maurício de Souza, Nair de Teffé e Giselda de Melo ilustraram o grande "boom" dos quadrinhos brasileiros, ainda no século passado. Algumas dessas histórias você encontra fisicamente em lojas de quadrinhos e sebos, caso haja algum dos dois na sua cidade. Através da compra em sites como Panini, Comix e Amazon ou através dos serviços de streaming como o Social Comics.

 

NALIATO, S. Quadrinhos digitais abrem novas possibilidades, mas editorias ainda tentam torná-los uma opção viável. UNIVERSOHQ, 30 de mar. 2020. Disponível em: <https://universohq.com/almanaque/quadrinhos-digitais-abrem-novas-possibilidades-mas-editoras-ainda-tentam-torna-los-uma-opcao-viavel/>. Acesso em: 16 de mai. de 2021.

 

LASMAR, I. HQ de super heróis brasileiros ganha vida através de vaquinha virtual. O DIA, 21 de abr. 2021. Disponível em: <https://odia.ig.com.br/sao-goncalo/2021/04/6130143-hq-de-super-herois-brasileiros-ganha-vida-atraves-de-vaquinha-virtual.html>. Acesso em: 16 de mai. de 2021.


NARANJO, M. Social Comics produz documentário sobre quadrinhos brasileiros. UNIVERSOHQ, 28  de  jan.  2021. Disponível em:  <https://universohq.com/noticias/social-comics-produz-documentario-sobre-quadrinhos-brasileiros/>. Acesso em: 17 de mai. de 2021.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »