12/06/2021 às 13h01min - Atualizada em 11/06/2021 às 17h25min

Tiktok - O exibicionismo digital está na moda

Jovens de 16 a 25 anos que usam o aplicativo se super expõem e enfrentam riscos

Cler Dos Santos Gomes Pereira - Revisado por Damáris Gonçalves
Logo ( reprodução)

O Tik Tok


O aplicativo surgiu em 2014, com o nome Musical.ly. Em 2017 a empresa foi comprada pela conterrânea Byte Dance, e se tornou Tiktok. De acordo com a agência de consultoria Sensor Tower, cerca de um bilhão de vídeos são vistos a cada 24h, o que aumentou receita anual da empresa crescesse em 521%. A mesma agência também publicou que 66% dos usuários gerais do TikTok têm menos de 30 anos. Entre os usuários ativos mensais, 60% têm entre 16 e 24 anos.


Com o início da pandemia em março de 2020, as conexões interpessoais tiveram que seguir regras de isolamento social, por isso, o aplicativo se tornou o principal passatempo dos jovens. Pelo app, os usuários produzem vídeos curtos que seguem tendências que viralizam, como "dancinhas" e transições. A popularidade do TikTok é grande justamente por abrigar várias tribos e assuntos diferentes.
 

A Experiência do Usuário

 

Idaicy Nascimento de 21 anos esclarece que seus motivos para seguir uma trend viral é “a música e o conteúdo. Se for cativante e grudar na cabeça, vou acabar querendo fazer”, afirma. Além disso, acredita que o conteúdo influencia as atitudes de quem o consome. “É bobagem acreditar que o que você consome na internet não te influencia de alguma forma” , argumenta.
 

Davi Dutra de 20 anos relatou que hoje em dia usa um temporizador de até 40 minutos de uso no app.
 

“No início eu usava muito, pelo conteúdo ser infinito e manipulado do seu gosto, você nem vê o tempo passar. No dia que notei que gastei quatro horas do meu dia no aplicativo tive que me policiar melhor” , explica Davi.

Exibicionismo Digital
 

O que leva uma pessoa a abrir mão da privacidade para se expor na internet? Carência ou popularidade? O termo recente exibicionismo digital trata-se do ato de expor de forma demasiada e sem controle a vida particular nas mídias sociais. Muitos menores de idade acabam se expondo também e como não existe uma classificação indicativa, participam de trends (tendências que viralizam) com danças sensuais inadequadas à idade. 


O psicólogo Leone Nunes, fala que a internet é maravilhosa se a pessoa souber usar, do contrário, pode funcionar como uma arma para manipular sentimentos. "Likes são métricas de ego, e isso é umas das coisas mais cruéis da internet. Temos que ser atualizados, mas nunca esquecermos que a iternet não nos define" , argumenta Nunes.
 

Os assédios começaram a se tornar constantes, e as meninas são as que mais sofrem com essa situação. Uma pesquisa do YouGov feita no Reino Unido apontou que 97% das jovens que usam o TikTok foram assediadas por homens mais velhos. Devido a esse quadro, em 2021, a empresa lançou novas funcionalidades para combater o bullying e o assédio. 

Em breve, será adicionada uma nova ferramenta de gestão de comentários. Ou seja, a funcionalidade "Filtrar" permitirá aos criadores de conteúdo no TikTok selecionar os comentários que serão visíveis. Além disso, será solicitado aos usuários que reconsiderem a publicação de comentários que possam ser inadequados ou indelicados, bem como que violem as diretrizes da comunidade do TikTok. Assim, os usuários poderão editar os comentários antes de publicá-los. 


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »