12/06/2019 às 20h19min - Atualizada em 12/06/2019 às 20h19min

Cultura do consumo na sociedade contemporânea

Era digital trouxe expansão do comércio

Vanessa Loiola
(Foto: Divulgação)
Com a chegada das páginas online e aplicativos, houve a eliminação do ato de ir às lojas. Ou seja, a tecnologia tem facilitado o poder de compra dos consumidores. Segundo o levantamento feito pela Intelligence, plataforma de pesquisa de mercado da NZN, 74% dos brasileiros que têm acesso à internet, preferem comprar virtualmente.

O consumo desenfreado começou na Revolução Industrial do século XVIII, quando a produção artesanal passou para as fábricas e os produtos foram produzidos em larga escala. Assim, a população de produtores entrou para o quadro de consumidores.

 Apesar de já existir essa cultura desde a civilização mais antiga, o consumo de massa foi consequência dessa transformação. A tecnologia proporcionou para o comércio a expansão da sua atividade, por meio do aumento do impacto das ações de promoção e comercialização de produtos da empresa.

“Antigamente as pessoas precisavam se dirigir ao estabelecimento e acompanhar as promoções pela televisão ou panfletos distribuídos na região, pois era a tecnologia da época. Agora, há a divulgação por meio de mídias sociais e a viralização de conteúdo que possibilitam que o mundo todo possa saber qual é o seu produto”, explica o professor de administração da PUC-SP, Augusto Caramico.

 A modernidade provoca no indivíduo a necessidade em se atualizar, por meio da troca por aparelhos novos. O descarte excessivo de aparelhos contribui para o acumulo de lixo digital. A obra “Vida para Consumo” do sociólogo Zygmunt Bauman, aborda exatamente sobre essa sociedade da obsolescência na qual estamos vivendo.

O estudante do último ano de psicologia, Alexandre Armytage cita o sociólogo e diz que vivemos em uma sociedade onde a tecnologia avança cada vez mais e como consequência, o indivíduo precisa acompanhar essa evolução. A estudante de administração da PUC-SP Larisse Rayane, tem a consciência que o consumo faz parte do preenchimento de sentimentos, “serve para suprir necessidades, que muitas vezes são emocionais”.

Hoje, a classe social é dividida entre àqueles que consomem o básico e o luxo. O fato de termos uma geração cada vez mais tecnológica, influência grandemente para o consumo. Como peça-chave, a publicidade faz com que o indivíduo encontre um sentido por meio do uso do cartão de crédito, fazendo com que ele se sinta melhor por meio da compra. “É como se fosse um anestésico”, destacou Alexandre.

Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 62 milhões de brasileiros estão inadimplentes. Portanto, isso mostra que, as pessoas procuram sempre gastar, devido ao elevado incentivo comercial para tal atitude, independentemente da situação econômica na qual elas se encontram.

Editado por Pâmela Rita 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »