28/08/2021 às 14h11min - Atualizada em 28/08/2021 às 14h03min

12 anos de Bastardos Inglórios: as cenas que marcaram o filme

Lançado em agosto de 2009, o filme de Quentin Tarantino é lembrado até os dias atuais como uma grande obra da cultura pop

Luann Motta Carvalho - Editado por Ana Terra

“Poderia ter sido uma minissérie de 12 horas, mas definitivamente não seria um filme”. É dessa forma que Quentin Tarantino descreve como era inicialmente o roteiro de Bastardos Inglórios, enquanto explicava, durante uma entrevista, que teve a ideia de produzir o longa em 1998. Tarantino esclarecia que o roteiro construído estava extremamente longo, apesar da essência ser a mesma que foi introduzida nas telas – um grupo de soldados judeus norte-americanos que matam nazistas. Depois disso, o projeto só ganhou corpo dez anos depois, quando o diretor resolveu, enfim, dar vida ao filme.

Lançada em agosto de 2009, a obra foi indicada em oito categorias do Oscar e se tornou um dos maiores fenômenos da cultura pop - como vários outros trabalhos ‘tarantinescos’. Pela sua atuação memorável, Christoph Waltz (Coronel Hans Landa) conquistou a estatueta de Melhor Ator Coadjuvante do Oscar 2010. Outras grandes interpretações foram as de Brad Pitt (Aldo “O Apache” Raine), Mélanie Laurent (Shosanna Dreyfus), Diane Kruger (Bridget von Hammersmark), Daniel Brühl (Fredrick Zoller), além de Michael Fassbender, Eli Roth e August Diehl.

No entanto, o melhor de Bastardos Inglórios está nas icônicas cenas da obra. Como de costume, Tarantino mistura a tensão e o cômico de uma forma brilhante e constrói os diálogos que dão a impressão de que a cena tem a duração de um piscar de olhos para o espectador. E é dessa maneira que o filme tem sucesso em captar a nossa atenção e nos fascinar com cada detalhe ilustrado.

Para comemorar os 12 anos de Bastardos Inglórios, vamos relembrar as grandes cenas da obra-prima de Quentin Tarantino abaixo!

A apresentação de Hans Landa e o diálogo com LaPadite

Logo no início do filme, uma família francesa de camponeses recebe a visita de um comboio alemão, que procura judeus escondidos pela França. E nesses primeiros minutos, temos a apresentação do Coronel Hans Landa, talvez o personagem mais marcante de Bastardos Inglórios.

Bastou apenas alguns minutos para que Christoph Waltz brilhasse em tela. Entre um diálogo sensacional com Perrier LaPadite e a metáfora do copo de leite, Landa descobre onde os judeus estão escondidos e os mata a tiros. Somente Shosanna Dreyfus escapa, com Landa proferindo uma das frases mais famosas da obra: “Au revoir, Shosanna!.

“Vamos fazer apenas uma coisa: matar nazistas!”

No Capítulo 2 do filme, os Bastardos Inglórios são apresentados. Comandados pelo tenente Aldo “O Apache” Raine, os soldados judeus dos EUA partem para a França para lutarem contra os nazistas e com o objetivo de dizimá-los.

E já na França, ocorre uma emboscada dos Bastardos sobre um grupo nazista, e nessa ocasião, é mostrada a forma como eles agiam contra os alemães. Em meio aos cortes, Adolf Hitler conversava com seus soldados e recebia um agente nazista que estava marcado com a suástica na testa. Isso porque, o grupo norte-americano queria que os nazistas fossem identificados de imediato.

A construção dessa cena ilustrou, mais uma vez, a capacidade de Tarantino em conseguir misturar momentos de suspense e alívio cômico, além de incluir sua marca registrada: sangue e violência.

 
O reencontro de Shosanna com Hans Landa

Após escapar da morte no começo do filme, Shosanna reaparecia como administradora de um cinema em Paris, com a identidade de Emanuelle Mimieux. Depois de conhecer o atirador de elite alemão Fredrick Zoller, Shosanna se encontra com Joseph Goebbels, que após um pedido de Zoller, resolve realizar a estreia do filme “Orgulho da Nação” no cinema dela.

Logo depois de conversar com Goebbels, Shosanna se reencontra com Hans Landa, sem ele se dar conta de quem a garota realmente era. Novamente, a construção do diálogo é fascinante e os momentos de pausa entre os dois causam uma enorme tensão, além das jogadas de câmera e o uso de diferentes planos, que só potencializavam o suspense. Era como se a qualquer momento, Landa descobriria quem estava na sua frente.

Isso não ocorre. No entanto, após Landa deixar o local, a reação de Shosanna simboliza como o espectador poderia estar se sentindo com aquela conversa: um mix de alívio e choro.
 
Operação Kino e a cena da taverna

A cena inicial do interrogatório de Hans Landa na casa dos camponeses é lembrada por muitos fãs e geralmente é citada como a preferida de muitas pessoas. Contudo, a cena do encontro na taverna La Louisiane entre aliados infiltrados e um oficial do exército alemão não fica atrás em qualidade, algo que só mostra a genialidade de Tarantino.

Depois de descobrirem sobre a estreia em um cinema de Paris, os britânicos realizam a Operação Kino e decidem tentar infiltrar alguns oficiais no evento. Para isso, eles contavam com a ajuda de uma agente dupla: a famosa atriz alemã Bridget von Hammersmark.

Entretanto, não era esperado ter alemães no encontro entre a atriz e os agentes infilitrados. No meio da cena, o major Dieter Hellstrom nota o sotaque de um dos oficiais, o tenente Archie Hicox. Adivinha o que temos de novo a partir daí? Mais um momento que unia tensão e diversão.

O major acaba descobrindo tudo após um detalhe que poderia passar despercebido por muitos: o gesto de Hicox ao pedir três copos de uma bebida. Acontece que na Alemanha, usa-se o polegar para realizar o número três, diferente do modo convencional que conhecemos. Um simples detalhe que acabou originando um tiroteio na taverna, com apenas von Hammersmark saindo viva do local.
 
A cena final e o desfecho da obra-prima

Depois da morte de Hicox e dos dois alemães dos Bastardos, outros membros do grupo - Aldo, Donny “Urso Judeu” e Omar - decidem seguir com a estratégia de infiltração e se juntam a von Hammersmark na ação da ideia.

Porém, o coronel Hans Landa já havia descoberto o plano, após investigar o ocorrido na taverna e encontrar alguns objetos que denunciavam von Hammersmark. Com isso, Landa mata a atriz em uma sala reservada do cinema e prende Aldo, junto com o soldado Utivich. Na conversa com os Bastardos, Landa sugere fazer um acordo com o oficial-comandante de Aldo: o coronel receberia uma cidadania norte-americana e em troca, deixaria o plano de matar todos os nazistas no cinema ocorrer com sucesso.

Nos minutos finais do filme, Landa é surpreendido pela quebra de parte do acordo por Aldo. É nesse momento que Aldo, ao cravar uma suástica na testa do coronel, profere a frase que surge como uma metáfora para definir a produção de Tarantino:

“Sabe de uma coisa, Utivich? Acho que essa pode ser minha obra-prima!”

REFERÊNCIAS:
ALVES, Robinson Samulak. “Bastardos Inglórios: o que você ainda não sabe da obra”. TEC MUNDO. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/minha-serie/217134-bastardos-inglorios-voce-ainda-nao-sabia-obra.htm>. Acesso em: 23 de ago. de 2021.
CRUZ, Gustavo. "A Cena Genial de Quentin Tarantino em Bastardos Inglórios". GUSTAVO CRUZ. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=6pbtvYLTYxo>. Acesso em: 26 de ago. de 2021.
FELIX, Sihan. “Bastardos Inglórios é uma obra-prima em apenas 19 minutos”. CANAL TECH. Disponível em: <https://canaltech.com.br/entretenimento/bastardos-inglorios-e-uma-obra-prima-em-apenas-19-minutos-173316/>. Acesso em: 23 de ago. de 2021.
SAKAI, Marina. “4 curiosidades sobre Bastardos Inglórios, clássico de Quentin Tarantino”. ROLLING STONE. Disponível em: <https://rollingstone.uol.com.br/noticia/4-curiosidades-sobre-bastardos-inglorios-classico-de-quentin-tarantino-lista/>. Acesso em: 23 de ago. de 2021.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »