29/10/2021 às 16h06min - Atualizada em 28/10/2021 às 11h53min

Squid Game: a história de como a sociedade capitalista usa os menos favorecidos para ficarem ainda mais ricos

K-drama bateu recorde em quatro semanas e se tornou o maior na história da Netflix com 132 milhões de visualizações

Bruna Rodrigues - Revisado por Márcia Nascimento
Pôster de divulgação com o elenco principal. (Foto: Divulgação/Netflix)

O k-drama "Squid Game", traduzido no Brasil para "Round 6", teve sua estreia mundial em 17 de setembro pelo streaming da Netflix. Desde o seu lançamento o dorama não saiu do top dez e se tornou o conteúdo mais assistido da história da plataforma, com 132 milhões de visualizações desde sua estreia, superando o recorde de Bridgerton com 82 milhões de visualizações em vinte e oito dias.

 

O dorama conta a história de 456 pessoas que estão devendo milhões de wones sul-coreano para o banco ou agiotas. Sem saída, eles aceitam participar de seis jogos infantis famosos na Coreia do Sul e com a recompensa de 45,6 bilhões de wones. A grande reviravolta é que eles morrem se perderem o jogo, e no final só  um levará o prêmio. 

 

O jogo é controlado por uma organização muito misteriosa e todos os membros usam máscaras representando um animal e apostam em jogadores com potencial. Os soldados também utilizam máscaras, mas elas representam a hierarquia, o poder e as funções no jogo. O triângulo representa os soldados que podem andar armados, já o círculo é usado pelos trabalhadores e o quadrado é usado para representar os gerentes, que recebem ordem do líder supremo, que utiliza uma máscara toda preta. 
 

O que é Dorama?
 

Doramas são produções da televisão oriental, exibidos como novelas uma vez por semana. O número de episódios pode variar de acordo com cada país, como a China, que na maioria das vezes possui de 20 a 30 episódios. Já a Coreia do Sul, possui em média 16 episódios por novela, com a duração de uma hora a uma hora e meia. É possível encontrar doramas de todos os gêneros e na maioria das vezes, não possui segunda temporada.
 

O termo surgiu na pronúncia da palavra "drama" no Japão, que significa "dorama", sendo assim usada para definir as produções orientais em geral, seja novela ou séries, mas para cada país é usado um termo. K-drama é usado para os doramas coreanos, os J-drama são para novelas japonesas e assim em diante. 

 

Curiosidades sobre a produção

 

O criador, Hwang Dong-Hyuk, é um diretor muito respeitado na Coreia do Sul, dirigiu sucessos como "Silenced" e "The Fortress". Em entrevista à Variety, ele revelou que escreveu o primeiro roteiro de Squid Game em 2008 e foi inspirado na sua situação financeira da época e no mangá "Battle Royale". Dong-Hyuk revelou também que a princípio o roteiro seria para um filme e foi  rejeitado durante anos, até que em 2019 a Netflix aceitou produzir.  

 

O diretor ainda contou que os 456 jogadores são pessoas de verdade e que não usou computação gráfica para representá-los nas cenas. No jogo batatinha frita 1, 2, 3, uma mistura de pique esconde com estátua aqui no Brasil, todas as pessoas que correram em direção à porta, são atores reais lutando para sobreviver. Ele quis evitar ao máximo o uso de CGI, deixando a história mais real. 

 

Round 6 ou Squid Game?

 

"Squid Game" é a tradução em inglês do coreano "Jogo da Lula", o nome é explicado no primeiro episódio. O jogo da lula acontece em um campo de areia sob o desenho de uma lula e consiste em dois times de crianças, o ataque e a defesa. A brincadeira é muito conhecida na Coreia e deu origem ao nome do k-drama

 

Em outros países o dorama se chama Squid Game, com referência ao jogo da lula. Apenas no Brasil e no Canadá que se chama "Round 6", fazendo referência aos seis jogos infantis que os participantes precisam jogar para receber o prêmio. Por exemplo, na Argentina, o nome é "El Juego Del Calamar", tradução de Squid Game. A Netflix informou que o jogo da lula não é popular no Brasil, e faria mais sentido usar outro nome.

 

Batatinha frita 1, 2, 3

 

A boneca do primeiro jogo também é de verdade, e segundo o site Koreaboo, a boneca guarda a entrada de um museu de carruagem de cavalos chamado Macha Land, que fica na Coreia do Sul.

Outra curiosidade é sobre a música cantada no primeiro jogo, que na verdade não é "batatinha frita 1, 2, 3". Traduzindo a música para o português, a frase é "A flor de hibisco floresceu", que fala sobre uma flor nacional coreana. Em inglês a música fala "Sinal vermelho, sinal verde", isso porque a tradução trouxe referências a brincadeiras conhecidas em cada país, deixando mais fácil de entender como funciona. 

 

Símbolos 

 

Os símbolos além de representar a função de cada soldado no jogo, as formas geométricas têm ligação com o alfabeto coreano, que juntas formam o nome do dorama. O círculo representa a letra "O", o triângulo é um "J" e o quadrado representa a letra "M", que juntando as três formam "OJM" que é a abreviação para Jogo da Lula em coreano. 

 

Brincadeiras

 

O que muitos não perceberam é que era possível saber quais seriam as brincadeiras. Isso porque na parede da ala dos competidores, tinha o desenho de todas as provas, mas só foi possível encontrá-los quando o número de jogadores diminuía já que as camas cobriam boa parte deles. O desenho só aparece por completo no penúltimo episódio, quando só restam três jogadores. 

Escada

 

O criador revelou que a obra "Relativity", do artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher, foi inspiração para a icônica escada, trazendo uma metáfora que as regras do mundo real não se aplicam ali. A equipe de produção contou que as cenas na escada foram as mais difíceis de gravar, devido a estrutura ser muito confusa, foi preciso mais atenção dos atores durante as gravações. A escada é essencial para comparar o número de competidores no início do jogo e na reta final. 

 

Número do cartão

 

Você sabia que o número de telefone que aparece no cartão para os jogadores é real? Isso mesmo. O dono do número ficou sabendo através de um amigo que assistiu e reconheceu o número, logo depois ele informou que recebeu mais de quatro mil ligações, entre elas, pessoas aceitando participar do jogo e até ameaças de morte. A Netflix da Coreia informou que editou o número e recomendou que o dono trocasse para outro, até que um candidato a presidente da Coreida do Sul se ofereceu para comprar o número por 85 mil dólares. 

 

Crítica por trás da história

 

Dong-Hyuk conta que queria passar uma crítica através da história, sobre como a sociedade capitalista moderna usa os menos favorecidos para ficarem ainda mais ricos. Um dos pontos que o criador traz é que a elite usa essas pessoas como forma de entretenimento, seja em um jogo entre a vida e a morte, ou em programas de televisão com prêmios em dinheiros, casas e por aí vai.  Outro ponto importante que o diretor fala em entrevista, é que a pandemia piorou ainda mais a desigualdade social ao redor do mundo.
 

Em outros doramas é possível encontrar histórias parecidas ou roteiros que buscam enviar uma mensagem importante para a sociedade como, o combate a violência doméstica, ex-presidiários no mercado de trabalho, saúde mental, entre outros.

 

Doramas com temas importantes

 

Itaewon Class

 

O dorama traz a história do jovem, Park Sae-yi (Park Seo-joon) que ao entrar em uma briga com, Jang geun-woo (Ahn Bo-hyun) no seu primeiro dia de aula, acaba sendo expulso, mas sua vida só terá uma reviravolta quando seu pai é morto em um acidente de carro. Sea-yi acaba perdendo a cabeça e vai preso.

Anos depois ele sai da prisão e segue o sonho de abrir um bar-restaurante para se tornar o número um, mas sua jornada não será fácil, já que um ex-presidiário não é bem visto no mercado. Temas importantes são abordados nesse k-drama, como a diversidade, inclusão, racismo e transfobia. É possível assistir na Netflix

 

Kill Me Heal Me

 

Conta a história de jovem rico, Cha Do-hyun (Ji Sung) que precisa lidar com o transtorno de personalidade múltipla, consequência de um trauma durante sua infância. Uma das suas sete personalidades se apaixona pela Oh Ri-Jin (Hwang Jung-Eum) que é residente do primeiro ano de psiquiatria. A jovem o ajuda a entender a origem do seu trauma, e de uma forma leve e engraçada, o dorama conta como é a vida de quem sofre transtorno de personalidade. É possível assistir pela Amazon Prime.

Thirt But Seventeen

 

K-drama mostra a vida do jovem, Geon woo Jin (Yang Se-Jong) que após um acidente trágico na sua adolescência, por se sentir culpado, se tornou alguém frio e distante das pessoas ao seu redor. Treze anos depois, quando volta à Coreia para cuidar do seu sobrinho, ele conhece a jovem, Woo Seo-Ri (Shin Hye-Sun) que sofreu um acidente quando tinha apenas dezessete anos e ficou em coma durante esses anos. Seo-Ri era um prodígio no violino e estava se preparando para fazer um intercâmbio na Alemanha, quando tudo aconteceu.

Quando acorda, ela ainda tem a cabeça de uma jovem de dezessete anos em um corpo de trinta. Os dois entram em uma jornada de como seguir a vida depois de um evento traumático que une os dois. O dorama aborda assuntos importantes como, ansiedade, depressão, abandono de menores e saúde mental. Está disponível na plataforma Viki

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »