11/04/2022 às 11h47min - Atualizada em 04/04/2022 às 17h13min

No Ritmo do Coração

O longa ganhador de Melhor Filme no Oscar 2022, traz uma história sobre amadurecimento na adolescência e a inclusão de surdos

Beatriz Costa Rodriguez - editado por Larissa Nunes
Elenco de No Ritmo do Coração. (Foto: Reprodução / Apple TV+)

O longa grande vencedor do Oscar 2022, é escrito e dirigido pela cineasta americana Siân Heder - umas das escritoras da série Orange is The New Black, consegue entregar ao público uma dramédia com uma premissa inicial de ser apenas um clichê adolesente, mas no entanto, de uma forma leve, o filme consegue tocar em assuntos muito importantes como: o preconceito com deficientes, processo de inclusão e capacitismo; tendo como alvo a surdez e usando a música como principal mensageiro dessa história.
 

Sinopse

O filme No Ritmo do Coração ou CODA em inglês, narra a história de Ruby (Emilia Jones) uma menina de 17 anos que é uma CODA, que em inglês significa Child Of Deaf Adult (filha de adultos surdos). Desde a infância, ela intermediou a relação de seus pais, Frank (Troy Kotsur) e Jackie (Marlee Matlin), e irmão, Leo (Daniel Durant), com pessoas que não falavam a língua de sinais. Além disso a protagonista tem  que conciliar seus estudos de música com o negócio de pesca de sua família.

 

Entretanto, por ironia do destino a protagonista tem um talento e paixão pela música e quer se dedicar a cantar para entrar em uma faculdade, mas por conta de seus familiares serem surdos, eles não conseguem compreender, porque a música é importante para ela.

No Ritmo do Coração conta uma história sobre dilemas da adolescência e amadurecimento, enquanto consegue também entrar na temática dos desafios dos surdos e como é preciso falar mais sobre isso, desmistificando preconceitos e ressaltando a importância da acessibilidade.
 

Inclusão de surdos

O grande destaque e diferencial do filme CODA é que o elenco conta com atores que são surdos também na vida real, essa questão da representatividade da comunidade surda nos filmes é muito importante e dificilmente costuma ser incluída nos filmes.

 

A criação do longa foi um avanço muito importante para Hollywood, no Oscar de 2022. No Ritmo do Coração ganhou a categoria mais importante da premiação, a de Melhor Filme. O Troy Kotsur se tornou o primeiro surdo a ganhar um Oscar, o de Melhor Ator Coadjuvante pelo seu papel no filme. E além disso, Siân Heder recebeu o troféu de Melhor Roteiro Adaptado.


Os diálogos da trama tornam o ASL, como uma segunda língua no filme. A Emilia Jones, que interpreta a Ruby, se dedicou o máximo para o papel e por isso faz transições naturais entre as duas línguas. Nas cenas em que Ruby conversa com a sua família em libras, e em que o silêncio se faz presente, é preciso está atento aos sinais, é como se o espectador estivesse presente na conversa e prestando atenção dentro daquele mundo criando um espécie de relacionamento parassocial.
 

Logo o ganhador do Oscar, é uma adaptação do drama francês "A Família Bélier" e com isso, No Ritmo do Coração tinha tudo para ser mais um Coming Of Age clichê de drama, mas graças a diretora e roteirista Siân Heder, o filme é muito mais profundo do que parece. A produção traz uma dramédia e discussões a respeito da diversidade que se resumem às relações, a conexão entre mundos e pertencimento a raça humana.
 

Lançado no AppleTV+ e nos cinemas em no ano de 2021, hoje o filme está disponível no Amazon Prime Video aqui no Brasil.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »