25/04/2022 às 17h01min - Atualizada em 18/04/2022 às 20h20min

4 filmes que ajudam a entender o racismo

Mesmo nos filmes de ficção é possível encontrar situações que também acontece ou já aconteceu no mundo real

Bruna Rodrigues - Revisado por Isabelle Andrade
Imagem de divulgação do filme "Medida Provisória" (Foto: Divulgação/ Globo Filmes).

O cinema é um espelho do que acontece na sociedade e muitos dos assuntos abordados nos filmes, acabam abrindo portas para debates importantes que resultam em mudanças, que podem levar, dias, meses, anos ou até décadas.

Mesmo nos filmes de ficção é possível encontrar situações que também acontece ou já aconteceu no mundo real, como violência policial, violência doméstica, assédio moral ou sexual e racismo.

Por isso, separamos 4 filmes que ajudam a entender um pouco mais sobre o racismo e como ele está presente na estrutura da sociedade.

 

12 anos de Escravidão (2014) 

 

Baseado em fatos reais, o filme conta a história real de Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor), um jovem negro livre que tinha uma vida tranquila ao lado da sua esposa e filhos. Northup, era um grande talento na música e tocava violino como ninguém. Salomon, teve sua vida mudada por completo quando saiu para se apresentar em um concerto, em outra cidade e acaba sendo sequestrado e vendido como escravo. O jovem é obrigado a trabalhar em uma plantação na região de Louisiana, nos Estados Unidos, e só é encontrado 12 anos depois.
 

O Northup escondeu de todos que sabia ler, escrever e até o seu nome verdadeiro, isso porque tinha medo de ser morto caso alguém soubesse da verdade. A trama se passa em 1841, 24 anos antes da abolição que só aconteceu em 1865 nos Estados Unidos

 

O filme tem a direção de Brad Pitt  e com o roteiro de John Ridley, e buscar mostrar como a sociedade é racista e como foi a vida de  Solomon Northup, que deixou de ser um homem livre e sofreu durante anos, junto de outros escravos só por conta da cor da sua pele. O filme levou o Oscar de Melhor Filme 2014 e mais outros dois nas categorias de Melhor Atriz Coadjuvante, Lupita Nyong'o, e Melhor Roteiro Adaptado. É possível assistir ao streaming da Star+.

 

Bem-Vindo a Marly-Goments (2016)

 

Seyolo Zantoko (Marc Zinga) é um médico recém formado que se muda do Congo com sua família, para morar em um vilarejo francês. O lugar estava sem médico há muito tempo e Seyolo abraçou a oportunidade para dar uma vida melhor a sua família, mas mesmo com um diploma em mãos, ele é questionado e precisa se mostrar qualificado para a vaga, tudo isso por conta da sua cor de pele. O curta é baseado em uma historia real e mostra como é sair de seu pais de origem e entrar em uma cultura totalmente nova, além de trazer bedades de como a comunidade negra sofre racismo independente da sua situação social.  Com o roteiro de Julien Rambaldi e Benoit Graffin.
 

O Ódio que Você Semeia (2018)

 

O filme é a adaptação do livro de, Angie Thomas, com o mesmo nome e conta a história de Starr (Amandla Stenberg), uma adolecente negra que presencia o assasinado do seu melhor amigo Khalil (Algee Smith), que foi morto por um policial branco após ele confundir uma escova de cabelo com uma arma.

Starr precisa testemunhar no tribunal sobre o ocorrido, mas ao longo do processo sofre uma série de ameaças para que o caso seja arquivado, mas a jovem está disposta a contar a verdade sobre a morte do seu melhor amigo, que mesmo depois de morto precisa provar que não era um criminoso e que estava apenas com uma escova de cabelo nas mãos e não uma arma.

 

A trama mostra como casos como esses acontecem com frequência e escancara a injustiça e o racismo em casos envolvendo policiais. É possível assistir o filme alugando no Now.

 

Medida Provisória  (2022)

 

O filme conta a história do casal formado pela medica Capitu (Taís Araújo) e o advogado Antonio (Alfred Enoch) e do seu primo Jornalista André (Seu Jorge) que tem suas vidas afetada após a aprovação de uma medida provisória, em uma iniciativa de reparação pelo passado escravocrata, onde obriga os cidadoes negros a voltarem para Africa, para assim, retomar as suas origens. 
 

Vivendo um verdadeiro terror, o casal não sabe se configurar e se reencontrar e através de debates sociais e raciais, o filme mostra como o racismo é escancarado e que está presente em todos os lugares. Uma adaptação de "Namíbia, Não!", peça de Aldri Anunciação que o diretor e ator Lázaro Ramos dirigiu para o teatro em 2011, que teve sua estreia nos cinemas no dia 14 de Abril.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »