29/06/2022 às 17h20min - Atualizada em 25/06/2022 às 21h19min

A dublagem no Brasil e sua importância para a cultura nacional

No dia 29 de junho é comemorado o Dia Nacional da Dublagem.

Mateus Borges - Revisado por Flavia Sousa
Foto de Israel Palacio. (Unsplash)

Em 28 de dezembro de 1895 aconteceram as primeiras exibições do que consideramos a sétima arte, o cinema. O cinema era exibido totalmente mudo até 1927, quando foi exibido o primeiro som no cinema no filme O Cantor de Jazz, e a primeira frase dita foi “vocês não ouviram nada ainda“, daí o cinema sonoro foi ganhando espaço conforme os anos passavam, e ganhando mais territórios também, mas como levar o cinema com voz a países que falam outros idiomas?

 

A primeira alternativa é a única que se tinha no momento era a legenda, que não agradou muito, mas gravar o mesmo filme em vários idiomas seria inviável por custos e a variedade de línguas faladas em todo o mundo.

 

A solução para este problema chegou em 1930,quando os diretores Edwin Hopkins e Jacob Karol lançaram o filme The Flyer com um sistema de sonorização que permitia a anulação do som original, e substituir por outros. Nasceu ali a  palavra de origem francesa doublage.

 

Oito anos depois o brasil fez a primeira dublagem para o cinema no filme Branca de Neve e os Sete Anões de 1937, o compositor João de Barro, o Braguinha foi o responsável pelas adaptações das músicas e Dalva de Oliveira fez a voz da Branca de Neve.

 

Um marco do início da indústria de dublagem no Brasil, que foi com o tempo se tornando um especialista na dublagem de filmes, séries e principalmente nas animações e filmes de comédia, por conseguir maior aproximação da cultura brasileira.

 

A exemplo disso está no filme Shek 2, quando o ‘Burro” olha para um arbusto e diz que um arbusto é a cara da Fafa de belém, mas na versão original ele cita a cantora britância Shirley Bassey que para nos brasileira seria uma fala aleatoria já que ela é pouco conhecida por aqui, outro exemplo disso é em As Branquelas quando cita o programa do Ratinho, assim conseguimos associar pela confusão generalizada que é o programa, com o que está acontecendo no filme.

 

Essa é uma das magias da dublagem, além de levar as produções do mundo todo com acessibilidade para  todos os públicos, ele ainda pode e se conecta com a cultura daquele local sem perder a qualidade. Na verdade, acrescentando.

 

Já que falei do filme As Branquelas, este é um filme que não repercutiu tanto em outros mercados, ele é um fenômeno mesmo no Brasil, e  com o que a brilhante equipe de dublagem conseguiu fazer dele. Todo Mundo Odeia o Chris que assistimos por anos na Record e até decoramos falas do seriado, e quando vemos os atores em outras produções associamos logo ao personagem do seriado da vida do Chris.

 

Todo mundo Odeia O Chris tem uma das dublagens mais marcantes do Brasil

Todo mundo Odeia O Chris tem uma das dublagens mais marcantes do Brasil

Foto divulgação CW

Todo Mundo Odeia o Chris foi exibida originalmente entre 2006 a 2009, com 4 temporadas e é uma daquelas produções internacionais que qualquer brasileiro já assistiu alguns episódios, e é reconhecida pela ótima dublagem. Até hoje se qualquer ator da obra postar algo vai ter um brasileiro comentando na postagem citando alguma frase do seriado, inclusive o ator Tyler James Williams, até já pediu para os brasileiros pararem com os comentários repetitivos em seus posts. 

 

A dublagem brasileira é muito bem reconhecida e reverenciada no país, e reconhecida no mercado internacional como uma das melhores indústrias de dublagem do mundo, e as vozes acabam marcando a carreira do ator por aqui, e quando é mudado o dublador gera sempre um descontentamento, porque não conseguimos associar aquela voz aquele ator.

 

Frustração na dublagem 

 

Ned Stark no trono de Ferro, na primeira temporada antes da mudança de estúdio de dublagem

Ned Stark no trono de Ferro, na primeira temporada antes da mudança de estúdio de dublagem

Divulgação HBO

 

Em Game of Thrones, depois de 5 temporadas, os telespectadores brasileiros que, já estavam acostumados com a dublagem das vozes do personagem por cinco temporadas,  tiveram a decepção na mudança de voz dos personagens, na época (2016) a HBO mudou o estúdio de dublagem da série, não importa os motivos que os levaram a decisão, a  frustração com as novas vozes pegou todo mundo de surpresa, fazendo a série perder um pouco da magia, até os telespectadores se acostumar com as novas vozes.

Não é sobre os novos dubladores serem ruins, é sobre a construção que a voz tem sobre o personagem, e como o personagem pode ser reconhecido facilmente por sua dublagem. 

 

Os novos dubladores  pegaram personagens que já tinham uma voz característica antes, e isso causou rejeição por parte dos telespectadores. Um dos maiores nomes da atualidade da dublagem Guilherme Briggs pediu para não atacar o novo estúdio ou os novos dubladores: “por favor, eu peço encarecidamente. Não podemos julgar precipitadamente estúdios e dubladores ``, completou.

 

Por que o mercado de dublagem é tão grande no Brasil?

 

A resposta não é tão difícil, já que o Brasil é um país populoso é o índice de pessoas que falam inglês no país é baixo, e até a alfabetização do portugues ainda enfrenta dificuldades em todo o país, com altos índices de analfabetismo, agravado pela pandemia, que que aumentou para 40% das crianças entre 6 e 7 anos não sabem ler e escrever em 2021, segundo levantamento da ONG Todos Pela Educação.

 

Esse é um dos motivos que somente a legenda de um filme ou animação não é suficiente no país, e também existem as pessoas que não conseguem prestar atenção na cena e ler a legenda. Acaba perdendo o foco e interpretação do filme. 

"Versão Brasileira Herbert Richers"

Herbert Richers Jr. em entrevista à TV Brasil contando um pouco da história de seu pai.

Herbert Richers Jr. em entrevista à TV Brasil contando um pouco da história de seu pai.

TV Brasil no Youtube

Com certeza você já assistiu algum filme que dizia logo no começo “ Versão Brasileira Herbert Richers” ou até mesmo tentou reproduzir quando ouvir o ‘Versão brasileira… Cinevideo" e ficou frustrado porque não era o Herbert Richers, normal. Eu já dei boa noite pro Willian Bonner e ele não respondeu.

 

Richers criou seu próprio estúdio homônimo de dublagem em 1950. A empresa se tornou a maior dubladora da América Latina, chegando a dominar 80% do mercado com seus 10 estúdios funcionando 24h por dia e com mais 500 colaboradores. Além dos filmes, séries e animações, o estúdio de Richers também dublou novelas, como na versão brasileira do clássico A Usurpadora.

 

Herbert  Richers morreu em 2009 com 86 anos, e seu estúdio entrou em falência em 2012, e o prédio dos estúdios Richers pegou fogo em seguida.

 

Os maiores nomes da dublagem brasileira
 

São muitos os nomes que poderiam estar nesta lista, mas vou deixar alguns nomes e seus personagens mais famosos.

 

Guilherme Briggs, voz de; Superman e Buzz Lightyear, Briggs é um dos dubladores mais famosos da atualidade no Brasil.

 

Alexandre Moreno, voz de; Bilbo Bolseiro (Hobbit) e dos atores Adam Sandler e Ben Stiller.

 

Flávia Saddy, voz de; Barbie, Lisa Simpson, Mulher Maravilha de Gal Gadot entre outros

 

Marco Ribeiro, voz de; dos atores Robert Downey Jr, Jim Carrey e Tom Hanks e do Wooldy, de Toy Story.

 

Márcio Seixas, voz de; Batman, Sr. Incrível e The Tick além de narrar vários filmes.

 

Wendel Bezerra, voz de; Goku e Bob Esponja, Pain de Naruto e Sanji de One Piece e do ator Robert Pattinson.

 

Úrsula Bezerra, voz de; Goku e Naruto quando criança, e Gnar em League of Legends. ùrsula é  irmã do também dublador, citado acima Wendel Bezerra.

 

Selma Lopes, voz de; Marge Simpson, Vovó Fa em Mulan, Mama Odie em A Princesa e o Sapo.

 

Não posso deixar de lembrar dos incríveis Orlando Drummond, dublador do Scooby-Doo, Vingador de Caverna do Dragão, Gato Guerreiro de He-man e Isaac Bardavid, voz característica e marcante dublador do Wolverine. Há também nomes famosos na mídia que já fizeram dublagens icônicas, como Fábio Porchat, dublando Olaf do desenho Frozen.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »