23/09/2022 às 18h01min - Atualizada em 22/09/2022 às 19h50min

Pop Art e suas influências atemporais

O estilo que conquista gerações

Marcela Conrado - Revisado por Flavia Sousa
Capa com o tema Pop Art. (Reprodução/Freepik)
Contexto Histórico
Nas décadas de 50 e 60, o mundo passava por grandes mudanças no cenário político, econômico e principalmente, cultural. O cotidiano mundial sofreu uma intensa transformação, e naquela época nos EUA, o período ficou conhecido como ‘anos dourados’. Com o final da segunda guerra mundial, populações do mundo inteiro desenvolveram um sentimento de otimismo e esperança.

A prosperidade econômica voltou a ser sentida, e seus indícios começam a influenciar o modo de viver da população. Em consonância, as pessoas iniciam um novo estilo de vida, o de consumo. Os avanços na economia e na tecnologia propiciam o aumento do poder de compra do povo. Os meios de comunicação começam a usar de seus artifícios para capturar o máximo de indivíduos com potencial para consumir, e assim  intensificar um consumismo louco e desenfreado.
 
Características do Gênero
A pop-art surge na década de 50 porém, sua explosão acontece apenas nos anos 60. A arte criada na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos da América, foi nomeada assim pelos chamados “Independent Group” (IG), artistas que faziam parte do Instituto Arte Contemporânea de Londres, e representantes artísticos norte-americanos. O gênero veio de grupos convergentes aos preceitos tidos como aceitáveis da época.
 
O estilo estava muito ligado ao contexto do cotidiano. Eles criticavam uma sociedade cheia de consumo e presa em uma massa indistinguível. Buscavam não apenas provar o materialismo e o consumismo presente na vida das pessoas, mas também aproximar a arte da cultura popular. 
 
Nos trabalhos é possível identificar, a representação da arte, como produto em série. Fotos de famosos, anúncios de jornais, pedaços de revistas e quadrinhos, são alguns elementos usados por esses artistas. O uso de cores fortes e chamativas, e até mesmo brilhantes, são recursos para fortalecer esse caráter original das produções.
 
É possível ver alguns indícios dessa fusão, da arte popular e a arte ‘erudita’, bem antes da pop art. Com Pablo Picasso, por exemplo, em ‘Au Bon Marché (1913)’, na obra, ele usa pedaços de jornais para criar uma mulher. Além dele, outro artista fez uso da técnica,  Marcel Duchamp, pai do Dadaísmo, Marcel fez uso de objetos criados em série, como mictórios, pá de neve e porta garrafa em várias de suas produções. 
 
Artistas destaque

Andy Warhol
Foi um dos principais expoentes pop, em suas produções fazia questão de demonstrar o caráter em série em detrimento ao trabalho manual. Inseriu diversas celebridades em suas composições, como Elvis Presley e Marilyn Monroe, para ele essas personalidades mesmo com sua ascensão eram vazias e impessoais. Garrafas de Coca-Cola, latas Soup Campbell, e outros produtos também podem ser vistos em suas artes. 

 
Roy Lichtenstein
Os quadrinhos e a crítica da cultura de massa eram o foco de Roy. Em seus quadros, tentou intensamente estabelecer uma alta semelhança com os quadrinhos, usando uma técnica de pontilhismo para simular os pontinhos das histórias. Anúncios comerciais também eram usados por Roy, com cores vibrantes e bem delimitadas por linhas pretas, que auxiliavam na originalidade de suas produções. 

 

Marjorie Strider

Marjorie em um mundo totalmente machista, usou de suas obras para satirizar todos os preconceitos e opressões que a população feminina enfrentava, com produções do corpo feminino e suas acentuadas características. Além de críticas ao consumismo exacerbado da época, com representação de produtos. Em ‘Girl with Radish’, uma de suas obras, é possível ver suas técnicas e temáticas mais marcantes.

 
Perpetua até hoje
A pop art teve diferentes repercussões ao longo dos anos, ela pode ser vista em diversas épocas e usada de inúmeras maneiras. No mundo das artes, na moda, no cinema, em capas musicais, estes são algumas das formas que o estilo é usado. No ambiente de casas e apartamentos, quadros, com a técnica de repetição e cores vibrantes, passam a ser usados como decoração. Atualmente, até na capa de cadernos e agendas pode ser visto traços ou reproduções idênticas às dos anos 50 e 60, o que soa de maneira irônica, afinal, os artistas criaram a pop art justamente para criticar esse estilo consumista e a produção seriada.

 
O estilista  Yves Saint Laurent foi o primeiro a fazer uso de técnicas do movimento artístico, em sua coleção de 1966/67 de outono/inverno. O vestido intitulado 'Mondrian', faz uso de formas, cores e contornos usados pelos artistas pop. Em 2012, outras grifes também voltam a reproduzir peças que remetem ao estilo. Hoje, o estilo pop pode ser visto em várias peças de roupas, comercializadas em diferentes partes do mundo.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »