06/11/2022 às 22h42min - Atualizada em 06/11/2022 às 10h16min

A nostalgia da cultura pop nas redes sociais

Resgate de produções dos anos 90 e início dos anos 2000 gera engajamento e influencia a produção cultural

Madson Lopes - Revisado por Flavia Sousa
Ícones da cultura pop. (Foto: Pinterest/Montagem - Madson Lopes).
A palavra ‘nostalgia’ surgiu no século 17 para descrever um estado melancólico, mas, na atualidade, ganhou um sentido positivo. O fenômeno, que antes, era associado a uma patologia, mudou de significado aos poucos. A mudança veio através da moda, mas também pela cultura pop - a onda ‘anos 90 e 2000’ está batendo forte em todas as áreas da arte. Para entender esse retorno ao passado, é preciso compreender o papel das redes sociais na ressurreição de conteúdos.

A sensação de “nostalgia do bem” paira no ambiente virtual. Basta acessar uma das principais redes sociais do momento- Instagram ou Tik Tok – para perceber a enxurrada de conteúdos nostálgicos. É um reels que viralizou graças a uma novela dos anos 2000 – como a recente trend viral da novela ‘Senhora do Destino’-, até mesmo um hit dos anos 80, é o caso da musica ‘Running UP That Hill’ da Kate Bush, ‘bombando’ nas redes desde o lançamento da quarta temporada da serie Stranger Things.

 
  Cena do ultimo episódio da quarta temporada de Stranger Things. O hit Running UP That Hill’ permanece no top 10 da Billboard desde Julho. (Reprodução: @strangerthings.com.br -Instagram).
 
Leia mais: Relembre 10 clássicos que marcaram época

Também serve de exemplo a hashtag ‘TBT’, que ficou mundialmente conhecida. Ela pode ser entendida como “Quinta-feira do regresso” (Throwback Thursday) devido ao seu significado original, que era sobre postar uma foto antiga, que continha algum significado especial, todas as quintas-feiras. No entanto, a hashtag vem sendo utilizada diariamente, e soma mais de 200 milhões de publicações somente no Instagram.

Nesse sentido, a produção de conteúdos nostálgicos gera engajamento – as publicações são amplamente compartilhadas, curtidas e comentadas -, isso atrai os produtores de conteúdos digitais das diferentes áreas, sendo o marketing digital, um dos segmentos que melhor tem aproveitado o momento. Mas por que os usuários se identificam tanto com postagens, programas e produtos, especialmente da cultura pop?

Para Jocafe Castro, publicitário de 32 anos, criador da pagina ‘MIXER- Cultura Pop e Nostalgia’, o sucesso desse tipo de conteúdo está relacionado aos sentimentos e memórias afetivas que o tema desperta nos usuários. “Como as redes sociais são uma extensão da nossa vida, buscamos nela esse resgate de momentos que foram especiais”, explica Jocafe. Ele acrescenta que esses conteúdos também reforçam a sensação de comunidade nas redes, uma vez que, as pessoas acabam marcando os amigos em publicações como filmes, bandas, e novelas da época que eram crianças.

 
Para celebrar o 'dia do amigo' a página relembrou grandes amizades da cultura pop. (Reprodução: @Mixerpop - Instagram)

Mas por que os anos 1990 e 2000?

Essa 'vibe' não é de agora, também não começou pelas redes sociais. Nostalgia vende e o mercado sabe disso. Os remakes de filmes e novelas sempre foram usados pelas produtoras como uma aposta mais segura, afinal, ressuscitar franquias que deram certo no passado, é melhor que fazer novas apostas. O mesmo acontece na música, é comum os artistas fazerem referências e buscarem inspirações em clipes antigos.

Esse resgate também pode ser entendido a partir de aspectos históricos. “A década [1990], foi a mais feliz do século. O muro de Berlim caiu em 1989, tudo ia bem, a tecnologia digital existia, mas sem os perigos, os excessos, angústias e inseguranças de hoje”, explica Clotilde Perez, professora de comunicação da USP, em uma entrevista ao Uol. Todos esses acontecimentos trouxeram “positividade” para a época e isso contribuiu para a produção cultural, além de ter marcado para sempre as pessoas que viveram naquele período.

Ao cruzar a idade das pessoas que mais passam tempo nas redes sociais no Brasil – 26 a 35 anos, seguida das faixas de 36 a 45 anos, segundo pesquisa feita pela Capterra - é exatamente esse público, as crianças e adolescentes dos anos 90 e virado do século.

Papel dos 'Memes'

Entretanto, o sucesso desse tema não se limita a mera sensação de nostalgia, uma vez que esses conteúdos também alcança a nova geração. Para isso, os memes, maior fenômeno da cibercultura, contribui de forma positiva.

Segundo Marcos Martoli, de 24 anos, criador da pagina ‘Nostalgia 2000’, os memes contribui para o engajamento dos jovens, pois relaciona os assuntos aos dias atuais: “Na minha pagina, eu percebo que uma publicação remetendo ao passado, mas que de alguma forma se conecta com o presente, dá bastante engajamento”. Seria então, os memes, responsáveis por fazer essa ponte entre as gerações, além de trazer humor e leveza aos contéudos.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »