30/07/2019 às 12h19min - Atualizada em 30/07/2019 às 12h19min

Escola de games é referência na América Latina

Escola Saga se destaca em produção de games e animações em 3D

Mariana Jardim
Escola Saga (Foto de divulgação)

A Escola Saga é uma escola para formação de produtores de games por meio do curso “Start”. A escola fica localizada em Goiânia e possui alunos interessados no universo dos games e produções audiovisuais. Além disso, ela oferece sorteios de oficinas gratuitas de produção audiovisual, edição de imagem, pintura digital e criação de jogos. A estudante de 10 anos, Sophia Antônia, sonha em ser youtuber e ficou empolgada quando teve a oportunidade de fazer a oficina. “Essa é a porta para realizar meu sonho”, diz a estudante.

O objetivo fundamental da Saga é formar profissionais no mercado de computação gráfica e ser a maior comunidade criativa do mundo. Desde 2002, a escola Saga foca no ensino para o desenvolvimento de jogos e em cursos de computação gráfica, sendo arte digital, animação, 3D e efeitos visuais. O gerente, Hiago Gonçalves, conta que o método de ensino utilizado no curso “Start” é chamado de Adesc, ele é dividido em três etapas, sendo a primeira a apresentação do conteúdo, a segunda o desenvolvimento (em que o professor ensina e supervisiona o aluno) e a terceira conclusão para a validação da aprendizagem.

O mercado de games tem se mostrado rentável e há um aumento significativo no Brasil. Segundo a pesquisa realizada pela empresa Homo Ludens, afirma, que o mercado de jogos apresentou crescimento no país entre os anos de 2013 a 2018. Além dos dados do 2° Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, o número de estúdios desenvolvedores de games praticamente triplicou no período. O ministro da cultura, Sérgio Sá Leitão, afirma visar o apoio em subsidiar políticas públicas voltadas ao setor de games, na expectativa de incentivar a produção desses.

Nayara Terumi, é professora da Saga há pouco tempo e declara que o mais importante para ela é o processo de aprendizagem dos alunos. Hiago Gonsalves ressalta que “a Saga é pioneira em pensar no investimento em computação gráfica, ao observar a deficiência e carência do mercado destes profissionais. Com isso, hoje somos referência na América Latina”.
 
Editado por Pâmela Rita

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »