10/07/2020 às 23h59min - Atualizada em 10/07/2020 às 23h57min

O medo de atores LGBTQIA+ assumirem suas orientações sexuais

Igor Cosso, ator que integrou o elenco de "Os Dez Mandamentos", novela bíblica da Record TV, conta que perdeu mais de dois mil seguidores após se assumir gay

Alexandre Santos - Editado por Letícia Agata
Delaney Júnior
Vitor Macedo

Na semana que precedeu o dia do “Orgulho LGBTQIA+”, o ator Igor Cosso, 29, que interpreta o Junior no folhetim da TV Globo “Salve-se Quem Puder”, assumiu para o público sua orientação sexual, em suas redes sociais. Tudo começou quando o artista publicou uma foto de dois homens gays se beijando, em referência à data. Mesmo com a inicial repercussão negativa entre seus seguidores, o ator, que é gay, decidiu tornar público seu namoro com o carioca Heron Leal através de seus stories no Instagram. Igor contou que perdeu seguidores e recebeu comentários “desnecessários”:

 

“Eu postei uma foto agora de dois homens se beijando no meu Instagram em homenagem ao mês do orgulho LGBTQIA+ e tem algumas pessoas falando algumas coisas negativas, desnecessárias, e eu queria falar que sou muito grato a quem assistiu aos meus trabalhos e me segue por causa deles”.
 

Ainda no desabafo, disse: “prefiro perder seguidores que não respeitam as pessoas do que ter números que não tem a ver comigo.”

 


Igor Cosso e Heron Leal (Foto: Reprodução Instagram)
 

No Twitter, o artista relatou que não só ganhou novos seguidores, mas ultrapassou os números que tinha anteriormente. 

 


 

Reprodução: Twitter
 
 

Um seguidor na rede social alertou o ator que talvez não fosse mais ser contratado para trabalhar na Record. A emissora, que pertence ao Bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, é conhecida por seu “moralismo” em relação à alguns temas. 

 

Reprodução: Twitter
 

É importante lembrar que Igor conquistou muitos desses seguidores enquanto atuava nas novelas bíblicas da Record TV, emissora onde interpretou personagens como Bezalel, em “Os Dez Mandamentos”, e Dudu Poeira, em “O Apocalipse”.   

 

Processo de autoaceitação 

 

Delaney Júnior em apresentação (Foto: Vitor Macedo) 

 

Assumir a sexualidade quando não é a heteronormativa, não é uma tarefa fácil e para o jovem belo horizontino, Delaney Júnior, que é ator de teatro, esse é um processo delicado de autoaceitação. Quando se trata de figuras públicas, isso vem acompanhado de uma pressão social da indústria, ao passo que a mesma tem maior visibilidade. 

 

“Eu acredito que nos últimos tempos, os artistas [atriz e atores], quem é LGBT, vêm se assumindo com mais facilidade. Primeiro você tem que ser uma pessoa bem resolvida com você. Quando isso acontece, você tem uma facilidade maior para se assumir pro mundo, mas isso não é fácil; é um super processo, porque seja famoso ou não, sofrem com aceitação dentro do contexto familiar.” 

 

Sobre sua experiência pessoal, o ator conta que “foi um processo delicado e ainda está sendo, porque você tem que entender o que está acontecendo com você, o que são aqueles sentimentos que resolveu botar em prática.” 

 

O artista conta que ter assumido sua sexualidade não interferiu em seu trabalho no teatro: “Isso não me afetou, isso me ajudou. O fato deu ser uma pessoa gay não quer dizer que eu vá interpretar apenas personagens gays”, disse.

 

Nos últimos anos, temos visto uma quantidade maior de artistas se abrindo em relação às suas orientações sexuais, o que é positivo, em vista da existência de uma figura pública que sirva como modelo para jovens que crescem em círculos familiares no qual o assunto ainda é tabu. A representatividade é muito importante na formação individual de cada pessoa. 

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »