16/02/2021 às 20h18min - Atualizada em 16/02/2021 às 19h29min

Resenha: "Mãe Só Tem Duas", a série mais maternal da Netflix

Trama mexicana trata de assuntos complexos e chega rapidamente ao TOP 10 do streaming

David Cardoso - Revisado por Mário Cypriano
Imagem: Divulgação/Netflix
A série criada por Carolina Rivera e Fernando Sariñana narra a história de Ana (Ludwika Paleta) e Mariana (Paulina Goto), que após terem o plano para o nascimento das filhas desfeito, acabam dando à luz juntas na mesma maternidade.

O primeiro contato entre elas acaba em confusão e a maior felicidade de ambas é saber que após sairem da maternidade nunca mais precisarão se encontrar. Pelo menos é no que acreditam. Meses depois, um contato em comum muda para sempre o rumo da história e elas descobrem que as crianças foram trocadas na maternidade.

A série aborda temas como empoderamento feminino,
bissexualidade, sexismo, instabilidade social, dificuldades na maternidade, entre outros, possuindo todos os elementos essenciais para uma boa história, fazendo jus a posição que vem ocupando no streaming. Trata-se de uma história que deveria ser assistida por todos, já que além do bom drama que cerca o enredo, a comédia é um dos pontos fortes no decorrer dos episódios.

A atuação da dupla protagonista Ludwika Paleta e Paulina Goto é incrível, mas a escolha do resto do elenco parece ter sido feita a dedo, onde as personagens caem como uma luva.


Os personagens são tão fortes e bem desenvolvidos e ao longo dos nove episódios caminham do drama à comédia de maneira tão natural que é muito difícil não se apegar a eles.

Os três primeiros episódios focam nos problemas enfrentados por Mariana, jovem com pouco mais de vinte anos que foi abandonada pelo namorado logo após anunciar a gravidez vivendo momentos de dificuldades com a mãe, principalmente relacionados a questões financeiras.

Nos três episódios seguintes se desenrola a história de Ana, que prefere não tirar a licença maternidade para conseguir um novo cargo na empresa onde trabalha enfrentando diariamente o machismo, principalmente por considerarem que após o nascimento de um filho a mulher não pode exercer determinada função. Felizmente, essa é uma história que quebra esse paradigma.

O empoderamento feminino é um dos fatores essenciais para o sucesso da série. Temos duas mulheres fortes que lutam diariamente pela carreira, ideais, filhos, família e por elas mesmas.


A série estreou sem alarde pela Netflix, mas bombou no Instagram das protagonistas. A atriz Paulina Goto publicou uma foto de um exame de ultrassom onde era possível ver um embrião. “Emocionada por esta nova aventura”, comentou a atriz. Em pouco tempo começou a receber felicitações de colegas e fãs.

Ludwika Paleta postou nos stories do Instagram um teste de gravidez e uma legenda dizendo que “às vezes a vida nos traz projetos inesperados...”, e assim ficou evidente para os fãs que, na verdade, elas estavam anunciando a série e não uma gravidez real.

Unindo um bom texto, elenco incrível, trilha sonora impecável, cenas bem desenvolvidas, drama e comédia na medida certa, temas importantes e ganchos precisos, a série é realmente necessária não só pela qualidade da produção, mas porque aborda um tema real. Talvez seja por isso que em apenas uma semana, ‘Mãe só Tem Duas’ se tornou a série mais assistida em muitos países, garantindo a confirmação da segunda temporada.

ASSISTA AO TRAILER:


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »