01/04/2021 às 17h59min - Atualizada em 01/04/2021 às 17h46min

ABRIL AZUL: o mês da conscientização do autismo

Conheça um pouco mais sobre o transtorno que ainda enfrenta preconceitos

Francielli Bachião - Revisado por Mário Cypriano
Fita colorida celebrando o dia da conscientização do autismo - Imagem: Divulgação / Hospital Santa Monica


No dia 02 de abril é comemorado o Dia Internacional de Conscientização do Autismo, criado em dezembro de 2007 pela Organização Mundial das Nações Unidas (ONU). A data foi criada com o intuito de garantir a compreensão a respeito do Transtorno do Espectro Autista (TEA), reduzindo cada vez mais o preconceito existente. Segundo a psicóloga Rafaela Heloisa Junqueira, o autismo sempre foi visto com receio pela sociedade, tendo um longo caminho para que essa ideia mude.
 

"Com a criação do Dia Mundial de Conscientização do Autismo, as pessoas podem ter um maior acesso às informações sobre o espectro autista, conhecer mais sobre o assunto e compreender melhor essa visibilidade, que é fundamental para que os próprios autistas sejam vistos e ouvidos tendo espaço e sejam felizes dentro da sociedade do jeito que são”, concluiu a psicóloga.

Mas, afinal, o que é o autismo. O TEA, assim chamado a partir da 5ª edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), afeta o sistema nervoso e não possui causas totalmente conhecidas, porém, embora haja evidências de que seja pela herança genética.

O êxito e a gravidade dos sintomas podem variar amplamente. Porém, os mais comuns incluem dificuldade de comunicação e de interações sociais, além de comportamentos repetitivos. Um exemplo bem claro e ilustrativo é o personagem Sam Gardner (Keir Gilchrist) da série Atypical (Netflix), que deu vida a um menino autista. Durante a série, o personagem manifesta a maior parte desses comportamentos, e também demonstra como é possível viver de forma independente com o apoio e compreensão das pessoas ao redor. 

 

CURIOSIDADES

 

  • Um fato interessante é o símbolo que representa o TEA: um quebra-cabeça. Usado pela primeira vez em 1963 e popularizado pela Autism Speaks (entidade norte americana), o objetivo é expressar que muitas vezes não conseguimos compreender as pessoas com autismo, além de simbolizar as dificuldades de compreensão enfrentadas pelas pessoas com o espectro. 
     
  • Em concordância com a OMS (Organização Mundial da Saúde), estima-se que pelo menos 70 milhões de pessoas são portadoras do autismo, ou seja, 1% da população mundial. Um estudo realizado pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) aponta que o número de meninos com autismo é quatro vezes maior que o número de meninas, devido ao córtex cerebral, que nos homens são mais finos.
     
  • A cor azul foi escolhida para a conscientização do espectro autista devido à maior incidência dos casos no sexo masculino. Por isso, além do novembro azul, próprio para a conscientização das doenças masculinas, temos o abril azul para o transtorno do espectro autista.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »