06/04/2021 às 17h03min - Atualizada em 06/04/2021 às 15h41min

Artesanato: Conheça as inspirações dos artesãos para semear cultura através de suas artes

No meio de diversos desafios enfrentados pelos artesãos para produzir seus produtos, suas inspirações os motivam a continuar produzindo

Julia Gomes - Editado por Larissa Nunes
Foto: ipiranegocios.com.br
Historicamente o artesanato carrega o significado de trabalho manual no qual o artesão é responsável pela sua produção, desde o preparo da matéria prima natural até o produto final. No entanto, alguns artesãos compram as matérias primas e apenas as transformam dando vida aos seus produtos.

O artesanato pode ser utilizado para representar a cultura popular de um local, religião e também ser usado no dia a dia; por isso ele pode ser caracterizado como erudito, popular e folclórico.

 
Além disso, muitos artesãos acabam vendendo suas artes em feiras de artesanatos e em lojas físicas e online, para que possam gerar renda própria. Assim, muitos turistas começam a ter contato com a cultura de determinado local, gerando um interesse maior nele e fazendo com que ele busque conhecer cada vez mais sobre os costumes e cultura daquela região.
Assim como todas as profissões, os artesãos também enfrentam desafios diários para produzir e vender os seus produtos, mas suas inspirações os motivam a continuar manufaturando.

De acordo com Ana Maria Parreira Cappelli, 46 anos, moradora de Caraguatatuba e dona da Bay Intuições, página no Instagram onde vende seus sabonetes, suas inspirações vieram dos estudos sobre sua religião, a umbanda. Conforme foi pesquisando sobre ervas, plantas, frutas, grãos, flores e o que cada Orixá representa, ela resolveu desenvolver sabonetes com funções medicinais, espirituais e energéticas.

Para Ana, as dificuldades são os preconceitos enfrentados que faz com que ela venda uma quantidade baixa por mês, por isso ela não consegue se sustentar com esse trabalho no qual ela se dedica com muito cuidado.
“Decidi trabalhar com os sabonetes, pois meu maior desejo era beneficiar as pessoas com o sabonete feito exclusivo para cada pessoa. Porque para uns, é mais difícil achar as ervas ou plantas e flores que precisam, por isso o sabonete é produzido a partir das necessidades e gostos de cada um, por este motivo surgiu Bay intuições.” diz Ana Maria em relação de ter decidido trabalhar com este tipo de artesanato.
 
Quando perguntado se os sabonetes poderiam representar a cultura popular ou de algum grupo específico, Ana aponta: “Meus sabonetes representam sim uma cultura popular, mas ainda encoberta por falta de informações e julgamentos incorretos, onde pessoas associam banhos de ervas a trabalhos ou rituais ruins. O que é na verdade uma ignorância, pois ervas e suas funções, são de uso de uma sabedoria de séculos comprovada e usada sem dúvidas só para o bem.”
 


 
 







 
                                                                                                          
Para Cleide Simões, 55 anos, habitante de São José dos Campos, dona da página no Instagram Agulhas da Cleide, onde vende crochê, tricô e arraiolo, por trabalhar com encomendas sua maior dificuldade é achar o fio na cor que o cliente pede, o que segundo ela foi complicado nesse último ano.

Cleide aponta que sua inspiração vem de outras artesãs e de fotos que as clientes mandam. Ela complementa que existem outras artesãs que criam peças dos produtos, disponibilizando em vídeos e assim é possível reproduzir.

Segundo Cleide, o crochê, tricô e arraiolo representam muito a cultura popular, cada um no seu estilo e com seu valor.

“Em 2018 conheci um projeto @quadradinhosdeamorvale, fui ser voluntária, mas o principal ali era o crochê. E aí resolvi aprender. Fazer quadradinhos, criar mantas e doar em asilos do Vale do Paraíba. Me encontrei... e encontrei um novo crochê, o moderno, com fios diferentes. Até que alguém pediu "dá pra fazer um bolsa?" Fiz, postei e os pedidos foram aparecendo. E se pedem algo que nunca fiz, eu faço para me desafiar” Relata Cleide sobre o porquê de ter decidido trabalhar com esse tipo de artesanato.










 
 

História do artesanato no Brasil
 
No Brasil, os indígenas são considerados os primeiros e mais antigos artesãos utilizando a arte da cerâmica, pintura, cestaria, cocares e vestuário feito de penas das aves.

Além disso, pesquisas apontam a existência da fabricação de cerâmica por etnias de origem nordestina, que viveram no sudeste do Piauí em 6.000 a.C. Atualmente, pode ser bastante encontrado no norte e nordeste do país, como nas regiões da Bahia, Mato Grosso do Norte, Maranhão, Pará e Amazonas.

Mesmo com cada região possuindo seu próprio tipo de artesanato, é possível destacar alguns predominantes em todo o país, sendo eles, a cerâmica, cestaria, entalhar madeira, bonecos de barro, renda e o têxtil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »