30/04/2021 às 18h10min - Atualizada em 30/04/2021 às 17h45min

Nomadland é destaque na noite do Oscar

Edição fica marcada por aumento na representatividade feminina

Giulia Braz - Editado por Letícia Agata
Crédito: Analogicus / PixaBay
O maior prêmio do mundo do cinema, a 93° edição do Oscar, aconteceu no último domingo (23). Por conta da pandemia do novo coronavírus, a cerimônia precisou ser marcada para abril, dois meses depois da data padrão, que é em fevereiro. A realização foi feita simultaneamente no Dolby Theatre, local tradicional do prêmio, e na Union Station em Los Angeles, além de algumas participações por videochamada.

A pandemia também fez a academia acrescentar uma nova regra na premiação: a permissão de filmes originais de streaming em todas as categorias do Oscar, que não são exibidos nas telas do cinema. Antes essas produções não podiam ser indicadas, mas, em razão do fechamento dos cinemas por recomendação da comunidade médica, muitos filmes não foram estreados nas telonas. 

Além dessas mudanças impostas pela crise sanitária do coronavírus, o destaque da noite foi a diversidade, ainda tímida, de vencedores. Antes mesmo de começar, a edição 93 da premiação já tinha batido recorde no quesito indicações femininas. Nunca houve tantas mulheres concorrendo em um único Oscar. Foram 78 indicações para 72 mulheres diferentes, sendo que em 2020 o número foi 68.

Um fato inédito aconteceu na edição de 2021: 2 mulheres presentes na categoria de “Melhor Direção”, sendo elas a chinesa Chloé Zhao, diretora de “Nomadland”, e Emerald Fennell, de “Bela Vingança”. O ocorrido levou 92 anos para acontecer, e é um pequeno passo na luta por representatividade feminina, movimento impulsionado pelo Mee Too, que começou nas premiações do cinema. Kathryn Bigelow tinha sido a única a ganhar nesta categoria na história do Osca. Ela quebrou essa sequência em 2009 pelo filme "Guerra ao Terror". Mais de 10 anos depois, o prêmio foi entregue à uma outra mulher. Chloé Zhao marcou seu nome na história da acadêmica por ser a segunda a levar a estatueta na categoria e a primeira asiática a ganhar o Oscar de melhor diretora.



Trailer do filme "Nomadland". (Reprodução: Youtube SearchlightPictures)

O filme dirigido por Chloé foi o grande destaque da noite, garantindo 3 das 6 indicações e levando as principais. Além de “Melhor Direção”, a produção que conta a história de uma mulher de 60 anos que se tornou nômade após a Grande Depressão econômica dos Estados Unidos. O filem garantiu a estatueta de Melhor Filme e Melhor Atriz, com a atuação de Frances McDormand, que conquistou o terceiro Oscar ao longo da carreira.



Frances McDormand no pôster de Nomadland. Crédito: Divulgação

Youn Yuh-jung, de 73 anos, também fez história no Oscar, pois foi a primeira atriz coreana a ganhar na categoria de “Melhor Atriz Coadjuvante” pela interpretação no filme Minari.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »